‘tomorrowland’, dêem um tempo pra betty, don e mais

E agora na finale não é que “Mad Men” faz um paralelo entre Don e Betty, depois de deixar a segunda meio escanteada ao longo de toda a quarta temporada? De fato, Don e Betty são muito diferentes, mas nesse “Tomorrowland” é fácil perceber no que se parecem – os dois querem viver uma vida perfeita e têm problemas em encarar dificuldades. Betty diz textualmente que queria um “fresh start” nessa finale e não é isso que Don sempre quis? E que nunca deu totalmente certo? Henry está certo, não existe um recomeço do zero. Betty vai mudar de casa e vai continuar infeliz e tenho uma sensação de que este novo casamento de Don, depois de uma temporada flutuando sem parâmetros, vai se provar um desafio maior do que ele imagina.

continue lendo

Anúncios

palpites emmy: ator coadjuvante de drama

Uma das minhas categorias preferidas e em que absolutamente todos me parecem merecedores e no timing correto. Muito bacana ver Men of a Certain Age ter ALGUMA indicação (a única), Damages sempre conseguindo emplacar vários atores, a dupla imbatível de Lost que seguiu sendo uma das melhores coisas da série independente de tudo o mais e, é claro, Aaron Paul, que de surpresa passou para uma grata realidade em Breaking Bad, e o Jon Slattery (melhor one-liner da TV? Acho que sim).

Da grata perspectiva de alguém que vai ficar feliz no matter what nessa categoria, eis os meus pitacos.

continue lendo

palpites emmy: atrizes de drama

Mais uma categoria bastante competitiva: uma veterena acostumada a levar, uma novata que está levando tudo, duas indicadas standards que sempre têm chances e duas novatas que, pelo jeito, vão ter que considerar a indicação em si como um prêmio. Tá legal – trocaram uma atriz de Mad Men por outra, e chutaram Holly Hunter e Sally Field por Julianna Margulies e CONNIE BRITTON. Melhor impossível. QUER DIZER: deixaram a Katey Segal a ver navios, né – bem o que aconteceu com Sons of Anarchy por inteiro.

continue lendo

mad men – 04×01 – public relations

“Quem é Don Draper?”

É quase uma piada que a quarta temporada de Mad Men comece assim. Estes caras estão jogando na nossa cara! Mais uma vez Matt Weiner dá um passo para trás e coloca dentro da série um elemento de metalinguagem que permite que a narrativa – e os olhares – se voltem para uma questão. Quem é Don Draper? Depois de tantos fins e recomeços que vimos no final da temporada passada e agora neste início, vemos Don às voltas mais uma vez com uma questão de identidade – e agora ele simplesmente tem o poder de ser quem ele quiser, retomar as rédeas da sua vida e se recriar novamente.

continue lendo

multidão assiste mad men na times square: a onda do hype

Mad Men voltou para sua quarta temporada surfando em uma ONDA DE HYPE maior do que nunca. Verdade que sempre foi uma série mais falada e elogiada do que propriamente assistida – curiosamente, Gossip Girl, tão diferente, sempre sofreu com isso também. Mas se Gossip Girl ainda hoje luta para converter o buzz em audiência, Mad Men já conseguiu 5% a mais nesta premiere da quarta e está com uma audiência razoável para uma série de tv fechada (AMC).

Para promover a temporada, a AMC fez uma premiere aberta na Times Square (não por acaso a zona de NY com maior PUBLICIDADE), no que o Observer chamou de um “case of meta-product placement”. Aliás, foi este artigo que me familiarizou com o termo MADDICTS, para os fãs da série. January Jones e Elisabeth Moss compareceram ao evento e a January até comentou sobre a surrealidade que é este AMOR EM MASSA por Mad Men – multidão para ver um episódio e toda a premência pela temporada vinda de todos os cantos do mundo. Vejam:

“Nenhum de nós teria imaginado que algo nesta escala tão grande iria acontecer com este programa, e estar na Times Square com centenas de pessoas vestidas como nós*, é muito bizarro. É muito bizarro. Do jeito mais maravilhoso”.

Mad Men é um programa de qualidade tão indiscutível que sempre vai merecer todos os superlativos e longe de mim ficar de mimimi síndrome de underground (até porque a série nunca foi exatamente um underdog), mas começo a sentir, mais que nunca, certa artificialidade cercando o público da série. Não importa & não interfere em nada na série, é só um comentário. Leiam o artigo do Observer – deve ter sido uma experiência e tanto, e algo estranha mesmo, assistir o Don levar na cara n’uma cena de sexo ao lado de milhares de pessoas.

O que realmente importa é que PUBLIC RELATIONS, a premiere, foi boa pra caralho. Fique na linha que logo-logo, com todo este atraso, vou colocar na roda minha review.

* Teve uma disputa para ver quem se vestia melhor no Mad Men style. Gente de todo tipo apareceu por lá.

palpites emmy: atores de drama

Categoria bem difícil, com todos os candidatos serem merecedores e, mais ainda, boa parte deles com chance de levar o caneco. Nenhum resultado será injusto em agosto quando um destes cincos for reconhecido como o melhor ator da temporada – todos, até o Laurie, ao que me consta, (não acompanho), fizeram trabalhos muito bons e em alguns momentos espetaculares. Diante disso, este palpite aqui pode ser um fracasso absoluto, mas estamos aqui para isso, certo? E melhor assim do que em categorias que ficamos sentindo que ficou faltando muita gente e que a classe está mal representada. UPDATE com os episódios que os atores escolheram enviar para concorrer.

continue lendo

palpites para o emmy: série de drama

Bom, as tão aguardadas indicações sairam e agora é só lutar contra a ansiedade & o tempo até 29 de agosto, quando conheceremos os vencedores do Emmy 2010. É só um prêmio e, claro, muito falho, mas de qualquer modo é o prêmio mais importante da televisão. Resolvi começar a palpitar nas principais categorias e vou começar logo pelo que é considerado o prêmio mais importante de todos: melhor drama.

continue lendo