geleia geral – mais uma volta em lost, parks and recreation ganha dois atores e mais

A atriz Michelle Rodriguez irá reprisar seu papel como Ana Lucia Cortez na temporada final de LOST, segundo o TV Guide. Depois de sua morte na segunda temporada, Ana Lucia apareceu brevemente na quinta temporada, em uma das visões de Hurley. A ABC não confirmou se ela aparecerá no timeline da ilha ou no flash-sideway, mas imagino que faça mais sentido no segundo. Vamos aguardar!


____________________________________________________

E olha, Rob Lowe e, bem melhor, Adam Scott vão participar de Parks and Recreation. Yay. Não pro Lowe, de quem estou com bode, mas, bem, que maneira melhor de superar isso do que assistindo-o em Parks?

Segundo o TV Guide, Rob Lowe, que deve sair de Brothers & Sisters ao final da temporada, já aparece nos dois últimos Parks&Rec e retorna para mais seis no início da terceira – lembrando que a série ganhou uma renovação antecipada, no calor das críticas infladas.

Ainda não se sabe quando exatamente Scott vai entrar em Parks, mas ele deve aparecer como interesse romântico de Leslie nos episódios finais dessa segunda temporada.

“Estou mais que lisonjeado e extremamente excitado de estar me juntando ao incrível elenco de Parks and Recreation”, disse Scott ao Show Tracker. “A bola agora está comigo para estragar isso completamente”.

Quanto a Party Down, a segunda temporada estreia em 23 de abril e devemos ter bastante de Henry nela. A produção dos 10 episódios encerra em outubro. O Starz está esperando o desempenho dessa temporada para se comprometer em produzir uma terceira. Scott disse que estará aberto a retornar para a série caso ela seja renovada.

O produtor executivo de Parks and Recreation Mike Schur disse que Scott “é brilhante e engraçado – e ele é engraçado de várias maneiras diferentes. Simplesmente não há tanta gente na comédia que vai de Step Brothers a Party Down”.


________________________________________

Outro ator por quem tenho muito estima, Scott Porter, entrou para um projeto meio da CW, produzido por Ken Sanzel, de Numbers. “Nômades”. A série é um drama que segue um grupo de mochileiros (backpackers) que escolhe empregos aleatórios da CIA para financiar suas viagens. Porter fará John, um recém-formado que não desiste de procurar por seu irmão desaparecido, segundo a Entertainment Weekly.


____________________________________________

E por falar no Tom, um piloto produzido por ele foi selecionado pela CW. “Hellcats” será escrito por Kevin Murphy e é um show sobre o competitivo mundo das… cheerleaders.

Outros pilotos esdrúxulos que serão produzidos pela CW são “HMS”, da Hayden Panettiere (Heroes), que segue a vida de calouros sexies da Harvard Medical School sob o ponto de vista de uma estudante. O piloto é de Amy Holden Jones e Panettiere será, ahem, co-produtora.

Por fim, há “Betwixt”, baseado em novela homônima, que trata de trocas responsáveis por salvar humanos do mal (?). A produção é de Elizabeth Chandler (Sisterhood of the Traveling Pants) e Paul Stupin (Make it or Break It).

______________________________________________

E por falar no Tom (2), a CW irá renovar Smallville para sua DÉCIMA TEMPORADA, segundo informou nesta quinta-feira (4) o Ausiello.

Anúncios

geleia geral – bryan fuller e a hq de pushing daisies, mix the office e party down

O Bryan Fuller já está trabalhando na HQ de Pushing Daisies. A informação foi revelada por Chi McBride, em uma entrevista ao Sci Fi Wire. McBride, intérprete do detetive Emerson Cod no show, disse que “Bryan está fazendo a graphic novel. Ele me mandou algumas páginas. É realmente boa”.

Perguntado sobre como é a HQ, ele disse que é “sobre um bando de cadáveres voltando à vida. Isso é tudo que sei até agora, mas Bryan foi gentil o suficiente para compartilhar as primeiras páginas. Realmente parece bom”. McBride também disse que “Parece um pouco sombrio”, algo que Fuller não podia fazer na ABC. Ele disse que uma das histórias se chama “The Head” (A Cabeça), e que ele gostaria que eles tivessem feito essa durante a série. “É fantástica”.

A HQ seria distribuída pela DC e divida em uma minissérie de 12 revistas.

__________________________

E hoje no painel do TCA teve Starz e AMC (ohhh). Novidade de Party Down: a série volta em 23 de abril. A Jane Lynch aparece na season finale, quando irá se casar (???). E segura essa: a Megan Mullaly tá na série! Sensacional.

Falando no Rob thomas, ele jogou um balde de água fria no filme de Veronica Mars hoje. Ele disse ao The Futon Critic que o projeto não deve acontecer – mas deixou claro que gostaria de fazê-lo. “Eu escreveria se alguém financiasse. Se alguém estiver interessado em fazer o filme, eu estou disponível, Kristen está disponível. Eu amaria fazer”. No twitter, a Kristen Bell continua jogando as campanhas e tals, o pessoal realmente dedica não desiste (Neptune Rising, I Would See a Veronica Mars Movie), mas a coisa right now tá bem mortinha. Infelizmente.

_____________________________________

E o Ausiello largou em sua coluna que o Ricky Gervais estaria considerando fazer uma participação no The Office US como o David Brent, o chefe da versão UK. QUEM CURTE? Choque de mundos.

UPDATE

E a CBS anunciou a renovação de The Good Wife e NCI:LA. Nada muito surpreendente, mas ainda assim bom, né?

melhores de 2009

O ano está terminando e já que não considero que tenho escopo para fazer lista de melhores da década (quem sabe no final do ano que vem, final oficial, já não tenha terminado The Wire e os Sopranos?), vou me lambuzar nas listas de melhores de 2009. Certamente também existem algumas ausências sentidas e me desculpo por elas: ainda estou em menos da metade de Battlestar Galactica e na primeira temporada de Big Love e Sons of Anarchy, portanto não me xinguem porque essas séries não aparecem!

No todo, foi um bom ano para a TV, especialmente para as comédias (IMHO), já que muitas séries dramáticas parecem ter perdido o fôlego nessa volta da fall season (bom, para ser sincera as séries que já são meio erráticas). O grande sucesso de crítica é a comédia/musical Glee, para mim um High School Musical que tenta too hard, outras novas comédias como Modern Family e Community também mostraram a que vieram, o ano teve o Rob Thomas se arriscando com Party Down, Nurse Jackie, que joga melhor com as risadas do que com o choro, e, claro, o upgrade em Parks and Recreation. Em minha opinião, 30 Rock e The Office ficaram até meio tímidas diante das novatas, especialmente considerando a fall season – mas lembrando que a lista de 2009 pega um pouco da temporada anterior, que no caso de 30 Rock é a sensacional terceira.

Vamos aos meus eleitos!

MELHORES DRAMAS

Breaking Bad (AMC). Eu entendo porque algumas pessoas não conseguem se conectar com Breaking Bad. É uma série que não recompensa seu telespectador, que não oferece ninguém para que a gente possa torcer por e às vezes parece vazia. Fora o ritmo lento. O Sepinwall (um crítico que, btw, demorou para cair de amores pela série) fez uma entrevista muito reveladora com o Vince Gilligan. O criador da série dizia que se interessa em explorar os momentos de antecipação, a tensão antes dos acontecimentos, a iminência das coisas – e acho que é exatamente isso que me interessa. Isso e, claro, o real tema do programa: a jornada de Walter White de um professor de química pacífico para um traficante de drogas cruel, sustentada por uma atuação fora de série do Bryan Cranston. Apenas a trajetória desse personagem já seria algo pelo que valeria a pena assistir ao seriado – que eu sinceramente considero tão coeso e forte que tenho dificuldade de estancar os episódios. Essa segunda temporada leva Walter sempre um passo adiante em um caminho sem volta – e eu me mordo de curiosidade para ver onde isso vai parar. E, ah, teve um payback sim essa temporada: finalmente a Skyler começa mais efetivamente a ver que há algo errado, puxa o lençol das mentiras de Walter e isso vai valer a pena conferir.

Friday Night Lights (DIRECTV/NBC). Friday Night Lights continua sensacional – é uma série que consegue ser graciosa até com seus deslizes. Os produtores lidaram de maneira inteligente com a necessidade natural de renovar o elenco – afinal a série gira em torno de um time colegial e os alunos têm que seguir seus caminhos -, meio que zerando o jogo e fazendo a audiência torcer pelo verdadeiro underdog. A quarta temporada ainda tem seus problemas, claro, um deles sendo a palidez do futebol, que está parecendo desconectado de tudo, e a lentidão para se despedir dos veteranos. Mas nada que comprometa a força narrativa da série – cada episódio tem sua função e razão de ser. Pena que são só treze…

Mad Men (AMC). A terceira temporada de Mad Men foi como uma onda – começou tudo tão devagar, tão absolutamente igual, depois tivemos aquele momento de premência em que parecia que o céu ia cair, e nem caiu, foi ficando tudo mais denso, denso, denso e aí BOOMBOOMPOW. Uma temporada que tem um episódio insano como Guy Walks Into An Advertising Agency, estranhezas como The Arrangement, uma cena de sonho-alucinação que não dá vontade de desligar a TV como The Fog, uma pérola como The Gypsy and the Hobo e ainda encerra com Shut the Door. Have a Seat… Olha, isso é sinceramente uma temporada para dar surra em outras séries em premiações. Os haters podem continuar esperando – ainda não foi dessa vez que a bola de Mad Men caiu.

True Blood (HBO). A.Maior.Diversão.Da.TV. A segunda temporada da série pegou o que já era uma geléia maluca e levou um passo adiante – em ambição, insanidade, diversão. É verdade que True Blood passou a se levar menos a sério e, com isso, perdeu um pouco da conotação política que tinha (espero que usem mais a Nan Flanegan!). No início, era uma série exótica que servia de paralelo para todas as minorias em busca de espaço (ainda existe essa leitura, claro, sempre pulsando na história). Mas o parque de diversões que virou essa segunda temporada… Investindo mais em todo seu elenco, ampliando suas possibilidades narrativas, atirando pra tudo que é canto… A série é a mais sexy, divertida e insana da TV. Mas é aquela coisa – ou você está dentro ou não está. E eu certamente estou!

MELHORES COMÉDIAS

Better Off Ted (ABC). É até uma comédia tímida, aqui ao lado das outras, mas a inteligência e a precisão de Better Off Ted a colocam como uma das melhores do ano para mim. É uma série que sabe onde mirar e o faz bem, zombando do mundo corporativo e explorando o talento de Portia de Rossi, Jonathan Slavin e Malcolm Barrett. Better Off Ted passeia pelos absurdos da rotina de trabalho com graça, produzindo pérolas como Racial Sensitivity. Recomendado!

Modern Family (ABC). É a maior verdade que Modern Family estrutura todos seus episódios de modo a ter um momento de redenção sentimental. É um show meio piegas, verdade, e faz questão de ficar reforçando o amor de todo mundo por todo mundo o tempo todo – n’umas meio ABC Family. Mas nada disso compromete o seriado, que é gracioso e já nasceu tão bem entrosado, tanto nas histórias como no elenco. É um programa feito para a gente gostar e não tenho vergonha de gostar por isso – e nem a audiência e a crítica norte-americanas, pelo jeito. Modern Family chegou, conquistou e mostrou que veio para ficar. Melhor assim.

Parks and Recreation (NBC). Eu sinceramente não entendo a forte rejeição da curta primeira temporada de Parks and Recreation. Eu gostei da série de imediato. É provavelmente a série de comédia que eu mais GARGALHO de fato (a gente geralmente reconhece a graça e RI POR DENTRO kkk), e isso desde o início. A similaridade de Leslie Knope com Michael Scott, em minha opinião, é superficial e não resiste a dois episódios, quando entendemos que sao dois personagens essencialmente diferentes. E o “exagero” que muitos viam em Leslie eu meio que vi como a série chutando a porta para chegar, mas sem ofender. Dito isso, é fato que a segunda temporada deu um pimp em Parks and Recreation. Eles aprenderam a explorar o que cada personagem tem de melhor, aprenderam que é melhor deixar o Chris Pratt por perto, perceberam que têm um elenco sensacional em mãos. E cada episódio é melhor que o outro. Para mim, de longe, a grande comédia da temporada – e acho ofensivo SAG,WGA, Globo de Ouro, fecharem os olhos para isso.

Party Down (STARZ). Provavelmente a melhor série em equilibrar comédia e drama com alto nível de sucesso. Os episódios com laivos de drama SÃO FORTES – e nem preciso falar que a comédia é afiada. Outro ás de Party Down é o elenco sensacional, que parece estar se divertindo mas sem ser aquela coisa meio piada interna que bloqueia o telespectador. E as participações especiais só realçam tudo isso.

MELHORES ESTREIAS/FALL SEASON

Modern Family (ABC). Já coloquei a série como uma das comédias do ano e, portanto, ela não poderia faltar nas estreias da fall season que mais me agradaram – muito provavelmente, a que mais me agradou. Enquanto Deus e o mundo hypavam coisas como FlashForward e V, a série da ABC chegou meio timidamente e já é um dos programas essenciais da TV.

The Good Wife (CBS). Um procedural de tribunal misturando com um caso atual de esposa-de-homem-público-que-é-traída. Eu não esperava grandes coisas e talvez essa tenha sido a chave do sucesso. A série trata destes temas pesados delicadamente, é muito honesta com seus objetivos e tem um elenco muito competente – liderado pela Julianna Marguiles. Colocando assim, parece que meio seca e sem carisma, mas todos os episódios exibidos até agora conseguiram ser envolventes e bem feitos. Um pequeno sucesso da CBS.

The Vampire Diaries (CW). OK, não me atirem pedras por incluir uma série teen (ohhh!) aqui, e ainda mais de VAMPIROS TEEN, mas The Vampire Diaries meio que se apegou com todas as forças à chance que teve – com essa conjunção do destino tão favorável a esse tipo de programa por agora. A série consegue sucesso onde a maioria de suas similares falha miseravelmente – tem um trio de atores principal que consegue atuar, consegue explorar bem seus personagens secundários e lida com maior naturalidade com todas as bizarrices herdadas da série de livros que a originou. A série é carregada pelo Kevin Williamson, de Dawson’s Creek, e a Julie Plec, da bizarra Kyle XY, que estão fazendo um bom trabalho em fazer um seriado com apelo do que parecia tão um poço sem carisma a princípio.

PERFORMANCES
(comédias, dramas, coadjuvante, protagonista. 10 grandes atuações de 2009, ordem alfabética)

Bryan Cranston, Breaking Bad (AMC).

Elisabeth Moss, Mad Men (AMC).

Eric Stonestreet, Modern Family (ABC).

Glenn Close, Damages (FX).

Jane Lynch, Glee/Party Down (Fox/Starz).

Jennifer Carpernter, Dexter (Showtime).

Jon Hamm, Mad Men (AMC).

Merritt Weaver, Nurse Jackie (SHOWTIME).

Nick Offerman, Parks and Recreation (NBC).

Zach Gilford, Friday Night Lights (NBC/DIRECTV).

MELHORES EPISÓDIOS
(comédias, dramas. De acordo com a data de exibição)

Apollo, Apollo, 30 Rock, NBC.
Exibido em 26 de março.

Peekaboo, Breaking Bad, AMC.
Exibido em 12 de abril.

Taylor Stiltskin Sweet Sixteen, Party Down, STARZ.
Exibido em 24 de abril.

Now or Never, Grey’s Anatomy, ABC.
Exibido em 14 de maio.

Epitaph One, Dollhouse, FOX.
Exibido em 18 de julho.

I Will Rise Up, True Blood, HBO.
Exibido em 16 de agosto.

Niagara, The Office, NBC.
Exibido em 8 de outubro.

The Gypsy and the Hobo, Mad Men, AMC.
Exibido em 25 de outubro.

Greg Pikitis, Parks and Recreation, NBC.
Exibido em 29 de outubro.

The Son, Friday Night Lights, NBC/DIRECTV.
Exibido em 02 de dezembro.

melhores de 2009 pelo chicago tribune

True Blood,” HBO: If this show were a fashion ensemble, Tim Gunn would call it a hot mess. Still, despite its flaws and its occasional forays into true ridiculousness, “True Blood” proved impossible to resist. It offered charismatic performances from Michelle Forbes, Nelsan Ellis, Ryan Kwanten, Allan Hyde and Alexander Skarsgård, among others, and it took all the old-fashioned pleasures of a melodramatic serial and sexed them up, Bon Temps-style. The result was a hurtling, hyper, sometimes hysterically funny vampire soap opera, one that was, on occasion, more than just a bloody good time.

da lista da Mo Ryan de melhores do ano. Veja explicações complets  aqui. Destaquei True Blood porque acho que ela é uma das críticas que mais entendem True Blood. Ou, pelo menos, que entendem o apelo de True Blood da mesma maneira que eu.  Pena que não me lembro agora de uma definição que ela deu para série que simplesmente diz tudo. Vou dar uma fuçada e qualquer coisa dou update mais tarde…

A LISTA (ordem alfabética)

THE BIG BANG THEORY (CBS)
BATTLESTAR GALACTICA (SYFY)
CHUCK (NBC)
DOLLHOUSE (FOX)
FRIDAY NIGHT LIGHTS (DIRECT E NBC)
LOST (ABC)
MAD MEN (AMC)
MODERN FAMILY (ABC)
NURSE JACKIE (SHOWTIME)
PARKS AND RECREATION (NBC)
PARTY DOWN (STARZ)
SONS OF ANARCHY (FX)
TORCHWOOD: CHILDREN OF AMERICA (BBC AMERICA)
TRUE BLOOD (HBO)

american film institute escolhe 10 melhores séries de 2009

o american film institute (afi) divulgou nesta segunda-feira (14) os filmes e séries que serão premiados com o afi awards 2009.  um júri com 13 membros (acadêmicos, pessoas do meio, jornalistas) é responsável pela escolha, que engloba somente programas ficcionais.

os escolhidos na categoria TV foram (ordem alfabética):

– The Big Bang Theory
– Big Love
– Friday Night Lights
– Glee
– Mad Men
– Modern Family
– The Nº 1 Ladie’s Detective Agency
– Nurse Jackie
– Party Down
– True Blood

uma das características do afi, como se pode perceber pela lista acima, é premiar novos programas. de todos os escolhidos deste ano, somente friday night lights (aparece pela terceira vez) e mad men (terceira vez consecutiva) já foram contemplados com o prêmio.

os jurados deste ano foram: neal baer, produtor de law & order: svu; stanley brooks, produtor de sordid lives: the series; bambi gaggins, da arizona state university; l.s. kim, da university of california em santa cruz; brian lowry, da variety; david milch, roteirista e produtor de nypd blue e deadwood; lisa parks, da university of california em santa barbara; cch pounder, atriz de the shield e atualmente em brothers; matt roush, da revista TV Guide; maureen ryan, do jornal chicago tribune; ellen seiter, da university of southern california; john shaffner, presidente da academy of television arts & sicences; e robert j. thompson, da syracuse university.

teaser apresentando os escolhidos:

MEU COMENTÁRIO: tem como não amar uma lista que tem party down, true bloood, fnl e mad men? e modern family! só não entendo esse amor por tbbt, mas well.

séries novas da midseason e a fall season chega em ritmo teen

a midseason terminou parte II. aqui falarei sobre as séries DA MIDSEASON que eu vi, uma ou duas que são meio SOLTAS NO TEMPO (não são séries de midseason, mas estreiam fora das seasons) – enfim, todas estavam ACONTECENDO durante a midseason, diferentemente das do post anterior. aproveito pra comentar as séries dessa temporada de outono que já estão aí (e uns vazamentozinhos). GELEIA GERAL. abs.

Nurse Jackie

humor
: 3/5
adrenalina: zero
romance: 2/5
drama: 3/5
inteligência: 2,5/5 (rs)
showtime, renovada para segunda temporada

a série é bacaninha e tem bastante potencial. precisa, entretanto, acertar as arestas. o equilíbrio entre drama e comédio é bem precário – e nurse jackie se sai melhor fazendo comédia, em grande parte por conta da ótima zoe, em atuação sensacional da merritt weaver. o elenco, aliás, é um trunfo: a eddie falco está muito bem, o peter facinelli conseguiu alcançar um ponto muito bom pro cooper, a atriz mirim ruby jerins é uma revelação… apesar disso, é como digo: tem tudo pra ser BOA DEMAIS, mas fica entregando episódios meia boca um atrás do outro. assim não pode, assim não dá. de qualquer forma, foram 12 episódios com certa qualidade que o showtime nunca mais tinha me dado…

Hung

humor: 3/5
adrenalina: 2/5
romance: 3/5
drama: 2,5/5
inteligência: 2/5
hbo, primeira tempoda em exibição

também é uma série que vez ou outra fica boiando entre os gêneros – isso sem chegar a ser truly engraçada (você sente que é comédia, mas não ri) nem REALMENTE dramática. apesar disso, não chega a ser ruim – mas nem de longe é essa maravilha que vejo algumas pessoas aclamando. encaixo hung quando sobra um tempo, é bem easy going, os personagens são interessantes e vamos nessa. mas não passa muito disso… parece uma produção bem banal pra hbo, mas o canal mostra sua marca na direção, sempre precisa e não raro excepcional. de resto…

better off ted

humor: 3/5
adrenalina: zero
romance: 2/5
drama: 1/5
inteligência: 3/5
abc, renovada para segunda temporada

banal, rapidinha e muito gostosinha de ver. humor geralmente sutil, vez ou outra mais rasgado. brinca muito bem com as multinacionais, tem a portia de rossi destruindo como veronica e o resto do elenco também é bom. é uma sitcom, então vez ou outra as coisas podem ficar repetitivas, mas taí um programa legal… acho mais bem resolvido que hung e nurse jackie, ainda que essas duas últimas tenham mais pretensão em ser uma Série Muito Boa.

party down

humor: 4,5/5
adrenalina: zero
romance: 2/5
drama: 3,5/5
inteligência: 4/5
starz, renovada para segunda temporada

se better off ted é uma comédia digna, decente e bem feita, party down leva isso um passo adiante: é uma comédia que DESESTRUTURA. enquanto que na primeira nós sabemos que aquele pessoal por trás é inteligente e isso transparece na tela de uma maneira discreta, em party down isso transborda – fora que os próprios atores parecem estar se divertindo, sem deixar a gente que assiste de fora. é sensacional. gostei muito da ´serie e fico feliz porque vai retornar. a jane lynch saiu, chuinf, mas a jennifer coolidge segurou legal. fora que party down consegue o que, pelo que deu pra ver no que falei ds outras, é super difícil: é engraçada pra caramba mas tem momentos dramáticos foda. super recomendado.

outras “fora de época”

Weeds

humor: 3/5
adrenalina: 2/5
romance: 2/5
drama: 2/5
inteligência: 3/5
showtime, quinta temporada

mas que porra acontece com weeds? a quarta temporada já foi ANTICLIMÁTICA total (e começaram a foder com o shane, um dos personagens que mais gosto, foram pra casa do avô etc), agora vem esas quinta UÓ? estou totalmente EMPERRADA na primeira metade…. já ACABOU e eu não consigo seguir. a nancy tá o auge do personagem sem sentido (pra onde vou/de onde vim/ de onde saem as motivações dessa mulher?). ela sempre perigou um pouco nesse sentido, mas agora a merda bateu no ventilador. o andy apx na nacy VAI AO ENCONTRO de todas as coisas ruins que aconteceram com weeds. acho que virá um REST IN PEACE em breve… triste… conheço muita gente que odeia a série e sempre defendi porque tem um humor com o qual me identifico e resvala numas críticas de costume legal, mas a coisa saiu de controle…

mad men

humor: 2/5
adrenalina: zero
romance: 3/5
drama: 4/5
inteligência: 5/5
amc, terceira temporada

ahhhh, mad men. tão lindamente feita… parece uma pintura, na beleza visual, nos muitos detalhes… as atuações fora de série, o roteiro espetacular… não há muita coisa de ruim a se dizer da série. o máximo que se pode alegar é que é “lenta”. até fãs do seriado têm largado essa em fóruns. eu concordo que o primeiro episódio da temporada me deixou meio decepcionada, não de todo, mas parece se arrastar um pouco, sim… mas os dois que se seguiram, tão maravilhosamente trabalhados, e LENTOS, SIM, mostraram que ser devagar não é o problema. uma série pode ter o ritmo que for e SER BOA. a melhor palavra para descrever esses episódios é MESMERIZAR. é isso que eles fazem. vi os dois duas, três vezes, e eles esticam tanto a exploração dos personagens, acrescentam tanto sobre o que já sabemos em relação a essas pessoas, é como comer algo gostoso bem lentamente… e o passo vai devagar, mas o clima de iminência no ar, de um algo DESTRUIDOR que vai cair, fica ali o tempo todo… o vovô gene bem falou ALL HELL’S GOING TO BREAK LOOSE, e pode anotar, isso vai acontecer e vai ser EMBASBACANTE.

ESTREIAS. FALL SEASON

glee

humor: 3/5
adrenalina: zero
romance: 3/5
drama: 2,5/5
inteligência: 2,5/5
fox, primeira temporada

olha, te contar. se ficar por isso mesmo, pelo que foi mostrado até agora, vou começar a CRIAR RANCOR pela série só por ter roubado a jane lynch de party down. não é totalmente ruim, e eu sei que eles QUEREM ser um retrato irônico mas, amigão, tão exagerando na tinta. e eu não sou particularmente fã de musicais cantados, especialmente com essa coisa de CORAL… claro que é interessante, é uma novidade, e eu gostaria sinceramente de ter gostado mais… é bem feita, é meio high school musical sim, sem isso ser RUIM, e ainda acredito que tem potencial. vamos ver.

melrose place

humor
: 2/5
adrenalina: 2/5
romance: 3,5/5
drama: 3/5
inteligência: 2/5
cw, primeira temporada

de cara digo que nunca vi melrose place original, então pra mim TANTO FAZ se trouxeram uma broder que já tinha morrido pra morrer de novo nesse piloto e dar a partida à série. de boa. o que é foda é: roteiro patético, com falas horríveis na boca de um bando de ator meia boca (só salvo a katie cassidy), flashbacks inseridos a torto e a direito sem nenhum cuidado, e esse whodunit que JAMAIS vai segurar uma temporada disso ae. geral ta dizendo que é uma série “honesta” em relação aos seus propósitos e capacidades; só sei que você fica muito VA assistindo. pra dar o nível da coisa, os personagens são tão fakezões que um deles parece que saiu DA PROVA DE ROUPA naquele minuto. simplesmente é um tipo jogado ali. nem 90210, que sinceramente é bem fraquinha, é assim. em favor da série, digo que é ruim, mas não chega a ofender…

the vampire diaries

humor: 1/5
adrenalina: 2,5/5
romance: 3,5/5
drama: 3/5
inteligência: 2,5/5
cw, primeira temporada

até agora (ok, não rolou nada) é a surpresa da fall season. em grande parte, acho, porque lidava com expectativas bem baixas. eu mesma fui ver numa vibe LÁ VEM LIXO e nem é. não diria aqui pra vocês CORRAM PRA VER, É MASSA, porque também não é. as comparações são inevitáveis – crepúsculo e true blood são fenômenos desses comeback dos vampiros… em termos de LITERATURA eu não salvaria nenhuma das três franquias, mas sinceramente esse vampire diaries consegue ser PIOR do que twilight. digo isso porque twilight é tosco, mal escrito e tudo, mas tem esse ponto que exige a continuação da leitura, é meio ADITIVO e tem vários ganchos, blas. vampire diaries é só uma baboseira romântica a la sabrina malmente escrita. true blood, o livro, também não chega a AHAZAR, mas tem a narrativa nua e crua, que é interessante (já que na grande matéria dos livros, as PALAVRAS, o livro deixe a desejar). em termos de AUDIOVISUAL, pra mim, crepúsculo é o pior. até pior que os livros. só salva que tem o robert pattison (kkk). true blood é imensamente superior aos dois projetos de vampiro teen, mas é inegável que vampire diaries consegue o maior AVANÇO nessa adaptação. vendo de onde partiu, sinceramente, admito que a cw conseguiu um score… e a audiência foi um recorde pro canal justamente porque já havia interesse do público que conhecia os livros, tem também essa coisa VAMPIRA que tá cativando… desculpem a prolixidade. TO DOIDA. vamos à série.

a história da série é bem bobinha, um vampiro volta à sua antiga cidade porque uma das moradoras é descendente/reencarnação de seu antigo amor. essa garota, a protagonista, está sofrendo com a recente morte dos pais. as coisas prometem complicar quando chega o irmão bad boy do vampiro. os dois diferem nas posturas com relação aos humanos (ademais, assim como bill e geral em true blood), sendo que stefan abdicou do sangue humano (o que o torna mais fraco) e quer viver de boa na cidade. damon, por sua vez, chega tocando o terror e parece que quer desestabilizar o irmão. esse enredo é tocado adiante com muita naturalidade, algumas poucas bizarrices e com insuspeitada qualidade do elenco – especialmente de paul wesley e ian somehalder, que fazem os vampiros. é mais ou menos isso aí.

community

humor: 4/5
adrenalina: zero
romance: 2/5
drama: zero
inteligência: 3/5
nbc, primeira temporada

vi o piloto que vazou e a série promete. 22 minutos que VOAM, elenco muito bom, piadas na medida, não chegam a desrespeitar as faculdades comunitárias, fazem tudo de uma maneira muito graciosa… não tenho muito o que dizer, mas recomendo quem curte HUMOR a assistir a este seriado ok? ok. mais uma série pra engradecer o time de comédias da nbc.

retornos

90210

humor: 1/5
adrenalina: zero
romance: 3/5
drama: 3/5
inteligência: 2/5
cw, segunda temporada

nada fenomenal, admito. acho que eu que devo ter me acostumado ao padrão dessa série, então já assisto DIBOA. continua com umas coisas chatas, tipo esse relacionamento inconstante de silver-dixon, coisas out of the blue (dixon pressionando a annie só pros dois romperem e ela ficar ainda mais na lama) e AINDA temos esse problema de atuação deprimente. não dá pra gente ter pena da annie vendo a shanae grimes choramingando daquela maneira horrível… adrianna ficando deprimida ao ver os bebês também foi algo meio LAME, mas eu entendo, faz parte, faz parte. o lado bom é que agora o liam já vai voltar na fase MADURO e não vou precisar ficar me corroendo de raiva dele…

dexter

humor: 3/5
adrenalina: 3/5
romance: 2/5
drama: 3/5
inteligência: 4/5
showtime, quarta temporada

depois de sua pior temporada, é uma delícia ver dexter voltando pra casa, pras suas origens, pra QUALIDADE INABALÁVEL (ou assim espero). o piloto que vazou/foi vazado mais de um mês antes da estreia nos mostra dexter lidando com sua nova vida, em que incorporou de vez os papéis de marido e pai. vemos o psicopata tentar encaixar isso com o seu, hum, hobby preferido, e é bastante gratificante. plus pro assassino COM POTENCIAL. plus pra volta do lundy, que espero que contribua pra debby chutar o anton (pode ter o efeito contrário, though). ainda não sei o que acho de laguerta e batista, achava bacana ele com a outra broder lá, mas acho que pode ficar bom, por que não? aguardando o segundo episódio.

novidades do ausiello sobre gossip girl, 90210 e true blood

Ok. Algumas novidades divulgadas pelo Ausiello esta semana. Começando por Gossip Girl porque eu quero. E porque estava lendo agorinha essa fofoca sobre a possível sex tape da Leighton Meester. Esse pessoal nunac vai aprender? Haha.

P: Alguma novidade sobre Gossip Girl? O que há para Serena?
R: Ela ficará sem mãe na primeira fornada de episódios, por conta da licença de maternidade da Kelly Rutherford.

P: Existe um spoiler circulando que diz que Chuck irá trazer para casa uma garota, na season premiere de Gossip Girl. Isso significa que ele irá trair Blair? Ou ainda pior, que eles terminaram no verão?
R: Embora seja verdade que Blair Waldorf pegue Chuck Bass, ahem, se conectando com uma modelo na abertura em 14 de setembro, nada é o que parece.

P: Algum furo sobre 90210, por favor?
R: Como você pode ter ouvido, os adolescentes de West Beverly High terão um ponto quente de encontro no verão com C-dub trazendo de volta o Beverly Hills Beach Club. Muito como o original – que era o local favorita de Kelly, Brenda e companhia – o novo clube terá um pequeno grupo de novos personagens. Quer dizer, não é reamlente uma praia a menos que existe alguma pele para queimar, certo?

P: Dustin Milligan não irá retornar para 90210 na próxima temporada?
R: Não. Iremos aprender na season premiere, em 8 de setembro, que Ethan decidiu ficar em Montana com seu pai.

P: Aquela promo com Dominic Monaghan realmente me decepcionou. Existe alguma chance de Charlie voltar para Lost, mesmo que por alguns episódios?
R: Eu posso confirmar o que meu frenemy noticiou na segunda: há interesse dos dois lados.

P: Você tem algo sobre o remake da ABC de V?
R: Alguém que fomos levados a acreditar que seria um membro regular da série é somente um ator convidado na premiere. Pelo menos essa foi a impressão deixada após assistir ao piloto.

P: Alguma novidade sobre True Blood? Por sinal, amei que Lafayette ainda está vivo… até agora.
R: HBO acabou de divulgar os títulos oficiais e descrições dos episódios de julho de TB e eles contém alguns bons spoilers…

12 de julho – Shake and Fingerpop

Com Jessica a reboque, Bill e Sookie seguem para Dallas para continuar com a missão de reconhecimento-vampiro de Eric – mas uma surpresa espera por eles no aeroporto. No Light of Day Institute, Jason é vítima de uma pegadinha, mas pelo menos ri por último quando os Newlins o consagram para uma missão maior. Maryann dá a festa de aniversário de Tara na casa de Sookie, atraindo muito dos moradores de Bon Temps para a festança. Sam adia sua partida da cidade para comparecer à festa, conectando-se com Daphne no processo. Tendo mal escapado do Fangtasia, Lafayette se encontra relutante em voltar à órbita de Eric.
19 de julho> Never Let Me Go
Em Dallas, Sookie se conecta com alguém como ela, então se une a Bille  Eric para o ponto mais alto da estratégia para entocar o vampiro desaparecido, Godric, através de seus tenentes, Stan e Isabel. Enquanto isso, Jason mostra seu valor no campo do Light of Day e é recompensado por seu trabalho duro com um presente de Sarah. Rejeitada por Tara em seus esforços de relocação, Maryann decide jogar seu feitiço no staff do Merlotte, amolecendo Tara em relação a sua nova “família”. Eric compartilha um pequeno segredo sobre seu passado com Bill e Sookie toma uma decisão que pode resolver o mistério de Godric – ou fazé-la ser morta.

26 de julho – Hard-Hearted Hannah
Acompanhada do namorado humano de Isabel, Hugo, Sookie embarca em uma perigosa missão para localizar Godric. Enquanto isso, Bill fica choacndo quando um vampiro de seu passado distante e violento ressurge em Dallas. Em Bon Temps, Daphne pressiona Sown a ficar confortável em sua própria pele; Hoyt continua sua diferente corte a Jessica; Andy interroga Lafayatte sobre seu desaparecimento; e Tara e Eggs fazem um desvio durante uma road trip. No campo do Light of Day, Jason enfrenta dificuldades emocionais e escolhas físicas.

P: Você  pode nos dar alguma informação sobre se Jane Lynch irá retornar para Party Down na segunda temporada? Ou ela estará atarefada com Glee?
R: Vamos perguntar ao party boy Rob Thomas: “Parece improvável que nós seremos capazes de usar Jane como regular no próximo ano”, ele me conta. “Nós estamos esperançosos de que ela possa fazer pelo menos uma participação, mas nem isso estamos capazes de afirmar a este ponto”.