A SEMANA NA TV (25 a 31 de outubro)

dexter (dirty harry) – vejo que todos tão aproveitando essa gostosa temporada de dexter. opa, eu não. continuo achando que tá fraquinho e esse episódio não fez muito para mudar minha opinião. dexter conseguindo chegar a trinity em tipo 30 segundos e descobrindo, oh, que ele também é um “homem de família”… o lado família ameaçada do dexter segue sem me cativar. a rita é chatinha, claro, porque estamos acompanhando a vida do psicopata, mas de boa, é claro que ela tem razão de se ofender com as mentiras. o caso dos assassinatos de verão despertou até agora: zero de interesse. sei não, viu.

mad men (the gypsy and the hobo) – falei sobre o episódio aqui.

brothers & sisters (last tango in pasadena) – continuo achando tudo meio chatinho. esse francês que é um tipo, a doença plus recuperação do casamento da kitty, inventaram agora problemas econômicos pra holly… mas como a paige tá grande, ein? aguardando por uma melhora na temporada!

gossip girl (how to succed in bassness) – finalmente vamos voltar ao campo da FRENEMIZADE, como previam os spoilers, e também como já haviam cantados colunistas blair faz a linha bros before hos. sei nem como a audiência tá comprando essa briga, mas duvido nada a galera continuar na torcida organizada blair, que continua sendo a mais infantil do velho oeste e meio que já deu pra mim. não to aqui dizendo que serena tá mara. esse enredo de “me encontrando no trabalho” tá meio boring, mas sei lá, não tá ofendendo pela absoluta falta de criatividade e pelo eterno poder da repetição como no caso de blair… só sei que a combinação dos dois deu no que deu e PREVEJO a pior sessão de brigas entre as duas, não no sentido BOM, mas no sentido ruim aka de qualidade lamentável. a promo da blair sendo empurrada no bolo não me deixa mentir. e a jenny segue nesse clima também, REPETINDO TOTALMENTE seu arco de vontade de ser aceita/influencia vs. “ser quem ela é”. b.o.r.i.n.g.

heroes (strange attractors) – a dinâmica matt e sylar está rendendo os piores momentos da temporada de heroes, e olha que isso não é pouca coisa. enquanto assistia os dois “conversando” e matt percebendo que podia “embebedar” o outro pensei: “aqui está um belo momento para LARGAR ESSA PORRA”, pq, te dizer, não pode ficar muito pior que isso. CLARO QUE PODE, arrastem o mohinder para essa storyline, como insinuaram que farão… a parte de claire também não foi melhor. eu entendo que a brodinha lá tá querendo isolá-la, mas por quanto tempo teremos que ver essas tramas que são UM MEIO se arrastarem tanto e de modo tão desinteressante? e ainda ficam injetando essa vibe lésbica vinda do nada, como quando trancam ela e a madeline zuma no porta malas, e claire sequer dá um fora nela, insinuando que PODE SER… sei não. a terceira trama também não chega a ser boa, mas acabou sendo a melhor, retomando a parceria entre hgr e tracy, que deu um passeiozinho pelo chato mundo alternativo de carnivale – e ensaiou um encontro entre ela e nathan-falso-sylar, o q ue PODERIA ser interessante.

modern family (run for your wife) – um episódio divertidinho, apesar dessa coisa chata de ser FORA DA ORDEM (semana passada os meninos brigaram na escola e nesse teve o ACINTOSO primeiro dia de aula… c’mon, né? apesar de cada família ficar muito em SEU EIXO, sem interação com as outras, eu gostei bastante. morri com as fantasias de lily, gostei de claire e phil e também gostei do arco de manny. diferentemente de community, já sinto um afeto pelos personagens e gosto do elenco também, então aproveito com prazer até quando são episódios menores, assim. eu entendo as pessoas que se sentem REPELIDAS pela necessidade do seriado de fazer com que sempre exista um momento heartwarming, mas até isso eu gosto, kill me now.

friday night lights (east of dillon) – falarei SOON. adianto que amei.

community (introduction to statistics) – uns momentos muito bom, mas continuo sem ENGAJAMENTO com esse programa – e às raias da loucura com britta e jeff, tipo, get over this… e a maneira com que todos dependem de jeff também me irrita. eu sei que é uma comédia e força aqui e ali, que eu deveria estar de boa, mas sei lá. pelo menos to conseguindo acompanhar o programa de boa, rindo aqui e ali (e certamente a highlight do episódio foi abed de batman, mas acho que nem isso gostei tanto quanto todos parecem ter gostado).

the vampire diaries (haunted) – achei o episódio muito chato. a priori, gostava dessa ideia de transformarem alguém em vampira e a instável vicki parecia uma boa escolha, mas no final das contas achei tudo muito chato, os chiliquinhos dela, o pessoal tentando ensinar as coisas… até a tentativa de mostrar como estava sendo horrível pra ela, com a super audição, muito sujeita à iluminação, foi estragada pelo tom professoral mala de tudo e pela CAFONICE VISUAL em geral. e elena correndo atrás do irmão foi muito humrs também. o lado bom foi que mataram ela, saicu, e isso ainda: a) possibilita que matt faça a linha ENRAIVECIDO e vá pr’algum lugar agora e b) tava com medo que a morte que falaram fosse de caroline. gosto dela, gosto do casal ela e damon e espero que venha mais pela frente. episódio desapontador no geral, considerando que a série vinha numa crescente, e que esse era o “episódio da morte”.

(e eu sei que é uma piada, mas precisa bonnie ir de bruxa, vicki de vampira? rs)
(piar atuação do ian somehalder, na cena em que elena o ataca. tipo, ele geralmente segura esse papel numa boa, mas tava muito fraquinho aqui).
(a trama do pessoal da cidade vs. vampiros tá andando devagar demais. e não creio que aquela mulher não sacou a do damon. VAMPIRO ESCROTO tatuado na testa).

30 rock – desenvolverei o tema HUMOR, nova temporada de 30 rock em breve também.

the office (koi pond) – acho que a temporada deu um up, mas é dificil dizer. teve o episódio sensacional do casamento, aí veio o lamentável mafia, ai veio um bom e esse aqui é agradável, embora peque um pouco por ter storylines tão desiguais e desconectadas – especialmente porque a parte de pam e andy é meio blé. mas gostei bastante da outra, embora jim como chefe esteja repetindo a mesma dinâmica cansativa sempre. mas a listinha DO NOT MOKE foi sensacional, salvou a noite. e foi bom ver o darryl zoando as FANTASIAS de geral e michael passando sua “mensagem edificante” da noite. RS.

grey’s anatomy (give peace a chance) – achei que o episódio ia ser bem meeiro, mas foi legal, provavelmente o melhor depois de i saw what i saw. espero que grey’s encontre mesmo uma CRESCENTE, porque essa era outra temporada que não estava me agradando muito… anyways, a storyline da izzie continua me irritando muito e até imaginei que iam botar a katherine heigl pra aparecer nem que fosse pra fugir depois, mas nem… o episódio foi emocionante, engraçado, prendeu a atenção, continuou fazendo personagens relativamente secundários (lexie, arizona, apesar de terem feito a lexie se exceder 1 pouco no discurso para o avery rs) terem mais destaque e mostrarem que são, sim, interessantes. aqui, mer aparece pouco, bailey aparece pouco, alex só meio que continua lidando com a izzie-stuff (e já tão aproximando ele da nora zehetner…) e só cristina chega a aparecer mais – e ainda assim para falhar, o que é interessante. pelo jeito o relacionamento dela com o hunt vai implodir. aguardo ANSIOSAMENTE por isso.

flashforward (scary monsters and super creeps)- nossa, que episódio vergonhoso. no duro, no duro, nem serviu pra muita coisa (juntar umas pontinhas do mosaico, vermos que a janis não morreu – e aparentemente não poderá engravidar, o que contraria seu ff – e escancarar o conflito entre os benford). mas nem é o fator MEIO PARADO que me incomoda, de boa. só que nesse episódio todo mundo me incomoda – e ainda casou com um nível de atuação meio canastrã. o mark fazendo o todo moralmente ofendido por conta de algo que, até agora, foge ao controle da mulher JÁ DEU, né. a cena todo do encontro das famílias foi lame. e ele correndo atrás dos caras só porque usavam umas máscaras iguais às do ff? blé. aquele guri com “essa também é minha casa” encheu o saco, embora eu entenda que queiram mostrar que as crianças têm dificuldade de separar o que já aconteceu do que vai acontecer. e o dominic monaghan pegador-físico-quântico até agora tá só misterioso, mas não tão interessante quanto prometia. episódio que realmente faz a gente BALANÇAR…

the mentalist (red scare) – episódio AVERAGE da série. estou esperando por um daqueles grandes, com red john e tals. foi interessante para mostrar mais uma vez a recusa de jane em aceitar qualquer elemento sobrenatural e, mais que isso, qualquer possibiliadade de redenção. ele nunca vai conseguir se perdoar pela sua tragédia familiar e percorre o caminho mais difícil de luto, sem dar chance para nenhum consolo. sobre rigsby e grace, não sou uma grande fã.

FRINGE, mercy e 90210 estiveram em hiatus. continuo bem pra trás em melrose place e bored to death. e aindanão vi, infelizmente, o PARKS AND RECREATION da semana. update assim que isso acontecer! abs

top 3 episódios da semana:

1) fnl, east of dillon
2) mad men, the gypsy and the hobo
3) modern family, run for your wife

mad men – 03×11 – the gypsy and the hobo

uma das muitas coisas abissais ditas durante o tão aguardado confronto entre don e betty no episódio deste domingo de mad men foi essa: “eu vejo como você é com dinheiro. você não o entende”. o que betty quer realmente dizer com isso? don é uma nota acima ou uma nota abaixo? eu entendo que a falta de traquejo dele para a VIDA SOCIAL poderia denunciar a pobreza de don muito facilmente, e sempre ficou patente, mas nunca achei que havia nada em relação ao DINHEIRO em si.

o confronto ressoa em muitos níveis o A NIGHT TO REMEMBER, episódio em que a betty descobre uma traição de don (apenas UMA rs) e, pelo menos para mim, revive o mesmo ALÍVIO que senti assistindo a este. aquela ansiedade construída episódio após episódio, a INEVITABILIDADE dessas coisas virem à tona e a chance de uma desforra mínima que fosse por parte da betty, nem que fosse falar mais alto e exigir respostas, aconteceram aqui e ali. especialmente nesse episódio de agora, em que eu me sentia realmente aviltada pensando em betty com o PESO DA DESCOBERTA nas costas e don desrespeitosamente passeando com a professora da filha.

e eu super sei que geral não gosta de betty. a irritabilidade perene dela (“eles não me escutam” blablabla sobre as crianças), tá mais nasty do que nunca, é mimadinha e ingênua sim, mas what the hell. se tem uma coisa que não estava ali era FÁCIL. a sensação da betty de estar TRAPPED fica bem latente no episódio em que ela desenvolve um relacionamento EPISTOLAR com henry. a vida dela é estéril, em grandes partes porque ela também não encontra o que fazer de si e apesar de ter crescido para ser dona de casa, esposa e mãe não consegue encontrar FELICIDADE nesses papéis. ela inclusive é uma mãe muito menos dotada naturalmente do que don o é como pai, sem querer FACILITAR pra don, que pode ter jeito com criança mas só dá as caras, carinho e conversa quando quer, o que é pretty much DE VEZ EM NUNCA. retomando: nesse mesmo episódio vemos como é BETTY DRAPER por si mesma numa cena curta, quando ela pede para conversar em particular com o advogado da família e faz um sinal impertinente e impaciente com a cabeça para que ELE FECHE A PORTA. essa é betty. são dois segundinhos mudos que servem de MUNIÇÃO para os haters.

mas é como eu digo, me incomoda muito mais don indo pra casa da PROFESSORA DA FILHA assim que todos dão as costas, limpando a agenda para passar uma semana prazerosa com a amante… a cena do confronto em si acontece nos 15 minutos finais do episódio e apesar de ser a representação nua & crua da tensão eu não consigo evitar de RIR em alguns pontos. logo de cara, quando don entra em casa e é ATACADO por sally, percebe num segundo que a CASA CAIU (num primeiro momento, só como CHEGARAM ANTES e tals) e tenta se desvencilhar pra dar heads up pra suzanne e betty chega e dispensa a desculpa dele (chapéu esquecido) com duas frases. logo fica claro que ele não vai conseguir escapar – aquele não é só um retorno antecipado e betty não demora ao mostrar que voltou, quer conversar com ele e é sério.

a cena é absurdamente tensa PER SI, pelo confronto, por betty estar tão inesperadamente no comando e don tão absurdamente derrotado. em certos momentos, ele parece SUGADO DE ENERGIA, como se fosse cair ali e agora. e, claro, há o fato de que suzanne está do lado de fora e poderia fazer uma merda a qualquer momento ou ser vista por alguém, o que adiciona algo a mais no elemento TENSÃO. mas isso sequer parece passar pela cabeça de don. ele tem pelo menos uma boa chance de correr para alertá-la, quando o bebê chora, e é algo que vemos que NEM SEQUER SURGE FUGAZMENTE em suas idéias, de tão atordoado que ele está. ele não consegue fazer um drink, acender um cigarro, encarar betty direito. DEFETEAD. suzanne saindo do carro de noite, por sinal, é muito triste mas um pouco engraçado também. imagine que ela ficou tipo HROAS esperando? tudo bem que era pelo DON DRAPER, mas…

sequência FULMINANTE, em três quadros

betty pede para don abrir a gaveta. ele diz peremptoriamente: NÃO
betty então diz “você sabe que eu sei o que está aí dentro”.

HADOUKEN

o episódio tem seus momentos de obviedade extremas, dois que me incomodam sendo roger dizendo a annabelle que “it’s over” (falando do nome da empresa mas tendo o subtexto do caso de amor) e o segundo sendo o final, com carlton perguntando aos draper “quem eles deveriam ser” e dan parecendo atordoado com a questão (as crianças de gypsy e hobo eu vejo como uma metáfora/alegoria válida). nada disso impede o episódio de ser uma pequena obra prima. depois do anticlimax cruel da semana passada, eu mesma já pensava que betty ia sentar na informação e claramente calculei mal o quanto ela ia inferir do que achou. ela, afinal de contas, reconheceu don nas fotos e associou com os nomes escritos. era realmente uma GRANDE MENTIRA, como ela diz ao advogado, mas ainda assim a primeira coisa que ela quer tirar do caminho é a EX-ESPOSA… e quando ela pergunta se é ilegal? é uma pergunta muito ingênua e que você pensa quejamais passaria na cabeça de alguém enganada pelo marido de maneira tão profunda DESDE QUE SE CONHECEM – mas, as it turns out, pode até se reverter numa VANTAGEM ESTRATÉGICA para betty, que agora, como também bert e peter, tem informações que podem colocar don em uma situação muito perigosa, inclusive legalmente, como ela fica sabendo.

quem vocês deveriam ser?

essa mudança nas FORÇAS DE PODER da família draper é muito interessante. pela primeira vez, betty está compartilhando um mesmo nível de informação com o marido, agora além de ser ESPOSA dele ela também é a única pessoa que sabe, tão diretamente de tudo da vida dele (anna pode ser também, já que ficou insinuado que havia confiança entre eles). ela pode não ser o tipo de mulher que preencha o TIPO que don gosta – todas morenas, meio liberais, divertidas etc – , mas agora ela está em um relacionamento mais profundo com ele do que qualquer das outras já teve.

é interessante porque todos os comentaristas ficam falando sobre como na cena don flutua da sua personalidade a la DICK, aka inseguro, mais tímido, sem autoconfiança, e o lado DRAPER, que é charmoso, com mojo, domínio das situações. é uma divisão que existe, don tem os dois lados de si, como vemos claramente no episódio que ele vai pra califórnia e é totalmente DICK. só acho um erro que todos assumem que ele É dick e assume uma máscara de don; acho que o buraco mais embaixo. don é as duas coisas. ele é um cara sem autoconfiança (como fica bem claro quando ele fala de sua surpresa por betty tê-lo amado) que se forçou a assumir uma outra persona, mas essa outra persona, afinal de contas, não veio do além. está ali, faz parte dele, é ele. quando betty diz que não sabe quem ele é e não pode confiar nele, ele responde calmamente que ela sabe, sim, e ela SABE, SIM. e pelo que podemos ver vai saber mais agora (e eu adoro quando o don responde na BUCHA que seu nome é donald draper e “costumava ser dick whitman”; ele é DON, afinal de contas).

é pungente ver os dois construindo um relacionamento com mais preocupação, carinho e atenção, ainda que nesse princípio isso aconteça de maneira um pouco formal e SE MEDINDO. mas vemos don tendo a gentileza de perguntar se ela vai comer antes de pedir algo, ele encaixando uma possibilidade para que ela fique sem ele durante o haloween e ela recusando etc. de muitas maneiras, essa temporada já nos mostrou os draper mais próximos do que nunca, ainda que os dois tenham também ORBITADO muito para longe do casamento, com don voltando a ter um caso e betty flertando com essa possibilidade. desde o início, no mesmo episódio em que conhecem henry, quando se beijam ao luar inesperadamente (uma lembrança, uma tentativa de recuperar algo?), ou especialmente na viagem para a itália, que os ajudou tirando-os um pouco do contexto e ficou patente que betty pode ser, sim, mais interessante, safa e inteligente, como don APRECIA suas mulheres, até cenas como betty colocando a mão no ombro de don e dizendo que sente muito pela morte de adam. (que já vi gente achando FRIO em contraposição à ligação à beira das lágrimas de suzanne, que claramente está na fase de PAIXÃO com don enquanto betty está, opa, na fase CASAMENTO FALIDO).

anyways, não sei dizer pra onde vamos agora. don vai ficar mais dick? betty e esse lado DICK vão get along? há futuro para os dois? eu nem sei dizer se don algum dia já gostou de betty e tenho muita curiosidade sobre OS PRIMÒRDIOS do casal, porque, né. imagino que ele tenha se apaixonado pela ideia que fez dela, socialmente bem criada, pronta para ser uma esposa devotada e mãe atenciosa, praticamente uma barbie. esse inclusive era o apelo e a vibe no início da série, no piloto quando vemos don voltar para a “vida dos sonhos” que é quase um pesadelo etc – e logo vemos que para o lado dela as coisas não eram bem assim, criada de uma maneira repressora, mommy issues, crise nervosa etc. enfim. stay tunned.

_EM OUTROS ACONTECIMENTOS_
gostei muito da história de roger e annabelle. inclusive eu gostei bastante dela, mas ela está claramente GRIEVING e fez ALOKA e levou um pé que um lado de roger certamente apreciou muito estar dando… what goes around comes around. fora que as quotes dele sobre casablanca são sensacionais (“nós não estávamos em casablanca. a única semelhança é que você me deixou por outro homem” e “aquela mulher entrou em um avião com o homem que ia terminar a segunda guerra mundial, não dirigir a empresa de comida de cachorro do pai dela”). e eu acho, sim, que existe uma intenção de ligar essa conversa de THE ONE a joan. pode não ser, claro, mas as storylines são paralelas, vemos roger negar que annabelle tenha sido sua the one logo depois dele conversar com joan e gostar “de ser lembrado” e depois ele ainda liga para tentar arranjar emprego para joan e diz que se importa com ela, bla bla bla. claro que existe uma parte da REAL camaradagem e carinho que os dois sempre mantiveram, mas não vejo porque fechar os olhos para as insinuações. especialmente porque roger nunac foi tão apx em jane, apesar dele dizer para annabelle que “com essa garota é diferente”. eu acredito que ele quer acreditar nisso, especialmente considerando o que don lhe disse sobre se fazer de bobo, e quer que o casamento dê certo e está se esforçando pra isso, mas…

sobre a parte de joan e do médico, foi meio mais do mesmo (joan buscou também seguir as regras e fazer o que “deveria fazer” e acabou se amarrando num incompetente de marca maior etc), mas serviu pra fazer a história andar. o cara vai pro exército. ou matam ele, ou deixam inválido pra joan SE FUDER eternamente. ou nada disso né. rs. GUESSING GAME.

quando vão retomar toda a coisa de duck (especialmente com peggy?). e onde se meteu peter?
ABS a todos.

(morri no IS THAT YOU? DICK? primeira vez que betty disse o nome verdadeiro do marido,.)
(you’re a very very gifted storyteller, TRUE)
(a revelação é tipo TOO MUCH para betty, dá pra se notar a raiva dela e tudo, mas ela também não sabe bem o que dizer e quando espelha as questões para don, “o que você faria” etc, isso fica claro. em partes, também, meio que como depois que descobre a traição, ela sabe que foi enganada mas na verdade não tem muito pra onde correr…)
(don está tão atarantado com tudo que leva um susto quando betty pergunta de adam. ele sabe que essa foto está lá, mas é como se tivesse esquecido)
(e que tal don CHORANDO?)

(e o soninho gostoso pós tudo?)

SEMANA NA TV (18 a 24 de outubro)

* mad men (the color blue) que episódio absurdo de mad men. tenso e explosivo em seu final, depois de uma encadeamento mais LENTO (surpresa!). possível venda da sterling cooper (maneira mais fácil de trazer joan e sal de volta?), dan e seu caso que segue com CILADA tatuado, participação especial do ex-lj, de prison break, betty continuando sem ter coragem de IR ADIANTE com henry, paul descobrindo que peggy É SIM talentosa e, principalmente, betty descobrindo o que don guarda em sua gaveta trancada. o triste e irônico da história é que ela, sem o menor contexto, nem tem como saber o que REALMENTE descobriu e fica abalada e magoada é com a certidão de divórcio, que nós sabemos ser algo ÍNFIMO no passado de don… a january jones se destaca no episódio, mostrando a raiva, a frustração e uma auto-consciência maior da betty… os escritores, num ato maligno de sadismo, nos ROUBAM o confronto e constroem um anticlimax daqueles, com uma betty pronta pra briga esfriando e esfriando enquanto don não volta… será que ela vai perder a coragem? vai tentar descobrir mais? vai partir pro ataque? é hoje!

recap de 60 segundos feito pelo tv guide

* brothers & sisters (from france with love) pelo menos trouxeram a sarah de volta, mas não me agradou tanto o romance em tom de pastiche que fizeram entre ela e o francês. é claro que sarah precisava de alguém e blás, porque o plot de CORRER ATRÁS tava falido, mas sinceramente preferia o broder empresário. em outras notícias, rebecca estava um saco nesse episódio e sempre disse que essa doença da kitty era O ERRO. temporada segue morna.

* dexter (dex takes a holiday) de onde tá vindo essa conversinha de que esse episódio foi espetacular? porque um gancho e um momento de TENSÃO (o “encontro” entre lundy e trinity) não salvam 45 min de histórias meio REPETIDAS e mal contadas. fora essa coisa de mandar a família toda para fora para que dexter possa ficar mais SOLTINHO (e depois voltar a chegar à eterna conclusão de que SE IMPORTA com a família etc). debra-lundy-anton OLD NEWS. laguerta e batista não vão pra lugar nenhum e foi a parte mais chata do episódio. e aquela reporter improvável levando um pé do chatinho do quinn? todos tão meio chatinhos. e a nêmesis do dexter no episódio foi até ok. mas ele se permitir ESPERAR por ela ir até ele foi meio q. sei lá. não gostei.

* gossip girl (enough about eve, sexto episódio da terceira temporada). enough MESMO! blair não pode crescer, os roteiristas não podem parar de botar todo mundo, até personagens NOVATOS na frente da vanessa (e quando que dar uma merda de discurso ficou TÃO importante para ela?)? a verdade é que jogam a menina para todos os lados, sem preocupação com MANTER no personagem, para cumprir a função qualquer que precise ser cumprida… vergonha também de serena e nate, que enredozinho FRACO e LAME para o comeback de SERENATE. esse GRANDE SUSPENSE/DISPUTA pelo discurso realmente não segura nada… e anna espinosa como a mãe de vanessa, embora com opiniões até respeitáveis, apresentado-as da maneira mais DE REPENTE e RUDE possíveis… e o grande beijo de chuck em um cara? pfff. episódio FAIL para todo mundo, todos saem por baixo e perdem algo…

* heroes (tabula rasa) provavelmente um dos PIORES episódios ad história de heroes. isso quando eu tava começando a pensar que tava PEGANDO PESADO com a série e que essa temporada, mesmo meia boca, estava bem melhor que a terceira (BOMBA ETERNA, mas salvo engano começou melhor). sylar no acampamento carnivale com a personaliadade de nathan foi horrível, com o ex-t baggy usando a mulher-tatuagem para incentivar uma disputa TOSCA entre os caras… blé. o outros plots não foram muito melhores: hiro tentando incentivar a moça surda a aceitar seu poder (tipo, será tão dificil entender que tem gente que NÃO CURTE ESSA JOÇA?) foi o ápice da malice, canastrice (a hora que o hiro reflete que talvez tenha voltado para salvá-la é tão MAL FEITA, sem ânimo, sem credibilidade, sem nada, que morri). o terceiro plot foi meio chato mas pelo menos serviu pra algo: peter e noah indo atrás de um garoto que poderia salvar hiro e blas. serviu pro hgr recuperar um pouco a auto-estima e perceber que serve pra algo etc. episódio FALIDO.

* the good wife (crash) continuo achando a relação entre alicia e peter o elo fraco da série. e aqui eles dão uma caminhadinha na insinuação de um interesse por parte do wil… na parte FAMÍLIA do episódio, achei digno a vó levar as crianças para ver o pai. passou por cima da mãe, sim, mas alicia ta meio overwhelmed, as crianças (pelo menos o menino) demonstravam interesse em ir e, poxa, era aniversário do peter. o caso da semana foi interessante, mas ver as histórias sempre refletindo didaticamente a vida pessoal da alicia é meio sacal. episódio morno.

*mercy (you lost me with the cinder block) só digo isso: vontade de dar um murro em veronica, protagonista mais chata desde carrie e com o plus de ser SUPER OBVIA E MAL FEITA, e no brodinho também – teve as manhas de ir lá perguntar se ela ia engravidar mesmo. wtf.

* modern family (coal digger). não foi tão bom quanto semana passada, mas teve vários bons momentos e interações inéditas mais exploradas, especialmente gloria e claire, e surpresas como cameron gostar de futebol (e eles ainda brincam com o SURPRESA).

frases
“se fãs de futebol podem aprender, quão difícil pode ser?”
“como exatamente ela é ‘sua garota’?”
“ela é minha filha. você é minha esposa. vamos lembrar o que realmente importa. tem um jogo de futebol começando”.
“you’re really close to ruining gay for me”

* community (football, feminism and you) provavelmente o episódio mais fraco da série até então. mesmo com britta fazendo piada de si e a série fazendo piada dela, ela continua sendo MEGA CHATA. a melhor parte foi de pierce com o reitor criando o novo mascote, mas nem isso chega a ser assim SENSACIONAL…

* flashforward (gimme some truth). a série continua sem pagar o falatório, mas não está tão ruim quanto fazem parecer. foi interessante apliarem para mostrar uma repercussão nacional, politicagem, mas parece sim uma pisada no freio. também mostraram que a moça lá do fbi é realmenet lésbica, como estava escrito nas estrelas, e tivemos de brinde o ATAQUE CHINÊS no final. de uma cafonice IMPAR, ao som de uma versão de LIKE A ROLLING STONE. fora a TRAMA FOFOCA, com a olivia recebendo sms avisando sobre a mentira de mark – logo depois dela desconfiar e conversar com o aaron. semana que vem vai ser bom.

* grey’s anatomy (i saw what i saw). nem tão REVOLUCIONÁRIO como muita gente tem pregado e nem tão uó porque sei lá que série médica já fez. QUE SE FODAM AS SÉRIES MÉDICAS. a verdade é que esse foi o priemiro episódio bom sem ressalvas de grey’s nessa temporada, ainda que tenha sido um grey’s tão atípico. tenso, mantendo a atenção do telespectador, explorando as personalidades de cada um daqueles médicos de uma maneira precisa e bem feita. e acho absurdo criticarem os atores que fazem os “laranjinhas”. pelo menos a sarah drew (CORTADA rs) e a nora zehetner arrasam oks. espero que a nora CHEGUE CHEGANDO.

* the office (the lover) bom episódio, daqueles que dá raiva e pena de michael. claro que ele tem todo o direito de amar e quando ele pergunta “o que há de errado” com ele para ser PERSEGUIDO assim você pensa, true, ele tem suas qualidades… mas logo depois ela lança o DESCONEXO, pedindo que pam respeite o ambiente de trabalho e logo em seguida lembrando que vai ser PADRASTO dela. rs. divertido e pugente também. a trama dwight-jim também foi boa, com detalhes maravilhosos como creed chorando durante a ópera ou quando dwight vai recuperar o marreco de kelly e ryan. aprovado.

* 30 rock (into the cravasse) continuou sem muita inspiração, mas teve pelo menos um momento impagável: a versão pornô da vida de liz lemon. o ex-gob apareceu totalmenet sem forma, aqui, e foi certamente a parte mais fraca do episódio. é isso.

(fringe e mentalist estiveram em HIATU essa semana, infelizmente AINDA não vi o P&R da semana)

top 3 da semana:
1) mad men, the color blue
2) grey’s anatomy – i saw what i saw
3) 90210 – unmasked (rs! alerta vermelho! a temporada em GERAL tá bem lame, veja vc)

90210 – 02×07 – unmasked

O primeiro episódio da série HALOWEEN (semana que vem vamos ver isso DICUMFORÇA) foi legal. Acho bacana como estão conseguindo manter os episódios com histórias paralelas (Gossip Girl por exemplo AFUNDOU Nate e tals). Claro que isso também faz que com Annie parece estar em OUTRO PLANETA, mas eles até tiram isso meio de letra, na única cena em que Annie aparece com alguém VELHA GUARDA, quando vemos como ela e o irmão estão distantes, se observando só de longe, sem saber direito o que está rolando na vida um do outro.

Essa parte da Annie tá um saco porque um episódio atrás ela estava toda reticente com o Jasper e agora está meio apx a ponto de fazer algo ILEGAL para agradá-lo e participar de seu filminho B. Nenhum sentido. E afinal de contas psicopatas são um saco dessa maneira high school. de resto, vemos uma das histórias preferidas do público totalmente ON HOLD, já que Navid nem aparece nessa semana e Adrianna apenas repete o papel de arrependida. E vamos à DANÇA DE CASAIS. Acho legal que tentem variar e por enquanto não tá parecendo aquela coisa de todo-mundo-com-todo-mundo, eu não senti essa vibe, foi tudo com naturalidade e blas. E sinceramente, sei que essa história ainda tá viva, mas não gostaria que voltassem Naomi e Liam nem muito menos Dixon e Silver. Então ver Naomi investindo a sério na sua vida amorosa pós-Liam é interessante, ainda que Jamie seja meio que UMA CARTA EM BRANCO.

E ver um potencial interesse amoroso para Liam também é bacana, porque até o final da primeira temporada ele não era assim TÃO CAIDINHO pela Naomi (deletaram isso, mas ele tinha um flerte com a Annie, sim). A Ivy infelizmente é interpretada por uma atriz muito fraquinha, mas vejamos o que sai dai. O pior casal, claro, é Ted e Silver. Fizeram tudo direitinho, mas eu tenho uma agonia ILIMITADA desse cara. E por fim iam ENTERRAR Dixon e Sasha e surgiram com essa coisa da gravidez, que vai ser o plot que acompanharei no AUTOMÁTICO, com certeza.

ps – triângulo Harry/Deb/Kelly? peço pra sair.

90210
CW
Segunda temporada
Episódio sete
Escrito por Jennie Snyder Urman
Dirigido por J. Miller

A SEMANA NA TV (11 a 17 de outubro)

breves comentários sobre os episódios dessa semana na tv americana. vou atualizar em breve, espero, nas que estou atrasada (melrose place (rs).

ABS
*mad men (wee small hours, nono episódio da terceira temporada) episódio abissal. SAL INDO EMBORA parte meu coração. e o don? perdeu toatlmente o mojo nessa fase DICK RELOADED. tudo tá dando meio errado para ele e agora, num mesmo episódio, foi ao céu e ao inferno com o conrad hilton. aquele pôster da temporada, com o dan AFOGANDO, faz mais sentido do que nunca agora. e como um VICIADO ele vai se refugiar num caso, aqui com a professora, que segue o seu padrão para mulheres (para as amantes, no caso, todas O OPOSTO da esposa betty): morena, liberada, libertária, um pouco artística, personalidade forte. CILADA DEMAIS ir ter um caso NA RUA EM QUE VIVE. fora que essa professora é meio ALOKA. olha, não me surpreenderia se isso BACKFIRED. já betty também tenta dar suas escapadas, mas ela é muito infantil/ingênua/romântica e A FEIA REALIDADE das coisas a assusta – acaba dando pra trás diante da ideia de IR A UM MOTEL e afins. no mais: não podemos ficar sem JOAN e SAL né. no aguardo. e vejam vocês ROGER STERLING é a voz da razão aqui. e o harry tá mais INCOMPETENTE do que nunca.

* brothers & sisters – perdão, ainda estou catching up com essa temporada, então farei comentários genéricos sobre os dois primeiros episódios. tá meio TOO MUCH, né. justin MAIS UMA VEZ tendo problemas de auto confiança, que malice. nem gosto muito do robert, mas deu uma pena dele na hora que o justin foi jogar os cachorros lá… tipo, assume, cara. robert caiu na CILADA dessa família rs. e essa coisa da kitty ficar doente para unirem o casal? ew. kitty doente, DUPLICA a chatice. e scott sempre EM DÚVIDAS, e a rivalidade rebecca x ryan, e o ryan sendo DÚBIO e CHATO como sempre. plus POUCO DA SARAH. gostei muito desse começo, não. só to gostando da dinâmica holly x nora.

*dexter (blinded by the light, terceiro episódio da quarta temporada) – temporada que começou promissora mas já está me cansando também. os problemas de dexter com sua vida DOMÉSTICA atingem um pouco as raias da irrealidade aqui, o caso do assassino vai andando devagar e só temos coisas ON HOLD, como o relacionamento chato de laguerta e batista, quinn informando a jornalista (será possível afzer sexo por informações POLICIAIS? tipo, a parte MENOS NOBRE DO JORNAL?), debra obviamente ainda apx no lundy, blablabla.

* gossip girl (rufus getting married, quinto episódio da terceira temporada) – episódio vergonhoso, se considerarmos a bola QUICANDO NA ÁREA para um bom drama. achei totalmente sem emoção o momento VERDADE entre rufus, lily e scott (e em alguns momentos, muito VA). a kelly rutherford parece que tá meio ALHEIA a tudo. aquela coisa de lily e rufus ainda encontrarem espaço para ter uma CRISE a essa altura do campeonato foi muito deprimente. e os diálogos? horríveis. o episódio só serviu para reativar – e logo desativar – georgina e para tirarmos bree e carter de cena de UMA CARTADA SÓ. abrindo caminho para serena+nate novamente? pelo menos teve o SONIC YOUTH.

* heroes (hysterical blindness, episódio cinco da quarta temporada). LAME. uma parte de mim asbe que essa quarta temporada não está tão ruim assim como, digamos, a terceira esteve. mas não tenho mais paciência pra metade das coisas que heroes faz e continuo esperando UM MILAGRE. esse episódio até deu uma diminuida no ritmo para tentar explorar mais os personagens, mas nathan no sylar? really? e peter apx pela moça surda? e a gretchen ALOKA? e o pessoal uó de carnivale? blé.

* the good wife (fixed, quarto episódio da primeira temporada) gostei muito do episódio. tem suas coisas PAUNOCU, a série, e fica meio didática a maneira como estabelecem o paralelo entre alicia e a esposa do cliente paraplégico, mas o caso foi envolvente, vemos alicia colaborando com a defesa do marido, tivemos mais diane e finalmente fico um pouco aliviada de ver um algo que LEMBRE que havia um elo entre peter e alicia. porque não sei, não consigo enxergar muito, é a situação, eu sei, mas há uma falta de cumplicidade total.

* modern family (the incident, quarto episódio da primeira temporada) continua gênia, gata demais. a shelley long se encaixa perfeitamente no episódio, como mãe de claire e mitchell, o cameron tá DESTRUINDO no episódio, phil tem direito a uma frase hilária (“i’ve got gloria”) e, é claro, ainda temos aquela música no final, do dylan. clássico instantâneo, a cena, ainda que esse episódio tenha sido mais fraco que o da semana anterior.

* mercy (pulling the goallie) veronica sendo veronica no que ela tem de pior. nunca tenho muito a dizer sobre essa série. é bem ruim, geral é mal feito, a protagonista é irritante… continuo assistindo porque tem, sim, uma coisa catchy – como a série de livros crepúsculo, for that matter. enfim…

* community – ainda não estou vendo semana a semana, especialmente porque deu uma enjoada para mim. gostei muito do piloto, mas o jeff simplesmente já tá TOO MUCH e eu fico torcendo pra britta (que também não é muito melhor que ele mas é mais AUTO CONSCIENTE) jamais ceder. e não acredito que eles esperam que a audiência fique envolvida NISSO. ainda assim, têm bons momentos e eu gosto bastante do senor chang (tudo que o ken jeong toca vira ouro), mesmo sendo também repetitivo e meio mais do mesmo.

* the vampire diaries (lost girls) – episódio bem mais ou menos, mas foi bom pra abrir logo o jogo pra elena e pontuar que o pessoal mais velho não é tão clueless quanto parecia até agora… sobre a decisão de VAMPIRIZAREM vicki, bom, sei não. ela é uma personagem volátil e deve ficar PURA CILADA enquanto vampira, para sufoco de stefan… aguardando.

* flashforward (black swan, quarto episódio da primeira temporada) episódio pura ENCHEÇÃO DE LINGUIÇA. nem creio que teve gente que gostou. destaco aqui o que teve DE BOM: a cena inicial, praticamente um videoclipe, que além de ser visual e sonoramente bacana serve para recuperar um pouco a sensação de TRAGÉDIA do apagão; outra cena bem dirigida e sonorizada no meio, durante a perseguição ao traficante (pena que fora isso era uma cena CRETINA, com o cara guardando drogas numa MALA NUCLEAR aka pura forçação de barra); e, por fim, o cliffhanger, quando vemos o dominic monaghan pela primeira vez e descobrimos que o pai do garotinho/possível interesse da olivia tem CULPA NO CARTÓRIO. mas que saco ficar REVENDO os mesmos ff TODOS EPISÓDIOS, né. e aqui é aquela velha luta sobre o quanto as visões são verdadeiras e o quanto devemos nos basear no futuro aqui NO PRESENTE. olivia tenta resistir e sinceramente cheguei a pensar que ela ia deixar o cara morrer para PROVAR UM PONTO, mas ela dá pra trás. por mais que ela resista, mandando por exemplo o garotinho e o pai para outra ala, o DESTINO trata de trazê-los de volta. já mark diz a dimitri que eles VÃO EVITAR esses futuros, só não sei como ele acha que vai fazer isso já que está agindo totalmente em prol DO QUE VIU…

* fringe (dream logic, quinto episódio da segunda temporada) mais um episódio de MONSTRO DA SEMANA, mistérios no freio, olivia se batendo para superar a morte do charlie, enfim, fora a sacada da história de PETER vs PESADELOS não teve nada de demais. ainda assim, foi um episódio divertido, como tem sido a maioria da temporada – embora esteja meio ruim em RESOLVER as coisas, mostrar soluções, como com o AGUARDADO encontro entre olivia e william bell, qeu foi FRUSTRANTE demais.

* grey’s anatomy (invasion, quinto episódio da sexta temporada) o episódio corre em clima de GUERRA, que é um pouco chato e um pouco estimulante. eu só não consigo parar de pensar nisso tudo como um recurso para a) poder liberar atores (essa semana foi a katherine heigl) por algum tempo, b) poder inserir gente nova e ir acostumando a audiência à rotatividade. os novatos são muito exagerados ou em sua MALDADE ou em sua CAPACIDADE. vamos esperar. mas eu adoro a nora zehetner!

* the office (mafia, sexto episódio da sexta temporada, já que os produtores contaram NIAGARA como dois). episódio fraquinho, sem jim e pam, com oscar sendo a VOZ DA RAZÃO e dwight, michael e andy comandando o circo. é como se a sexta temporada tivesse voltado ao seu ritmo original, que eu pelo menos to achando meia boca, depois do HISTÉRICO niagara.

* 30 rock (season 4, primeiro episódio da quarta temporada). não foi um grande ÁPICE da série, mas o episódio satisfaz e tem vários bons momentos. adorei a dinâmica liz-pete tentando encontrar um novo ator para o programa (e os dois fingindo que têm um caso) e o plot de tracy buscando SE RECONECTAR é demais. aprovado. bom matar as saudades.

* the mentalist (red menace) – não foi grandes coisas e em boa parte do episódio eu realmente acreditei que a lisbon tinha surtado e a série ido pro lixo. porque o surto dela foi um lixo… mas realmente, essa série é muito difícil de CAMINHAR no longo, eles dosam muito, é uma ceninha aqui, outra ali… e desde o início da temporada estamos vendo a lisbon meio NOIADA e aqui insinuam em DEFITIVO o casal lisbon-patrick jane, que espero que nunca vá pra frente.

top 3 da semana
1) mad men, wee small hours
2) modern family, the incident
3) the good wife, fixed

gilmore BACK

não, gilmore girls não vai voltar. e as piadas da lauren graham sobre um filme não passam disso, piadas. mas, amiguinhos, já que não podemos ter o MELHOR DO MELHOR, seremos agraciados com os talentos individuais seguindo em NOVAS EMPREITADAS. verdade que a amy sherman-palladino teve sua O RETORNO DE JEZEBEL JAMES, que fracassou fragorosamente (não era grandes coisas, mas era ok) e aquela ensaiada da volta da lauren no BRIDGET SHOW teve destino semelhante, mas agora as coisas parecem que VÃO.

a ASP ficará a cargo de uma comédia para a HBO também no nicho FAMILIAR – deve tratar do relacionamento entre três irmãs adultas, todas escritoras, que moram em uma apartamento com a LITERATA mãe, que parece gostar só do IRMÃO (bendito fruto etc). é isso. ainda não tem nome, atores, datas, nada. AGUARDEMOS, pois.

já a lauren graham acabou caindo em PARENTHOOD, devido às fatalidades da vida: o papel era da maura tierney, que teve que se afastar por conta de um câncer, e depois SABE-SE LÁ PORQUE, a helen hunt, que deveria substituí-la, deu pra trás. de helen hunt para lauren graham???? tipo, mil porcento de melhora? a lauren será SARAH e a bem da verdade o papel CHEIRA UM POUCO A LORELAI, assim de longe… mãe solteira e blas. mas segundo a lauren disse pro ausiello,<a href=”http://ausiellofiles.ew.com/2009/10/16/exclusive-gilmore-girl-lauren-graham-on-her-big-tv-comeback/”&gt; a VIBE É OUTRA</a>. detalhe importante: o jasom katims, produtor de FRIDAY NIGHT LIGHTS, está à frente do projeto. FATALITY. SEM MAIS.

90210 – 02×06 – wild alascan salmon

Episódio médio, mas é evidente que a segunda temporada está um nível acima da primeira. Só tão demorando demais pra desenrolar a história de Annie com aquele maluco. e, na verdade, o TOM desse episódio foi a VOLUBILIDADE. A Annie desiste de sair com o cara porque o FREAK que tirou fotos dela nua a alerta, daí OPA ela decide sair com esse idiota e depois termina novamente inclinada para o outro.

Enquanto isso, adrianna termina com navid e na mesma noite já manda sms para ted e quando esse mostra que só quer CURTIÇÃO e nada sério ela acha que “cometeu um erro” – se o cara quisesse namorar então tudo bem, né? só que ted faz o que TEM ÉTICA (ou que gosta de ver o circo pegar fogo) e alerta navid, que não a aceita de volta (agora, ao menos). FAIL. mas não supera a maior fail do episódio, a insinuação do romance kelly e harry. MORRI NISSO OKS.

90210
CW
Segunda temporada
Episódio seis
Escrito por Mark Driscoll
Dirigido por Liz Friedlander