NBC revela nova grade de programação

A NBC continua lutando para manter a cabeça do lado de fora da água e um dia antes do começo dos upfronts liberou sua programação da próxima temporada. Como destaques, a criação de um novo bloco de comédia na sexta-feira – jogando para o dia da morte na TV “Whitney” e, mais preocupante, “Community”. Também destaco a ausência de “Smash”, que deve voltar somente na midseason (e, sim, com o Josh Safran como showrunner…)

“Nós queriamos colocar mais comédia na programação em geral”, explica Robert Greenblatt, responsável pelo schedule da emissora. “Nós achamos que vai ser bom para a saúde do canal… existe uma oportunidade para a comédia nas sextas, contanto que consigamos colocar programas que já tenham uma audiência”.

Lembrando que a NBC cancelou “Awake”, “Are You There, Chelsea”, “Harry’s Law”, “Best Friend Forever” e “Bent”. Curiosamente, apesar da notícias dadas como oficiais de que “30 Rock” foi renovada para sua temporada final, Greenblatt não confirmou isso, assim como não falou que essa seria a última de “Community” ou “The Office”, que deve voltar com todo elenco, à exceção de Mindy Kaling (que terá uma sitcom na FOX). Vamos aguardar o que será dito nos upfronts.

Aí vai a grade nova (em negrito, os novos programas)

SEGUNDA

8 PM – The Voice
10 PM – The Revolution

TERÇA

8 PM – The Voice
9 PM – Go on
9: 30 PM – The New Normal
10 PM – Parenthood

QUARTA

8 PM – Animal Practice
8:30 PM – Guys with Kids

9 PM – Law & Order: Special Victims Unit
10 PM – Chicago Fire

QUINTA

8 PM – 30 Rock
8:30 PM – Up All Night
9 PM – The Office
9: 30 PM – Parks and Recreation
10 PM – Rock Center with Brian Williams

SEXTA

8 PM – Whitney
8:30 – Community
9 PM – Grimm
10 PM – Dateline

REVOLUTION – mais uma série produzida pelo J.J. Abrams (e o Eric Kripke, de Supernatural) com uma pegada de mistério ao redor de um certo blackout.


GO ON – marca o retorno de Matthew Perry à NBC. É uma sitcom em que ele vive um locutor esportivo que começa a frequentar terapia em grupo para superar uma perda. O criador é Scott Silveri.

THE NEW NORMAL – Mais um piloto do Ryan Murphy (Glee, American Horror Story), é uma comédia sobre uma família diferente – um casal gay que contrata uma garçonete para ser barriga de aluguel e começar uma nova família

ANIMAL PRACTICE – Foi definido em algum lugar como o House para animais. Sem mais.

GUYS WITH KIDS – Título e promo autoexplicativos.

CHICAGO FIRE – Acompanha a rotina do corpo de bombeiros de Chicago e é protagonizada pelo Jesse Spencer, de House.

Anúncios

camelot

Ainda estou pensando sobre como vou levar esse blog para frente em 2011, vencendo a falta de tempo e eventual desânimo, mas por enquanto fiquem com este preview de CAMELOT, nova série da Starz que promete fazer uma releitura dos contos arturianos. Vamos ver se terei coragem de encarar algo com o Joseph Fiennes tão pouco tempo depois de FlashForward!

gossip girl chega ao meio da temporada com ameaça de fim

 

Ultimamente não tenho escrito nada de nada, mas sinto falta, vez ou outra, de vir aqui xingar os absurdos de Gossip Girl… Acho que por pior que a série fique está escrito na história que vou sempre me importar e tenho que simplesmente aceitar isso.

Tivemos, desde meu último comentário, “The Witches of Bushwick”, em que Vanessa, Jenny e Juliet tentam “acabar” com Serena com um planinho completamente idiota (e todo mundo compra, claro), “Gaslit”, em que Serena acorda drogada sem saber o que aconteceu e fica chateada por todos acharem que ela voltou pra vida, hm, radical, e “The Townie”, em que finalmente a verdade sobre Juliet e seu irmão vem à tona. Os três episódios foram de ruins para péssimos, com raríssimos bons momentos, e todas as histórias estão se encaminhando para lugares bestas. Não vai ser fácil encarar (mais essa) vilanização da Lily e eu sinceramente tô nem aí para o casamento dos pais de Nate (espero que agora a cadeia não seja mais tão central e, portanto, larguem a reabilitação do capitão) e se os casais andaram em banho maria, a promessa de voltarmos com tudo ao passado (Chuck-Blair, Dan-Serena) não me anima nem um pouco.

Gastamos metade da temporada nesse arco horrível que foi a história da vingança de Juliet. Percebam que a solução foi muito pobre (Serena, afinal, não destruiu a vida de ninguém, Lily estava por trás de tudo) e que não há nenhuma verossimilhança no irmão de Juliet. Nos flashbacks, era um jovem professor ingênuo. No presente, um homem rancoroso atrás de vingança. Poderia ser o fator tempo, mas quando Serena aparece ele se derrete em dois segundos e volta a ser um bobinho… O personagem não tem escopo. E a Juliet, então? Concordou em mentir e se envolver em uma cilada para fazer mal a quem supostamente prejudicou seu irmão mas agora devemos crer que ela é uma boa pessoa. Tudo de ruim que fez é justificável porque estava buscando uma vigança digna e tudo mais (mesmo que no finzinho ela tenha dito ao irmão que já não se tratava mais somente dele, se referindo, creio, a todo o drama – meia boca – com o Nate).

Agora a Juliet vai para o espaço e sabe-se lá o que vai acontecer nessa segunda metade de Gossip Girl, que volta em janeiro, não faço muita ideia. Largaram Jenny num limbo, Vanessa é aquela coisa tapa-buraco, Nate também funciona assim um pouco, e aí sobram os casais. Bocejo. Só não está pior que a terceira, acho, que era mais ofensiva, mas coisas como a cena toda do baile de máscaras (patética) ou de Serena e do professor (o Sam Page, no caso) “se segurando” para não se agarrarem me mataram um pouquinho.

E o que tem agitado o universo de Gossip Girl nos últimos dias é a notícia de que Leightoon Meester não pretende renovar com a série quando seu contrato se encerrar, em dois anos. Para mim isso significa não que a Blair vai sair da série (como já andaram chamando), mas que a série vai acabar, espero. Não se pode fazer Gossip Girl sem Blair ou sem Serena. É como diz a canção, amor sem beijinho, Bochecha sem Claudinho… Pode acontecer, como vi por aí, de a CW não querer largar o osso e acabar oferecendo acordos mais flexíveis para os atores, mas também não vejo muito como diminuir o tempo da Blair em cena sem lesar Gossip Girl… Teriam a coragem de ficar jogando gente nova e ir escanteando os velhos? Muita audácia, mas afinal de contas Gossip Girl é uma marca e vale mais do que fazer um spinoff (It Girl ou The Carlyles, para ficar nas séries da mesma autora). Só nos resta esperar. Dá um misto de conforto e agonia saber que os atores de Gossip Girl têm contrato de mais dois anos e que a sexta poderia ser a última da série… Embora, claro, séries como Gossip Girl não tenham esse problema de ir piorando por se arrastar. Ao que consta, GG poderia ter uma maravilhosa oitava temporada, enquanto que a terceira foi a bomba que foi. Etc. Acho que meio que por isso que não penso com alívio no caso do fim – como pensava com “Heroes”, por exemplo. Acho que eu assistiria mil temporadas esperando pelas probabilidades de um ou outro episódio em que eles azeitam tudo e fazem tudo direitinho – o que não aconteceu em nenhum momento nessa temporada.

 

Com apenas dois episódios exibidos, The Walking Dead é renovada

A AMC anunciou nesta segunda-feira (8) a esperada renovação de “The Walking Dead”, novo sucesso do canal. A segunda temporada da série terá 13 episódios. Com sua estreia no último dia 31 e somente dois episódios exibidos, TWD já é o destaque do canal a cabo – de acordo com a própria AMC, a audiência no target entre 18-49 anos, o mais importante comercialmente, foi a melhor na história da TV a cabo dos EUA.  O canal deu especial destaque ao fato de, em tão pouco tempo, a série ter chegado a 120 países, em muitos com sucesso de audiência, através da Fox International Channels (FIC). O Brasil está incluído neste pacote.

“Estamos tão orgulhoso de trazer The Dead de novo, por todo mundo”, disse Charlie Collier, presidente da AMC. Aos números: a premiere, “Days Gone Bye”, teve um total de 5.3 milhões de telespectadores. Entre o target de 18-49 anos, foram 3.6 milhões. Homens nessa faixa representaram 2 milhões de telespectadores. Já “Guts”, segundo episódio, exibido ontem, foi visto por 4.7 milhões de pessoas, 3,3 milhões na faixa entre 18-49 anos. Destes, 2,1 milhões eram homens. Nas palavras dos próprios executivos, a decisão era um “no brainer” – aquelas que a gente nem pensa duas vezes. Com números tão bons e boa recepção da crítica, era só uma questão de tempo para que a renovação fosse anunciada.

A série é baseada em uma comic book de Robert Kirkman, com produção – e até agora dois roteiros – de Frank Darabont. Sucesso aos zumbis, mas com todo esse sucesso de “The Walking Dead” será que sobrou alguma pontinha de compaixão para “Rubicon”? Nenhuma palavra oficial ainda sobre uma hipotética segunda temporada do thriller.

trailer de mildred pierce (hbo)

ainda falta muito para 2011, mas já estou na contagem regressiva para “mildred pierce”, da hbo. desde que a mini foi anunciada estou roendo minhas unhas. vai ser difícil escapas das comparações com o filme, estrelado pela joan crawford, mas pelo trailer dá para perceber que vão explorar mais aspectos que foram somente tangenciados no filme (baseado em um livro) e, de qualquer maneira, sempre um prazer ver a kate winslet arrasar – além disso, a evan rachel wood me parece que nasceu para fazer o papel de uma bitch do naipe da vita.

fringe, dexter e lone star: novos vídeos

Mais promos, teasers e até um behind the scenes da temporada que se aproxima! Novidades podem ser adicionadas neste post, mas vejamos o que já temos!

Fringe (terceira temporada volta em 23 de setembro)

Vídeo que o Showtime divulgou sobre a nova (e bombástica) temporada de Dexter:

A nova promo de Lone Star, série nova da Fox que pretendo assistir