palpites emmy: ator coadjuvante de drama

Uma das minhas categorias preferidas e em que absolutamente todos me parecem merecedores e no timing correto. Muito bacana ver Men of a Certain Age ter ALGUMA indicação (a única), Damages sempre conseguindo emplacar vários atores, a dupla imbatível de Lost que seguiu sendo uma das melhores coisas da série independente de tudo o mais e, é claro, Aaron Paul, que de surpresa passou para uma grata realidade em Breaking Bad, e o Jon Slattery (melhor one-liner da TV? Acho que sim).

Da grata perspectiva de alguém que vai ficar feliz no matter what nessa categoria, eis os meus pitacos.

AARON PAUL, BREAKING BAD


O Aaron Paul já foi um azarão (sua primeira indicação foi meio que surpresa), mas agora ele já está em meio a todos estes grandes atores em pé de igualdade, na minha opinião. Depois de dois anos de reconhecimento do trabalho absurdamente bom feito pelo Bryan Cranston em BB seria reconfortante ver que o não menos excepcional trabalho do Paul é reconhecido. Só acho que na última temporada o Paul teve mais o que fazer (as in: GAMA de emoções), e este ano estaria obscurecido pela dupla de Lost, mas acho que tem chances e contará com minha torcida.

MARTIN SHORT, DAMAGES


Dos candidatos, o que menos gosto – muito disso certamente vem da temporada cansada de Damages, verdade, mas a série continuou forte no que tem de melhor: atuações muito boas. Nesta temporada, sem dúvida, o Martin Short foi o destaque entre os homens como o ambivalente Leonard – dividido entre a gratidão e o ressentimento, sem saber onde apostar as fichas.

Concorre com: You Haven’t Replaced Me

TERRY O’QUINN, LOST


Gosto muito do Terry O’Quinn desde “Alias”, mas sinceramente prefiro o Michael Emerson a ele. Dito isso, está claro que os dois são favoritos e acho que o intérprete do Locke (e do FLocke, no caso) tem um palmo de vantagem, nem que seja por ter tido tão mais o que fazer na temporada – e dentro de tantas perspectivas e personagens diferntes, sempre dando conta do recado. Impressionante como ele conseguia com um simples vinco na sobrancelha se tornar ameaçador e imprevisível. Grandes chances de sair com mais um Emmy debaixo do braço.

Concorre com: The Substitue

MICHAEL EMERSON, LOST


Atual vencedor do prêmio, Michael Emerson disponta novamente como favorito ao colocar no prelo um episódio em que atuou soberbamente. Depois de seis temporadas em que nos questionamos quem é bem e o que ele pretende, de que “lado” ele está, sensacional que o personagem, e a boa atuação de Emerson, ainda consiga nos emocionar e surpreender como na cena com Ilana. Ben pode não ter tido muito o que fazer nessa temporada final, mas quando apareceu, apareceu bem.

Concorre com: Dr. Linus

JON SLATTERY, MAD MEN

john-slatteryrogersterling.jpg

Por incrível que pareça, o The Gypsy and the Hobo, que foi o GRANDE EPISÓDIO Betty vs Don, também foi muito recompensador para qualquer fã do Roger Sterling. A história da ex que volta cheia de ideias românticas e se achando a Ilsa Lund só para levar um pé na bunda é boa demais – e dá material de sobra para o Slattery desfilar todo seu charme, as linhas maravilhosas e trocadilhos que o roteiro lhe concede e coisas do tipo. Muitas vezes escape da série, o Jon Slattery surpreende em Mad Men como um homem charmoso, ainda que algo indugente, e que nos faz variar no dial entre a pena e a admiração, além do carinho profundo. Eu adoro o Roger e sei que muito disso é a interpretação na medida do Slattery – adorável. Adoraria vê-lo sair com o prêmio, mas sei que aqui ele está como underdog.

Concorre com: The Gypsy and the Hobo

ANDRE BRAUGHER, MEN OF A CERTAIN AGE


Esse é um daqueles casos em que a indicação já é o prêmio. Para uma série pequena, discreta e tímida como Men of a Certain Age, qualquer indicação já soaria como lucro – ainda que a série merecesse muito mais do que parar só com esta lembrança. A atuação do Andre Braugher é um dos destaques da série, sim, no papel do filho que trabalha para o pai e é visto por este como um fracasso. Sem rebeldias e picardias, mas com uma melancolia madura, como tudo em MoCA.

Concorre com: Poweless

Resumão
Favoritos: Michael Emerson, Terry O’Quinn
Corre por fora: Aaron Paul

Indicados no ano passado (vencedor em negrito)

  • William Shatner, “Boston Legal”
  • Christian Clemenson, “Boston Legal”
  • Aaron Paul, “Breaking Bad”
  • William Hurt , “Damages”
  • Michael Emerson, “Lost”
  • John Slattery, de “Mad Men”

Autor: carol

there ain't no catcher in the rye vamo se jogar!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s