PILOTOS

Ok, resolvi me dedicar um pouco a pilotos de séries. Sem obrigação de continuar a ver depois, sei lá. Já tinha aqui o True Blood, série nova do Alan Ball, e daí peguei Doctor Who, Battlestar Galactica, Gossip Girl e o novo Barrados no Baile. Como Doctor e Battlestar são tipo ficção científica, não tive as manhas de ver ainda, eu penso e me dá uma preguiiiiça.

True Blood é inacreditável. Sério! Tem tanta bizarrice na série que você se pergunta se é uma GIGANTESCA BRINKS ou vai ter algo por trás. A trama da série é sobre vampiros, que depois da invenção de um sangue sintético resolveram assumir pra humanidade que existiam e “procurar seu lugar na sociedade”. Eles dizem que agora que não têm mais necessidade de beber o sangue das pessoas podem ficar de boa, hang out com geral. Mas claro que todos ficam com medinho, tem aquela coisa de ser pró ou anti vampiro… Afinal, eles vão deixar a “verdadeira natureza” de lado? O sangue sintético vai ser o suficiente? Vários deles não vão continuar a curtir chupar sangue de pessoas? Etc. Enfim, tem toda aquela nóia de grupos sociais em tensão, tipo X-MEN kkk.

Esse é o vampirão calado que a garçonete quer pegar

A protagonista não é vampira (man, só agora pensei na brinks porque ela é a Vampira dos X-Men, é a Anna Paquin que interpreta a moça). Ela é uma garçonete que pode ouvir pensamentos (sim). Menos o de um vampiro que entra no bar e ela se apaixona totalmente por ele de cara. Daí um casal tenta roubar o sangue do vampiro (que supostamente ajuda a rejuvenescer pessoas) e ela vai ajudar e tal… Tem uma mulher estranha que fica assistindo toda a cena e depois vira um cachorro (!). A garçonete, Sookie, tem um patrão apaixonado por ela, uma amiga que eu achei totalmente idiota (acredite, amiga, eu entendo seu inconformismo com o trabalho, mas o jeito que ela se demite é totalmente UGH, e ela é daquelas que realmente confundem grosseria com sinceridade). O irmão da Sookie enforca uma mulher sem querer durante o sexo… Isso depois deles assistirem uma sex tape desta mulher com um vampiro (tem uma coisa de que sexo com eles é fantástico blábláblá).

Sexo com vampiros, recomendado por todas as revistas

Não sei se já deu pra pegar o clima. Tem várias mini bizarrices, do tipo quando a Sookie vai ajudar o vampiro (que está preso por um ritual estranho, tipo com umas correntes quentes, bem leves, que devem retê-lo no chão) ela consegue jogar uma corrente pesadona no cara BEM CERTINHO, e com um punhalzinho de nada ameaça os dois… E logo no início a cena do supermercado é totalmente bizarra… Sem palavras, to assim.

Anna Paquin como Sookie

Acho que vou baixar o próximo hahaha.

Dude, o Alan Ball nunca esteve no meu altar particular de gênios da TV. Já disse e volto a dizer que pra mim a série mais overrated da televisão é Six Feet Under. Palavra de quem não conseguiu acabar de ver a primeira temporada. É pretensioso, cheio de uns psicologismos chatos, arrastado. Dispenso as boas atuações BEIJOS. Agora, ele ta voltando às telinhas com uma série que EXÓTICA é pouco para definir… Fiquem ligado nos próximos capítulos….

ps – essa porra ainda é da HBO. Mas, so far, que série da HBO eu amei? Acho Roma a coisa mais chata, e Sex and the City ok, mas não sou bem o público alvo, e coisas superproduzidas mas sem carisma como Carnivale? Etc. Tem tipo OS SOPRANOS, que é uma série superior.

O sangue sintético sai assim, nos mercados, tipo cerveja

UPDATE:

OK. 90210, o “novo Barrados no Baile”. Os “irmãos Walsh” da vez têm um elemento étnico: o menino é negro, adotado. Dessa vez o motivo da mudança é ficar próximo da avó, que está precisando. A avó é uma atriz rica, refinada, maliciosa, pertubada. O pai (o ator que fazia o pai de Jess em GG, voila, vai ser o novo diretor do colégio. A mãe, tipos, é produtora de moda ou uma porra assim.


Enquanto Dixon vai se encaixar nos esportes e no jornal (bem como Brendon, mas dessa vez é lacrosse), Annie quer entrar no teatro, que é dominado por uma moça que é viciada em drogas e não gosta da aproximação dela. Numas férias com a avó um tempo antes, Annie tinha ficado com um menino, Ethan, e tá meio na expectativa de encontrá-lo. Ela o vê no estacionamento e acena – só pra depois perceber que tem uma menina fazendo sexo oral nele. Pra embolar mais ainda, depois ela começa a hang out com uma riquinha, Naomi, que é namorada de Ethan. Ele é o completo protagonista inexpressivo, deus me livre. As ações da história vão levando pro desfecho de, no dia do aniversário de Naomi (Sweet sixteen) ela receber uma mensagem falando que Ethan está traindo. Eles brigam, se acertam, e você vê que a confusão vai rolar daí… Porque ta na cara que Ethan e Annie se gostam. Quando a história vaza (através da blogueira, que tem unfinished business com Naomi) ela não agüenta todo mundo comentando dela e ai PUFS, fim. Annie aumenta seu leque de opções e começa a flertar com Ty, o lead masculino da peça/musical.

Não sei se o Ethan fica melhor ou pior com esse cabelo…

Esse é o outro interesse romântico, Ty

Tudo acontece muito rápido, apesar de ser um episódio duplo… O pai de Annie e a mãe de Naomi namoravam na época do colegial e na festa ela diz que teve o filho que ele achava que ela tinha abortado – e ele foi dado para adoção. Tipo BN. Ainda tem aquela coisa de pais que punem e não dão grandes presentes mas amam os filhos e pais que dão carrões mas não atenção ETC. e adolescentes problemáticos cheios de daddy issues. meu deus, esse é o maior clássico de série com adolescente rico…

As brinks:

– Kelly agora é conselheira estudantil e tem seu filhinho, com uns 5 anos. O professor gatinho fica flertando com ela. Brenda aparece no final, na lanchonete do Nat (que ta velho né rs). É meio patético, se você pensar bem.

– Efeito anos 2000: todos são bonitos e magros. Algumas mães parecem ter 25 anos. Das estudantes, até a clássica “esquisita” que todo colegial que se preze tem – e que é apenas alguém com “personalidade” excluída pelas populares – é tipo modelete. A moça com personalidade, por sinal, é a que tem um blog a la gossip girl, que toda escola acessa. Quando Annie vai sentar com o que a “moça com personalidade” chama de as Bratz (meu deus, as bratz são mesmo a nova Barbie, que mundo é esse) a menina – que é irmã da Kelly – fica tipo chateada e posta um vídeo esculachando a nova aluna. Que é de Wichita, Kansas. O piloto tem essa sacada legal e se chama: We’re not in Kansas anymore. Sweeet. Depois ela vai se desculpar e ajudar Annie a entrar no grupo de teatro. Annie faz a que se dá bem com todos porque é honesta, correta, gente boa. Menos com a menina drogada do teatro, que por sinal é sma da Naomi – mas rouba a bolsa dela pra pagar dívida com traficante…

– Trilha sonora é boa, tem Coldplay novo, a já clássica Time to Pretend do MGMT, Tilly and the Wall, a música boa da Adele.

– O Rob Thomas ta envolvido BEIJOS.

Nova protagonista


Ai, que confusão. Num resuminho, achei que as coisas têm um ritmo meio estranho, a moça que faz a Annie tem uma cara de paisagem e de fato não tem nada bombástico, mas também não é BOMBA, dá pra ver. Acho que vou continuar assistindo mais um pouquinho.

Ainda to nessas de série teen. finalmente vou assistir gossip girl e resolvi assistir laguna beach – pq quero assistir the hills.

Anúncios