Grey’s Anatomy sem Lexie

De volta novamente e com o mesmo mote: reclamar, reclamar, reclamar. O que eu posso fazer depois de assistir a essa finale mal ajambrada de Grey’s Anatomy – que de quebra ainda mata minha personagem favorita da série já há algumas temporadas? A oitava temporada não foi muito gloriosa para fãs de Lexie – menos ainda para fãs do casal Slexie -, mas depois de ter assistido, dois episódios antes, toda a coisa da declaração, estava zero preparada para o que aconteceu aqui.
Continuar a ler “Grey’s Anatomy sem Lexie”

Anúncios

Gossip Girl, The Return of the King

Quantas vezes, e de quantos modos, poderá Gossip Girl decepcionar? Procurem aí nos arquivos e verão que minha relação com o programa é quase um hate-watching (termo que pego emprestado da Emily Nussbaum), mas infelizmente não consigo me desprender a ponto de simplesmente parar de assistir a série (sempre foi algo difícil para mim, mas o fiz com bastante sucesso, no geral, esse semestre). Então adoraria estar aqui escrevendo que para mim já deu, que não verei nenhum episódio da sexta temporada, mas não vou perder tempo mentindo. Vamos partir para o que interessa: como essa terrível season finale foi a cereja do bolo no que já não era lá essas coisas de temporada.

Tiro logo do caminho o grande “mistério” sobre quem a Blair ia escolher. Apesar de ter torcido para a série se dedicar a um casal novo que parecia interessante e apesar de nunca ter gostado de Chuck, todos os sinais começaram a ser dados de que mais uma vez, AINDA MAIS UMA VEZ, teríamos Blair e Chuck se encontrando em meio a desventuras – além da falta de esforço dos roteiristas em tratar o novo casal, que estava embolorado com dois episódios. O rei que retorna do título pode até ser, estrito senso, o Bart Bass, mas a verdade é que é o Chuck, de volta ao coração de B. OK. Mas como isso acontece, meus caros?

Com a dose usual de tramóias (vou tratar mais disso quando falar do desastre S.), um tanto de pressa e falta de consideração (era uma minoria, mas ainda existiam fãs que se dedicaram a Blair e Dan. Foi apenas usado e pronto) e sacrificando Dan para de alguma maneira fazer a transição pro status quo mais fácil? Sim, porque tiveram que jogar Dan nos braços de Serena para ficar melhor para retomar o outro casal. E, by the way, teve um término? Ou Blair simplesmente voou pra Paris e deixou Dan sendo atualizado pela Gossip Girl?

Daí que na hora H a Blair vai lá achando que vai fazer a grande revelação pra Chuck sobre como sempre o amou, e que os dois vão finalmente viver felizes para sempre, e o cara, que um bloco antes tava lá olhando anéis e pensando em reconquistar a ex, dá um passa fora porque levou uma dura do papai Bass, que disse que ele sempre colocava Blair à frente dos negócios. Essa é a versão amadurecida de Chuck, companheiros. Eu entendo que o personagem quer mostrar seu valor para o pai, mas não, né. Blair faz sua escolha na season finale e GG MAIS UMA VEZ consegue colocar ela atrás de Chuck…

A produtora Stephanie Savage disse que os roteiristas assistiram o piloto da série antes de se debruçar sobre a finale para tentar captar a essência do programa. Ela até diz que o passeio de trem de Serena no final do episódio é uma citação à clássica cena de S. chegando a Manhattan depois de sair do colégio interno. Os paralelos estão lá: Serena novamente está sozinha e sem amigos depois de meter os pés pelas mãos. Mas se naquela época S. voltava de uma época de dissipação e drogas, dessa vez ela parece estar mergulhando diretamente na vida desregrada, usando drogas, fazendo sexo com desconhecidos (era no que ia dar com aquele traficante, né?).

Nada novo aqui também. Não é a primeira vez que Gossip Girl flerta com uma queda de Serena. A Serena sofre nas mãos desses roteiristas a ponto de não ter outra maneira de encarar o personagem senão como alguém profundamente volúvel. E a volubilidade da loira esteve em alta na temporada, com toda essa coisa dela incorporar a Gossip Girl. Se no episódio anterior ela alienou Nate (e Lola ainda antes), agora foi a vez dela afastar Blair e Dan fazendo coisas como escanear o diário de B. para ter um trunfo contra ela porque estava irritava com o romance entre a amiga e o ex-namorado. E se Serena parecia ter aceitado, depois da chateação inicial, o novo casal, aqui ela voltou para a ideia de que está apaixonada por Dan. Acho que os roteiristas não tinham outra solução do que voltar a isso, né? Mas o lado esquema da S. estava a mil nesse episódio e o sexo dela e Dan serve aos dois propósitos – o amor e a armação, claro, porque ela filma tudo. Diz que deletou depois, mas vai vendo.

Piranhar Serena, ressucitar Darena/Chair e bagunçar com a amizade das duas, o triângulo central de Gossip Girl.

E Dan fica possesso por ter sido manipulado por Serena – na verdade, a loira mentiu para ele, mas ele transou com ela porque quis?? E, claro, ainda tem o o fato  de que levou um olé da Blair. Por conta disso, a última vez que vemos o Lonely Boy no episódio ele está num carro com GEORGINA SPARKS e provavelmente vai entrar com tudo no lado Malhação de GG na próxima temporada. Vamos ver o que vai acontecer, mais esquemas à vista? Só restou isso para essa série.

OUTRAS OBSERVAÇOES

– Sem comentários a Lola dando seu dinheiro da herança pra Ivy (!!!) para que ela vá atrás de Lily (!!!) porque a tia teria prejudicado sua mãe. Lola pelo jeito não vai voltar – a atriz estará em uma nova série – e vamos nós, espectadores, ficar com essa trama horrenda para encarar na sexta temporada.

– E Lily, por sinal, se tornou subitamente bígama com o retorno de Bart – e, chocantemente, resolveu retomar um casamento que já estava falido com um cara que estava se passando por morto (por qualquer motivo que seja, não interessa). Meu interesse nesse triângulo amoroso é apenas nenhum. Faz tempo que um desses três foi um personagem interessante – se é que já foram, mesmo descontando pro Bart o tempo ausente, risos.

– E a Blair assumindo a empresa da mãe, do nada? Sem comentários. Nem mesmo ainda consigo acompanhar o status profissional/estudantil desses personagens. Lembram que chegamos a ter Blair na faculdade?

– Nate parece ter uma boa pista sobre a identidade da Gossip Girl. Aposto que não dará em nada (me pareceu da entrevista da Savage pro TV Line que ela gostaria de poder desmascarar a blogueira em algum ponto, provavelmente no final, mas disse que essa revelação é maior do que a série e precisaria ser aprovada por altos escalões…)

Gossip Girl
CW
The Return of the King
Escrito por Sara Goodman
Dirigido por J. Miller Tobin

NBC revela nova grade de programação

A NBC continua lutando para manter a cabeça do lado de fora da água e um dia antes do começo dos upfronts liberou sua programação da próxima temporada. Como destaques, a criação de um novo bloco de comédia na sexta-feira – jogando para o dia da morte na TV “Whitney” e, mais preocupante, “Community”. Também destaco a ausência de “Smash”, que deve voltar somente na midseason (e, sim, com o Josh Safran como showrunner…)

“Nós queriamos colocar mais comédia na programação em geral”, explica Robert Greenblatt, responsável pelo schedule da emissora. “Nós achamos que vai ser bom para a saúde do canal… existe uma oportunidade para a comédia nas sextas, contanto que consigamos colocar programas que já tenham uma audiência”.

Lembrando que a NBC cancelou “Awake”, “Are You There, Chelsea”, “Harry’s Law”, “Best Friend Forever” e “Bent”. Curiosamente, apesar da notícias dadas como oficiais de que “30 Rock” foi renovada para sua temporada final, Greenblatt não confirmou isso, assim como não falou que essa seria a última de “Community” ou “The Office”, que deve voltar com todo elenco, à exceção de Mindy Kaling (que terá uma sitcom na FOX). Vamos aguardar o que será dito nos upfronts.

Aí vai a grade nova (em negrito, os novos programas)

SEGUNDA

8 PM – The Voice
10 PM – The Revolution

TERÇA

8 PM – The Voice
9 PM – Go on
9: 30 PM – The New Normal
10 PM – Parenthood

QUARTA

8 PM – Animal Practice
8:30 PM – Guys with Kids

9 PM – Law & Order: Special Victims Unit
10 PM – Chicago Fire

QUINTA

8 PM – 30 Rock
8:30 PM – Up All Night
9 PM – The Office
9: 30 PM – Parks and Recreation
10 PM – Rock Center with Brian Williams

SEXTA

8 PM – Whitney
8:30 – Community
9 PM – Grimm
10 PM – Dateline

REVOLUTION – mais uma série produzida pelo J.J. Abrams (e o Eric Kripke, de Supernatural) com uma pegada de mistério ao redor de um certo blackout.


GO ON – marca o retorno de Matthew Perry à NBC. É uma sitcom em que ele vive um locutor esportivo que começa a frequentar terapia em grupo para superar uma perda. O criador é Scott Silveri.

THE NEW NORMAL – Mais um piloto do Ryan Murphy (Glee, American Horror Story), é uma comédia sobre uma família diferente – um casal gay que contrata uma garçonete para ser barriga de aluguel e começar uma nova família

ANIMAL PRACTICE – Foi definido em algum lugar como o House para animais. Sem mais.

GUYS WITH KIDS – Título e promo autoexplicativos.

CHICAGO FIRE – Acompanha a rotina do corpo de bombeiros de Chicago e é protagonizada pelo Jesse Spencer, de House.