palpites emmy: ator coadjuvante de drama

Uma das minhas categorias preferidas e em que absolutamente todos me parecem merecedores e no timing correto. Muito bacana ver Men of a Certain Age ter ALGUMA indicação (a única), Damages sempre conseguindo emplacar vários atores, a dupla imbatível de Lost que seguiu sendo uma das melhores coisas da série independente de tudo o mais e, é claro, Aaron Paul, que de surpresa passou para uma grata realidade em Breaking Bad, e o Jon Slattery (melhor one-liner da TV? Acho que sim).

Da grata perspectiva de alguém que vai ficar feliz no matter what nessa categoria, eis os meus pitacos.

continue lendo

Anúncios

vencedores do television critics awards (tca)

No último dia de julho, aconteceu a premiação entregue pelos críticos de televisão dos Estados Unidos aos melhores artistas e programas do ano. As escolhas acabaram sendo bastante conservadoras e similares ao que devemos ver no Emmy. Quer dizer, se a Julianna Margulies tá batendo nessa galera aqui, vai levar o prêmio de melhor atriz com a mão nas costas (os votantes são diferentes, mas). E, beleza, Glee pode ser o melhor novo programa, mas PROGRAMA DO ANO?? Dureza. E os caras meio que viraram as costas para o que foi uma impecável temporada de Mad Men (sequer indicada para melhor do ano) e deixaram Breaking Bad a ver navios perdendo para GLEE e divindindo o caneco com LOST. Bom, é só um prêmio – e certamente é um retrato do que está acontecendo na tv americana por agora.

Confiram os vencedores (em negrito):

continue lendo

palpites para o emmy: série de drama

Bom, as tão aguardadas indicações sairam e agora é só lutar contra a ansiedade & o tempo até 29 de agosto, quando conheceremos os vencedores do Emmy 2010. É só um prêmio e, claro, muito falho, mas de qualquer modo é o prêmio mais importante da televisão. Resolvi começar a palpitar nas principais categorias e vou começar logo pelo que é considerado o prêmio mais importante de todos: melhor drama.

continue lendo

Top 10: Casais

Uma das graças de assistir um seriado é poder acompanhar o nascimento, desenvolvimento e tudo o mais de um casal. Sim, eu sei que tem gente que acha um saco & perda de tempo, mas para que se negar ao prazer de uma shipperiazinha aqui e ali? Sempre fui contra quem assiste série só por shipper, até porque dificilmente essa pessoa vai conseguir ficar satisfeita, mas mantendo as coisas em perspectiva não posso negar que curto muito.

O critério dessa lista é puramente pessoal, baseado nas histórias e essencialmente na EMPATIA. Possivelmente há spoilers aí, mas só para quem não acompanha/acompanhou as séries.

continue lendo

lost – 06x16x17 – the end (series finale)

Demorei um pouco, mas finalmente vou me posicionar neste cabo de guerra que o final de Lost formou entre a audiência. Nunca fui especialmente fã da série, que considero um bom entretenimento, respeito todo mundo que achou genial, embora me pareça um pouco inacreditável, e não vou ficar tentando convencer ninguém do contrário, mas minha opinião sobre esta finale, n’um resumo: preguiçosa, cafona, um pouco desonesta e nada original (como bem pontuou o Den of Geek, se voltar para Deus é a última moda no scifi, vide BSG ou Evangelion).

continue lendo

lost – 06×13 – the last recruit

Ainda não foi um episódio que me balançou muito, mas deixe-me logo dizer isso: amo essa teimosia do Jack. Jack deixou de ser um homem de ciência e agora é claramente um homem de fé e trilha este caminho com a mesma teimosia, a impetuosidade decidida, que o guiou no outro. Ele estava disposto a deixar o mundo se explodir, mas não ia apertar o botão da escotilha, e aqui ele sabe que pode muito bem se arrepender e até morrer, mas ele precisa ir até o fim. Sua ida à ilha teve um propósito e ficar tentando fugir – bem, foi-se o tempo.

continue lendo

lost – 06×12 – everybody loves hugo

Mais um episódio em que todos se encheram de sentimentos superlativos e eu só achei ok – puxadinho pra ação e blas, ao menos caminha as coisas, mas não fez meu coração bater mais rápido. E sinceramente acho meio desonestidade intelectual (q) os produtores se pegarem com essa vibe de que tudo é amor e quererem vir pra cima de mim com esse papo de que Hurley e Libby, Charlotte e Daniel e, pfff, Charlie e Claire são grandes casos de amor. Faça-me o favor. Inclusive achei meio VA a cena em que Hurley finalmente tem seu piquenique com Libby, os dois se beijam e ele começa a se lembrar de algo. É parecido com que o vimos em “Happily Ever After” só que feito de maneira mais canhestra.

continue lendo