cancelamentos e renovações – r.i.p. heroes, better off ted, mercy

Os upfronts, quando os canais devem anunciar suas programações para a próxima temporada, são semana que vem, mas antecipando isso já tivemos uma enxurrada de renovações e cancelamento esta semana. Estou toda enrolada & atrasada (como se pode perceber pela falta de atualização do blog), mas não poderia deixar de vir aqui comentar um cancelamento em especial: Heroes.

Foram duas temporadas sofridas – essa é uma maneira de olhar as coisas, para alguns foram três, mas dou um desconto para a segunda porque trouxe a Kristen Bell, haha -, mas ainda assim vejo com melancolia o cancelamento de Heroes. Eles esperaram demais para cortar a cabeça da série, mas eu sinceramente seria uma das pessoas que assistiria uma quinta temporada porque a cada nova season finale eu sentava pensando que Heroes poderia se reiventar. O fato de ser uma série meio “aberta” possibilitava que a série fizesse quase tudo – até começar do zero com outros personagens seria aceitável. Essa volta por cima não aconteceu. Pelo contrário: a quarta temporada conseguiu ir mais no fundo do poço do que os piores pessimistas imaginavam.

Ninguém pode dizer que foi uma tragédia Heroes ser cancelada – estando como estava -, mas de qualquer maneira fica aí a minha tristeza por uma série que foi, sim, muito bacana em determinado momento. Perderam a mão legal, mas fica de lembrança a belíssima primeira temporada. Eu, particularmente, nunca vou esquecer da emoção daquelas primeiros tempos da série, daquela ligação bacana com as HQs, do culto que cercou a série por um tempo, da cheerleader, do Hiro sendo legal, da confusão de ver o Jess sendo protagonista de outra série (rs)… Ainda considero, sim, a primeira temporada muito boa e dia desses comprei o box e revi o piloto, que continua sendo imaginoso e impactante. Verdade que sempre foi uma ideia antiga – herois com poderes -, mas por um certo tempo Tim Kring & cia souberam misturar todos os elementos clichês muito bem.

Portanto, R.I.P. Heroes.

Além de Heroes, a NBC cancelou também Mercy, Trauma (que foi re-cancelada, risos) e Law & Order (os derivados continuam. Sinto por Mercy, que, verdade, era uma série errática e com péssima audiência e por isso sempre esteve condenada, mas que tinha um estranho carisma, pelo menos para mim. Se fosse renovada, eu voltaria. O mesmo não posso dizer de Trauma, que parte de um plot muito espécifico e sempre achei bomba (verdade que vi só os primeiros).

Do lado da NBC, entretanto, veio a renovação antecipada de Chuck. Depois dos fãs (e críticos) terem que fazer uma campanha louca para que a terceira temporada acontecesse, a quarta veio com certa facilidade. Certamente a base de fãs forte influenciou na decisão, porque a audiência da série segue não sendo nada espetacular. Inicialmente, serão 12 episódios, podendo aumentar o número depois.

A ABC também passou a faca no pescoço de uma série que começou promissora mas degringolou – e no caso de FlashForward a decepção veio voando! Com menos de 20 episódios exibidos, a série já tinha recebido todas as críticas negativas possíveis e recebia desprezo da audiência. Certamente foi um golpe forte para o canal, que investiu muito na série (chegaram a dizer “o novo Lost”! hahaha) e a série vai terminar sem um final muito conclusivo, disse a Sonia Walger, mas o cancelamento não pega ninguém de surpresa. Em um ano, FF será uma piada ruim, uma lembrança folclórica. A série começou prometendo tudo, teve audiência de 12.47 milhões e depois de cenas cafonas e atuações paupérrimas chegou na última semana com 4.77 milhões.

Daí caíram também Scrubs – depois de uma reformulação que praticamente inventou outra série – e Better off Ted – já era favas contadas, mas ainda parte meu coração. Desde já sinto falta de Phil, Lem, Veronica, Ted, Linda. A série teve uma segunda temporada sensacional que fica como epíteto – porque a segunda temporada já foi uma proeza, considerando o quão mal foi a audiência!

A outra série pimpada da ABC, V, que também não chegou a dar SUUUPER certo mas não deu com os burros n’água como FF, foi renovada. A audiência é ok, o programa é assistível e a ABC prefere garantir isso aí, especialmente considerando que a temporada que vem não terá mais Lost. V entraria nessa FATIA do público, o que gosta de ação/ficção científica e stuff. Acho que com o fim de Lost Grey’s passa a ser o carro-chefe da ABC – Desperate chegando n’uma decadência impar, Dancing with the Star é reality etc.

As novidades no canal estão chegando, e uma delas é da própria Shonda Rhimes: “Off the Map”, mais um drama médico, foi escolhida. Se essa coisa de clínica em local tropical e exótico não aparece muito atraente, acho que vale uma conferida nem que seja pela Shonda e pela Caroline Dhavernas (Wonderfall), que está na série. O procedural forense “Body of Proof” me interessa menos, mas quem sabe? A série traz Dana Delany como uma médica perita que resolve crimes…

Vamos ficar atentos aos upfronts, às novidades e a que outros shows serão cancelados. Segunda-feira é dia de NBC e FOX, terça é a vez da ABC, na quarta a CBS e por fim a CW, na quinta-feira (a CW renovou quase tudo, está no ar somente OTH e LUX, salvo engano).

Anúncios

heroes – 04×19 – brave new world (season finale)

Para você que esperava um grande e emocionante confronto na finale de Heroes, bem, uma surpresa: o episódio foi moroso, entediante, cafona e com apenas uma semi-luta meia boca entre Samuel e Peter. Ok, pelo menos tivemos uma conclusão para história Charlie-solta-no-tempo, mas é sintomático que o melhor momento deste lamentável Volume 5 tenha sido justamente a prévia do Volume 6 (o Brave New World).

continue lendo

heroes – 04×18 – the wall

Faz sentido que Heroes queira dedicar boa parte de um episódio a explorar mais Noah Bennet. O cara é, em certo sentido, a espinha dorsal do programa. Ele sempre esteve ali, focado, os roteiristas nunca bagunçaram muito com ele. Um episódio explicando as “origens” do HGR como o conhecemos, um caçador de “especiais” é mais do que bem vindo para mim. Infelizmente, a execução não foi muito boa. No final das contas, Bennet é só um vingador clássico, com um flashback algo preguiçoso nos explicando isso.

continue lendo

heroes – 04×17 – the art of deception

Que ironia Heroes fazer um episódio chamado de “A arte da decepção”, não é? Parece até que os roteiristas têm senso de humor e fizeram a título de piada pronta, mesmo… Mas o episódio em si foi o padrão da temporada – nada gritantemente ruim (quase nada! chegaremos lá), mas ainda assim um episódio previsível, chato e com os personagens se comportando como se já não tivessem passado por tudo que passaram.

continue lendo

heroes – 04×15 – close to you

Mais um episódio fraquinho de Heroes, mas a essa altura do campeonato isso não chega a ser uma surpresa, não é? Pegam Emma, que de zero interesse no plot da série passa a ser mal utilizada, jogam Matt e Mohinder de volta na trama – os dois até ajudando na logística dos planos de Bennet, mas dá um cansaço de ver essa gente toda de novo com cara de que não vão a lugar algum, sempre meio por acaso… E ainda ficam botando um clima de estranheza entre Noah e Claire que permeia todo o episódio sem ter nem pra quê. Claro que ela estava chateada com a armação feita no caso Sylar-Nathan, claro que ela estava magoada com a morte do pai biológico, mas nunca imaginei que fosse ir além disso, quanta coisa que ela despreza que Noah já fez?

continue lendo

heroes – 04×14 – let it bleed

Como fazer um episódio ruim de Heroes? Volte a psicologizar de maneira mais rasa o seu vilão já bastante gasto, recheando com uma cena de pegação toda errada, ressalte o lado justiceiro do seu heroi e ei-lo. First things first: sei que ainda é altamente provável que boa parte dos fãs de Heroes ainda fique se apegando a Sylar, achando “foda” etc e tal. Mas adivinhe? Sylar já está absurdamente ROTO. Por quanto tempo eles acham que vão conseguir fazer esse joguinho de cachorro de cachorro correndo atrás do próprio rabo?

continue lendo