cancelamentos e renovações – r.i.p. heroes, better off ted, mercy

Os upfronts, quando os canais devem anunciar suas programações para a próxima temporada, são semana que vem, mas antecipando isso já tivemos uma enxurrada de renovações e cancelamento esta semana. Estou toda enrolada & atrasada (como se pode perceber pela falta de atualização do blog), mas não poderia deixar de vir aqui comentar um cancelamento em especial: Heroes.

Foram duas temporadas sofridas – essa é uma maneira de olhar as coisas, para alguns foram três, mas dou um desconto para a segunda porque trouxe a Kristen Bell, haha -, mas ainda assim vejo com melancolia o cancelamento de Heroes. Eles esperaram demais para cortar a cabeça da série, mas eu sinceramente seria uma das pessoas que assistiria uma quinta temporada porque a cada nova season finale eu sentava pensando que Heroes poderia se reiventar. O fato de ser uma série meio “aberta” possibilitava que a série fizesse quase tudo – até começar do zero com outros personagens seria aceitável. Essa volta por cima não aconteceu. Pelo contrário: a quarta temporada conseguiu ir mais no fundo do poço do que os piores pessimistas imaginavam.

Ninguém pode dizer que foi uma tragédia Heroes ser cancelada – estando como estava -, mas de qualquer maneira fica aí a minha tristeza por uma série que foi, sim, muito bacana em determinado momento. Perderam a mão legal, mas fica de lembrança a belíssima primeira temporada. Eu, particularmente, nunca vou esquecer da emoção daquelas primeiros tempos da série, daquela ligação bacana com as HQs, do culto que cercou a série por um tempo, da cheerleader, do Hiro sendo legal, da confusão de ver o Jess sendo protagonista de outra série (rs)… Ainda considero, sim, a primeira temporada muito boa e dia desses comprei o box e revi o piloto, que continua sendo imaginoso e impactante. Verdade que sempre foi uma ideia antiga – herois com poderes -, mas por um certo tempo Tim Kring & cia souberam misturar todos os elementos clichês muito bem.

Portanto, R.I.P. Heroes.

Além de Heroes, a NBC cancelou também Mercy, Trauma (que foi re-cancelada, risos) e Law & Order (os derivados continuam. Sinto por Mercy, que, verdade, era uma série errática e com péssima audiência e por isso sempre esteve condenada, mas que tinha um estranho carisma, pelo menos para mim. Se fosse renovada, eu voltaria. O mesmo não posso dizer de Trauma, que parte de um plot muito espécifico e sempre achei bomba (verdade que vi só os primeiros).

Do lado da NBC, entretanto, veio a renovação antecipada de Chuck. Depois dos fãs (e críticos) terem que fazer uma campanha louca para que a terceira temporada acontecesse, a quarta veio com certa facilidade. Certamente a base de fãs forte influenciou na decisão, porque a audiência da série segue não sendo nada espetacular. Inicialmente, serão 12 episódios, podendo aumentar o número depois.

A ABC também passou a faca no pescoço de uma série que começou promissora mas degringolou – e no caso de FlashForward a decepção veio voando! Com menos de 20 episódios exibidos, a série já tinha recebido todas as críticas negativas possíveis e recebia desprezo da audiência. Certamente foi um golpe forte para o canal, que investiu muito na série (chegaram a dizer “o novo Lost”! hahaha) e a série vai terminar sem um final muito conclusivo, disse a Sonia Walger, mas o cancelamento não pega ninguém de surpresa. Em um ano, FF será uma piada ruim, uma lembrança folclórica. A série começou prometendo tudo, teve audiência de 12.47 milhões e depois de cenas cafonas e atuações paupérrimas chegou na última semana com 4.77 milhões.

Daí caíram também Scrubs – depois de uma reformulação que praticamente inventou outra série – e Better off Ted – já era favas contadas, mas ainda parte meu coração. Desde já sinto falta de Phil, Lem, Veronica, Ted, Linda. A série teve uma segunda temporada sensacional que fica como epíteto – porque a segunda temporada já foi uma proeza, considerando o quão mal foi a audiência!

A outra série pimpada da ABC, V, que também não chegou a dar SUUUPER certo mas não deu com os burros n’água como FF, foi renovada. A audiência é ok, o programa é assistível e a ABC prefere garantir isso aí, especialmente considerando que a temporada que vem não terá mais Lost. V entraria nessa FATIA do público, o que gosta de ação/ficção científica e stuff. Acho que com o fim de Lost Grey’s passa a ser o carro-chefe da ABC – Desperate chegando n’uma decadência impar, Dancing with the Star é reality etc.

As novidades no canal estão chegando, e uma delas é da própria Shonda Rhimes: “Off the Map”, mais um drama médico, foi escolhida. Se essa coisa de clínica em local tropical e exótico não aparece muito atraente, acho que vale uma conferida nem que seja pela Shonda e pela Caroline Dhavernas (Wonderfall), que está na série. O procedural forense “Body of Proof” me interessa menos, mas quem sabe? A série traz Dana Delany como uma médica perita que resolve crimes…

Vamos ficar atentos aos upfronts, às novidades e a que outros shows serão cancelados. Segunda-feira é dia de NBC e FOX, terça é a vez da ABC, na quarta a CBS e por fim a CW, na quinta-feira (a CW renovou quase tudo, está no ar somente OTH e LUX, salvo engano).

flashforward – 01×13 – blowback

Finalmente encontrei a disposição e o estado de espírito adequados para encarar os episódios em que estava atrasada em FlashForward. Tento assistido até o dezenove, i.e. estando já acompanhando novamente no ritmo dos EUA, posso dizer que a série decresce em seu potencial bomba mas ainda está longe de ser boa. Os atores são ruins, tem muita cafonice (não-assumida, diferente de V, que brinca com essa vibe anos 80 que tem) e o roteiro simplesmente escolhe os caminhos mais ridículos de vez em quando.  Apesar disso, a dimensão de que ali no fundo, embaixo de tantos erros, EXISTE uma história que vale a pena ser contada volta a aparecer nesse final de temporada – infelizmente talvez seja muito pouco para a série, que está mais pra lá do que pra cá, dizem os palpites sobre renovação.

continue lendo

flashforward – 01×11/12 – revelation zero: part 1 & part 2

O primeiro episódio de FlashForward em 2010 foi tão ruim quanto os dez que o precederam em 2009: revelações meia bomba, personagens irritantes, uma falta de convicção geral e uma cafonice que parece que realmente vai ser inerente à série. Eles até tentam fazer umas coisas a la Lost, qeu vão desde grandes jogadas como AMPLIAR A TRAMA, redimensionando o que sabíamos, a detalhes, como largar livros de referência pelos cantos (e coitado do Vonnegut!).

continue lendo

flashforward volta a exibir episódios inéditos somente em março

pois é, amigos. o episódio exibido hoje nos estados unidos (resenhado aqui) foi o último inédito de flashforward até 4 de março. isso mesmo, MARÇO. a previsão de que a série sofresse um hiatus até janeiro foi alterada, segundo reporta o tvmojoe porque o canal pretende exibir os episódios sem reprise e evitar choques de horário com as olimpíadas, em fevereiro.

serão 24 episódios de flashforward – a menos que alguma decisão altere isto – e para fazer com que toda a temporada “caiba” no período tradicional da temporada, a abc provavelmente vai ter que exibir um ou dois episódios duplos. outra opção é realmente deixar a série se extender mais um pouquinho.

ainda não se sabe o que a abc irá transmitir nas quintas em janeiro e fevereiro. v, também da abc, retornará só em 30 de março.

flashforward – 01×10 – a561984

quem ler minhas resenhas sobre flashforward vai ver que eu sempre tive a maior fé na série e ainda que esta estivesse meio sorumbática ainda conseguia assistir aos episódios com um mínimo de interesse. pois bem. nesse décimo episódio da série parece que eu encontrei meu limite: foi muito ruim, mal feito, não envolveu… eu não vou deixar de ver porque não gosto de largar temporada pela metade, mas estou definitivamente decepcionada com a série – que foi de uma estreia promissora para uma temporada desengonçada e sem carisma.

continue lendo

flashforward – 01×09 – believe

o episódio teve uma estrutura interessante, mas a verdade é que o show não gasta muito tempo nos fazendo nos preocupar com os personagens, de maneira que não tenho muito interesse pelo bryce. anyways, foi um esforço a ser apreciado, mas fora de hora: todos estão desconectados do programa e deixar tudo correndo de lado para se centrar num caso de amor que nem sequer é cativante parece um pouco despropositado.

continue lendo

A SEMANA NA TV (8 a 14 de novembro)

mad men (shut the door. have a seat) SOON, prometo.

the big bang theory (the guitarist amplification) – nunca falei de tbbt porque eu sempre fui muito ruim de resenhar comédias, ainda sou, mas agora que tô só comentando genericamente tudo, porque não? adianto que não gosto tanto da série quanto tanta gente parece gostar. acho ok, legalzinha e uso como FILLER, assistindo quando não tenho naad melhor pra ver. fico meio enjoada, como sempre, em se apoiarem TANTO e ficarem gastando tanta energia pimping sheldon, enquanto os outros personagens poderiam usar um bom pimp… esse episódio só serve como mais um bom causo pro sheldon (e pro jim parsons) e pela piada do casal que não é casal raj+howard.

v (there is no normal anymoew) – gostei da dinâmica início de resistência, ainda que seja tudo bem didaticozinho, gostei do visitante arrependido (ou melhor dizendo, realmente pacifista), até gostei da trama JORNALÍSTICA e tals, mas continuo achando aquela EMBAIXADA DA PAZ uó. e um adolescente ser tão crédulo e tonto daquele jeito, em dias que GENTE DE 13 ANOS já é marota, me incomoda um pouco. sei que tem gente que é assim pra SEMPRE, mas wtf? muita gente abrindo as pernas (figuradamente, so far) pros vs. eu acredito que se fosse VERDADE ia ter muito mais desconfiança. tipo, galera odeia gente de OUTRO PAÍS, quero nem ver o que nego ia achar de gente de outro planeta…

community – (debate 109) – provavelmente meu episódio preferido de community. gostei muito da trama do abed, que geralmente acho exagerada, do pierce com a britta e até desse alinhamento estranho entre annie e jeff. acho que foi o primeiro episódio que me diverti a vera. way to go.

the good wife (unorthodox) – bom episódio, mas esse negócio de todo mundo, praticamente, ter uma vibe romântica com a alicia é demais. ela também é uma heroína muito flawless, será que sempre vai ser assim? foi legal perceber no final, quando o filho dela que disse pro amigo que a mãe confiava nele e tals, mente. ele poderia falar a verdade e opta por mentir, assim como, a rigor, todos os homens na vida dela.

30 rock (the problem solvers) – ligeiramente inferior ao episódio anterior, mas ainda assim muito bom. de volta ao alto nível e quantidade de piadas por minuto. continuo gostando muito das interações surreais entre tracy e jenna. o novo membro do elenco entrou numa vibe interessante. e o programa brincando com o tom romance entre liz e jack foi muito bom – e sim, gente, é AMIZADE. tina fey não cairia nessa bobagem, i think.

parks and recreation (the camel) – a competição para escolha do novo painel teve vários bons momentos (a rivalidade com o pessoal do saneamento, os próprios trabalhos do pessoal e tals), mas a JOIA fica com andy, o sempre genial chris pratt. ele junto com ron: pérola. OURO. gostei muito.

the office (murder) – eu reconheço o esforçodo episódio e o bom trabalho dos roteiristas, mas venho achando difícil me envolver com the office, às vezes. achei o grito de michael pra jim exagerado, embora eu saiba que todo o enredo foi pra mostrar que, afinal, o michael é meio louco mas tem seus trunfos no jeito com que administra as coisas… gosto do jeito com que estão trabalhando erin+andy, uma versão mais pateta (e sem noivo) de jim e pam. e sempre tem o creed para fazer suas caras impagáveis…

fringe (of human acting) – episódio interessante até a hora da reviravolta. quando começou a ficar daddy issues com aquele adolescente chato (e péssimo ator), ficou meio mala. e, nossa, sempre gostei que deram mais espaço pros outros personagens, mas já estava na hora de colocar olivia de volta no centro. fiquei esperando ela aparecer mais, até oferecer resistência ao controle mental do garoto, mas nada. bom momento com walter refletindo sobre os rumos da sua vida vs. a de william bell, e nina a massive dynamics (lembro sempre da veridian dynamics, de better off ted rs) sempre mostrando que têm outra agenda…

flashforward (playing cards with coyote) – olha, te dizer. a gente tenta e tenta, mas de vez em quando bate uma tristeza de seguir com isso aqui… poxa, mark, o cara não já SE MATOU episódio passado para provar que o futuro não está, necessariamente, nos flashforwards? daí ele vai e mata o brodinho da tatuagem e acha que fim? do mesmo jeito que ele seguiu os caras de máscara. ele acha que são únicos? mark, pr’um agente de fbi ‘cê tá meio burrinho… a janis também fica naquela indecisão, acredito ou não, blablabla, usando o caso como METÁFORA… e simon e lloyd naquele uso PÁLIDO do pôquer? e a volta da moça do afeganistão, que não resolveu nada e só trouxe mais forças conspiracionistas pra mesa? e o joseph fiennes é ou não o pior protagonista ever? tá ficando difícil…

grey’s anatomy (a new history) – olha, não foi um episódio tão forte quanto uns que passaram aí, mas foi bem legal. gostei muito dos momentos casuais e até daqueles de humor, com adelle desconfiando que miranda tinha um caso com o chefe, callie falando sobre work-husband etc. e, te contar, tem poucos fãs tão apegados a seus clichês e ao ESTÁTICO quanto os de grey’s. sério que o pessoal já não curte a teddy só porque POR 1SEGUNDO ela deu uma engrossada com a yang? oh, pecado… a teddy é obviamente uma pessoa de boa. não teve problema nenhum em admitir que yang era uma ótima médica e não ficou com raiva quando percebeu que hunt a trouxe só pra ajudar a namorada. ficou meio surpresa, apenas. pelo contrário, todo o relacionamento das duas, nesse início, foi mostrando a teddy como alguém tranquila, simples, e yang desconfiada e questionando a capacidade dela. eu queria até mesmo que ela fosse mais adiante nessa seara… o chato dessa storyline é justamente essa coisa de triângulo. porque ou o hunt é totalmente insensível e cretino e chamou alguém que sabia ter uma queda por ele para colocar nessa situação mortificante; ou ele é totalmente insensível e nunca percebeu que teddy tinha uma queda por ele e a colocou nessa situação mortificante; e teddy, de prêmio, ainda é aquela que ficou fazendo a melhor amiga esperando a casa cair para ter sua chance. eu até entendo isso, tava apx num homem casado e não quis avançar e tals. gostei dela; não sei como tem gente que captou vibes chegada-da-addison, porque ela foi claramente não-feita para a gente odiar. e hunt e cristina têm shippers? ele é de longe o personagem que menos gosto em grey’s. e yang ficaria melhor com o avery, mesmo. DIVAGO. sobre a volta da izzie, quer saber, joguem no lixo logo. lixo é ficarem forçando porque a heigl pegou umas folgas e inventarem essa briga com o alex. eu até entendo que eles não podiam perder a oportunidade para criar uma situação dramática, mas precisava tanto? não podiam fazer algo bem tapa-buraco como izzie ir visitar a mãe por qualquer motivo espúrio? essa briga é ridícula e é um prato cheio pros haters da izzie. e o pior é que fazem tanta coisa esquizofrênica com ela que nem chega a sair do personagem… só espero que depois de conectarem o alex romanticamente com a nora zehetner, não joguem a izzie praquele médico novo uó. alcoolismo do chefe: ok, mas achei a montagem muito cafona. bisou.

the vampire diaries (hitory repeating) – mais um bom episódio. eu achei que o excesso de informação sobre as bruxas e tals (não curto) ia ser tédio, mas casaram bem com a parte vampira e o passado dos irmãos salvatore. fica TENSO saber que tem uma vampirada, katherine inclusive, adormecido debaixo da igreja… o professor novo tá meio com VAMPIRO tatuado na testa e passaram essa vibe pro logan também, né? aguardando. gostei bastante de caroline e matt, quando ela meio que caiu bêbada na mesa dele episódio passado pensei VÃO JUNTAR DOIS NADA A VER só porque tão soltos na história, mas agora tá fazendo tanto sentido…

the mentalist (red bulls) MORRI DE TÉDIO. não gosto do bosco e para o único personagem que realmente NÃO GOSTA do jane e blas, acho um desperdício ser um cara tão plano e mala. o episódio serve apenas para jane começar a amolecê-lo e fazer seu caminho de volta ao caso red john. e gostaria QUE o seriado voltasse a seguir por esse caminho. poxa, NADA GRANDE SO FAR. saudade da season 1…

sem MODERN FAMILY essa semana.
top 3, por enquanto:

1) mad men – shut the door. have a seat.
2) friday night lights – in the skin of a lion
3) grey’s anatomy – a new history