considerações sobre o emmy 2010

O Emmy deste ano teve uma boa dose de vencedores de primeira viagem – mas claro que as pessoas ainda se prendem aos inevitáveis vencedores repetidos. Além disso tivemos, claro, umas boas zebras, um bom número de abertura e dois fantasmas que não se materializaram: “Glee” e “Lost”. Ah, uma previsão se tornou realidade: a série mais premiada pelo Emmy na década saiu de mãos vazias. Foi, de fato, “o ano de 30 Rock perder”, como venho comentando há meses. Apesar disso, foi o que eu chamo de uma boa edição do Emmy. Perfeito nunca vai ser, mas, afinal de contas, é um prêmio e está aí para a gente perder tempo tacando pedra (digo apesar porque apesar de tudo sou uma groupie da Tina Fey).

A abertura (espero que o vídeo não caia instantaneamente)

continue lendo

Anúncios

no ordinary family – 01×01 – pilot

Que coisinha pobre este episódio piloto de “No Ordinary Family”, ein? Roteiro apressado, cheio de obviedades e com escolhas estranhas. Você entende quando deveria ser engraçado, mas não é, quando deveria ser emocionante, mas não é. Talvez seja só um problema de roteiro mal ajambrado, afinal de contas – tudo acontece muito rapidamente, nada é orgânico, nem temos tempo de criar nenhuma identificação com os personagens. Perto do final, já desce mais e por isso acho que deve ser um daqueles programas que melhoram com o tempo

continue lendo

fringe, dexter e lone star: novos vídeos

Mais promos, teasers e até um behind the scenes da temporada que se aproxima! Novidades podem ser adicionadas neste post, mas vejamos o que já temos!

Fringe (terceira temporada volta em 23 de setembro)

Vídeo que o Showtime divulgou sobre a nova (e bombástica) temporada de Dexter:

A nova promo de Lone Star, série nova da Fox que pretendo assistir

pôster lembra mudança de horário de the big bang theory

Uma triste lembrança de que The Big Bang Theory vai passar para as noites de quinta, massacrando Community, é o novo pôster para a quarta temporada divulgado pela CBS. Só nos resta torcer para que não seja MUITA surra a ponto de ameaçar a renovação da brilhante série da NBC. A CBS, como disse na época, foi muito sagaz ao jogar seu bloco de comédia para as quintas. É o dia mais complicado da TV? É, mas em se tratando de comédia, ainda que as da NBC sejam muito mais prestigiadas criticamente as da CBS levam a melhor em audiência. Vamos ver como vai ser este EMBATE ao longo da temporada.

Sobre esta nova temporada de TBBT não estou sabendo muito, só que o Steve Wozniak, co-fundador da Apple, gravou uma participação. No seu Facebook, Woz disse que só gente legal faz parte do programa e que todos amam o show. “As falas do Sheldon nunca são fáceis de acertar. Eu tive que diminuir o tom bastante para fazer ‘certo’”.

A série volta ao ar nos EUA em 23 de setembro.

trailer da 2ª de the vampire diaries e teaser de 90210

Setembro está na área e parece que The Vampire Diaries vai continuar envolvente, ein? Finalmente Katherine para valer.

E como ainda não tinha colocado o teaser de 90210, ei-lo (Liam+Annie! Embora <<<SPOILER>>> já vão jogar outro cara na equação, que vibe).

creative emmys

A entrega do prêmio Creative Arts Emmy Awards foi na tarde deste sábado (21) fazendo conhecer os vencedores das categorias técnicas ou mais coadjuvantes, que não têm vez na entrega do Emmy no próximo domingo.

O destaque foi mesmo a vitória de Betty White como atriz convidada em comédia, se tornando a vencedora mais velha (88 anos) da história da premiação – e ainda derrotando gente do naipe de Jane Lynch, Christine Baranski e Kristin Chenoweth. O vencedor nesta mesma categoria entre os homens foi, barbada, o John Lithgow – ao decidir entrar aqui e não em coadjuvante ele meio que se conquistou automaticamente o Emmy.

“Mad Men” e “Modern Family”, vencedores de melhor elenco – drama e comédia – saem na frente na disputa para o domingo. Com pinta de favoritos, como imaginava-se, duas produções da HBO: “The Pacific” e “Temple Gradin”.

Confira os vencedores (em negrito):
continue lendo

um pouco sobre being erica

Acabando de assistir um dos primeiros episódios de Being Erica e me pego pensando como essa série consegue ser divertida, pungente e lidar com temas complexos de maneira tão leve. A protagonista, vivida pela carismática atriz Erin Karpluk, uma trintona meio azarada que está passando por uma fase difícil na vida. Desempregada e encalhada, Erica quer dar uma reviravolta na vida e parar de se sentir aquela pessoa inteligente “desperdiçada” (sabe como é: aquela que todos achavam que daria em algo e só acumula fracassos). É impossível não se identificar.

Erica acaba conhecendo em um hospital um homem, Dr. Tom, que promete algo que parece impossível: listar os momentos dos quais ela se arrepende e aos quais credita seu fracasso atual e voltar até eles, mudando. Dr. Tom aparentemente quer lhe mostrar que as coisas são como são ou, pelo menos, que mesmo as experiências amargas tiveram algo a lhe ensinar. E o rumo das coisas, às vezes, é bem inesperado.

Nesse episódio, Erica volta ao passado para resolver um problema com um antigo professor que a deixou medrosa diante de confrontos com pessoas crueis (again: como não se identificar?). E no meio de uma cena de temor, vibe high school, Erica começa a recitar “Hit me Baby one More Time”, da Britney Spears. A diversão já começa com o professor dizendo que também tem um problema (“Preciso ouvir um dos seus ‘poemas'”), um segundo de sagacidade (Erica percebe que o professor faz aspas no ar) e segue com o recital. O professor insistindo que o nome do poema deveria ser Voice of Flame só deixa tudo melhor.

Confiram:

Só não estou muito certa, nesse ponto em que estou, dessa coisa de amor pelo velho amigo. A história apareceu muito rapidamente (mas, bom, são mesmo poucos episódios). Nada contra Ethan – ele só é o suficientemente clueless para que este tipo de trama consiga ir adiante -, mas, enfim, não me passa muita força.

“Being Erica” é uma série canadense e a história se passa em Toronto e tem apenas duas (curtas) temporadas por enquanto, mas foi renovada para a terceira. A criadora é Jana Sinyor, cujos créditos mais relevantes são em Degrassi: The Next Generation (o show é um grande hit canadense).  Assistam se tiverem oportunidade.