cancelamentos e renovações – r.i.p. heroes, better off ted, mercy

Os upfronts, quando os canais devem anunciar suas programações para a próxima temporada, são semana que vem, mas antecipando isso já tivemos uma enxurrada de renovações e cancelamento esta semana. Estou toda enrolada & atrasada (como se pode perceber pela falta de atualização do blog), mas não poderia deixar de vir aqui comentar um cancelamento em especial: Heroes.

Foram duas temporadas sofridas – essa é uma maneira de olhar as coisas, para alguns foram três, mas dou um desconto para a segunda porque trouxe a Kristen Bell, haha -, mas ainda assim vejo com melancolia o cancelamento de Heroes. Eles esperaram demais para cortar a cabeça da série, mas eu sinceramente seria uma das pessoas que assistiria uma quinta temporada porque a cada nova season finale eu sentava pensando que Heroes poderia se reiventar. O fato de ser uma série meio “aberta” possibilitava que a série fizesse quase tudo – até começar do zero com outros personagens seria aceitável. Essa volta por cima não aconteceu. Pelo contrário: a quarta temporada conseguiu ir mais no fundo do poço do que os piores pessimistas imaginavam.

Ninguém pode dizer que foi uma tragédia Heroes ser cancelada – estando como estava -, mas de qualquer maneira fica aí a minha tristeza por uma série que foi, sim, muito bacana em determinado momento. Perderam a mão legal, mas fica de lembrança a belíssima primeira temporada. Eu, particularmente, nunca vou esquecer da emoção daquelas primeiros tempos da série, daquela ligação bacana com as HQs, do culto que cercou a série por um tempo, da cheerleader, do Hiro sendo legal, da confusão de ver o Jess sendo protagonista de outra série (rs)… Ainda considero, sim, a primeira temporada muito boa e dia desses comprei o box e revi o piloto, que continua sendo imaginoso e impactante. Verdade que sempre foi uma ideia antiga – herois com poderes -, mas por um certo tempo Tim Kring & cia souberam misturar todos os elementos clichês muito bem.

Portanto, R.I.P. Heroes.

Além de Heroes, a NBC cancelou também Mercy, Trauma (que foi re-cancelada, risos) e Law & Order (os derivados continuam. Sinto por Mercy, que, verdade, era uma série errática e com péssima audiência e por isso sempre esteve condenada, mas que tinha um estranho carisma, pelo menos para mim. Se fosse renovada, eu voltaria. O mesmo não posso dizer de Trauma, que parte de um plot muito espécifico e sempre achei bomba (verdade que vi só os primeiros).

Do lado da NBC, entretanto, veio a renovação antecipada de Chuck. Depois dos fãs (e críticos) terem que fazer uma campanha louca para que a terceira temporada acontecesse, a quarta veio com certa facilidade. Certamente a base de fãs forte influenciou na decisão, porque a audiência da série segue não sendo nada espetacular. Inicialmente, serão 12 episódios, podendo aumentar o número depois.

A ABC também passou a faca no pescoço de uma série que começou promissora mas degringolou – e no caso de FlashForward a decepção veio voando! Com menos de 20 episódios exibidos, a série já tinha recebido todas as críticas negativas possíveis e recebia desprezo da audiência. Certamente foi um golpe forte para o canal, que investiu muito na série (chegaram a dizer “o novo Lost”! hahaha) e a série vai terminar sem um final muito conclusivo, disse a Sonia Walger, mas o cancelamento não pega ninguém de surpresa. Em um ano, FF será uma piada ruim, uma lembrança folclórica. A série começou prometendo tudo, teve audiência de 12.47 milhões e depois de cenas cafonas e atuações paupérrimas chegou na última semana com 4.77 milhões.

Daí caíram também Scrubs – depois de uma reformulação que praticamente inventou outra série – e Better off Ted – já era favas contadas, mas ainda parte meu coração. Desde já sinto falta de Phil, Lem, Veronica, Ted, Linda. A série teve uma segunda temporada sensacional que fica como epíteto – porque a segunda temporada já foi uma proeza, considerando o quão mal foi a audiência!

A outra série pimpada da ABC, V, que também não chegou a dar SUUUPER certo mas não deu com os burros n’água como FF, foi renovada. A audiência é ok, o programa é assistível e a ABC prefere garantir isso aí, especialmente considerando que a temporada que vem não terá mais Lost. V entraria nessa FATIA do público, o que gosta de ação/ficção científica e stuff. Acho que com o fim de Lost Grey’s passa a ser o carro-chefe da ABC – Desperate chegando n’uma decadência impar, Dancing with the Star é reality etc.

As novidades no canal estão chegando, e uma delas é da própria Shonda Rhimes: “Off the Map”, mais um drama médico, foi escolhida. Se essa coisa de clínica em local tropical e exótico não aparece muito atraente, acho que vale uma conferida nem que seja pela Shonda e pela Caroline Dhavernas (Wonderfall), que está na série. O procedural forense “Body of Proof” me interessa menos, mas quem sabe? A série traz Dana Delany como uma médica perita que resolve crimes…

Vamos ficar atentos aos upfronts, às novidades e a que outros shows serão cancelados. Segunda-feira é dia de NBC e FOX, terça é a vez da ABC, na quarta a CBS e por fim a CW, na quinta-feira (a CW renovou quase tudo, está no ar somente OTH e LUX, salvo engano).

Anúncios

mercy – 01×18 – of course i’m not

O romance entre Veronica e Chris tinha um reloginho em contagem regressiva desde o dia um. A série não fez nenhum esforço em manter esse relacionamento. Chris é o tipo de cara que mudou toda sua vida para ir a New Jersey atrás da mulher com quem teve um caso no Iraque, mas falhou totalmente em entender qualquer coisa que se passou com Veronica frente aos recentes acontecimentos. Se eles vão voltar para a dinâmica triângulo amoroso, se Veronica vai voltar com o ex ou se uma terceira pessoa vai aparecer na figura, só o tempo dirá.

continue lendo

mercy – 01×17 – there is no room for you on my ass

Que episódio absolutamente fraco. Como previsto, estamos novamente às voltas com os problemas ascendentes de Veronica, que continua com dificuldades em encará-los de frente, e Chris continua se comportando como um idiota clueless. Isso é tipo Meredith Grey piorada (gosto muito mais dela agora que deixaram de lado esses “issues” de terceira). Além disso, temos inserções mal feitas de tentativas de humor (Chloe não sabendo se tinha dormido com um irmão de Veronica, a cena em si da intervenção, com meia dúzia da família desestruturada achando que era para si).

continue lendo

mercy – 01×16 – i’m fine

Episódio irregular. Enquanto tivemos uma história muito forte e que conseguiu superar os momentos de pieguice com a eutanásia da Kelly Bishop e até um bom pareamento, uma dupla que vai começando a parecer mais orgânica como dr. Briggs e Chloe, também tivemos a péssima história central com Verônica escondendo sua crise (como sempre) e tendo um relacionamento baseado em mentiras com Chris (e enquanto isso Mike é o cara que a conhece VERDADEIRAMENTE). OK, WE GET IT!

continue lendo

mercy – 01×15 – i did kill you, didn’t i?

Estava eu hoje meditando como é possível que com tanta série na fila eu pare para assistir quase que imediatamente cada novo episódio de Mercy que é exibido. Considerando o quão falha é a série, não deixa de ser um pouco espantoso o interesse que desperta em mim. Claro que assisto muita série que não é um primor, mas Mercy ainda tem uma falta inerente de carisma. Não sei explicar o que a faz ser tão aditiva, mas ela o é. E, deixando a digressão de lado, se alguém me falasse que o episódio mostraria Verônica confrontando seus problemas com um fake-fantasma do cara que acabou de matar talvez eu não me apressasse tanto para conferir esse “I Did Kill You, Didn’t I?”. Surpreendemente, entretanto, o episódio é bastante sólido e bem feito, ainda que escorregue aos 45 do segundo tempo fazendo crer que foi tudo apenas mais um (muitíssimo elabora) plano de reviravolta amorosa na vida de Verônica.

continue lendo

mercy – 01×14 – i have a date

Mercy não pode admitir uma felicidadezinha, né? Pelo menos não aqui, décimo terceiro episódio ainda, coisa e tal. Se você achava que não tinha mais como enrolar para deixar Verônica e Chris ficarem juntos, SURPRESA, botam um crime para acontecer no dia do encontro dos dois (valentine’s day) e dão um passo adiante nos traumas de Verônica.

continue lendo

mercy – 01×13 – can we talk about the gigantic elephant in the ambulance?

Depois de levar um pé do Chris, Verônica tem que respirar fundo e continuar trabalhando lado a lado com ele, sim, porque assim é a vida. E mais: um novo chefe chega na parada: Dawson, James Van der Beek! Sim, ele reaparece na televisão no papel de Joe Briggs, um médico novinho antenado meio arrogante, mas só o verniz para dar um charme!

continue lendo