nurse jackie – 02×01 – comfort food

Então Nurse Jackie volta depois de um gancho game changer, bombástico e de repente eles meio que fingem que aquilo nunca aconteceu. Putz, que coisa decepcionante, irritante e até meio FRAUDE. Jackie simplesmente teve uma overdose no hospital e ninguém viu, nada mudou de verdade, nada foi confrontado e até Eddie, depois de descobrir a verdade e blas, volta a se colocar na posição de pretendente. Quer dizer! No mais, a série continue naquele equilíbrio algo precário entre drama e graça, continua tendo a abertura mais obnóxia do mundo, tem suas fails, mas também mantém seus destaques, o maior deles ainda sendo a atuação da Edie Falco.

Jackie continua levando seu casamento idílico que, em certa medida, é uma farsa, obviamente. O maridão não desconfia de nada (“Melhor do que nunca”, ele diz para um desiludido Eddie, que volta a aparecer em seu bar) e o maior problema do casal ainda é a filha Grace, que está mais paranóica e ansiosa do que nunca (o que, claro, é algo irritante, mas a Ruby Jerins continua arrasando e é interessante – em compensação trocaram a gracinha da Daisy Tahan!).

No trabalho, vemos que a overdose de Jackie não teve nenhuma repercussão, então temos que imaginar que ela conseguiu passar SEM SER VISTA mais uma vez. Akalitus percebe que há um problema com a justificação dos remédios, mesmo com a máquina, e vemos como é fácil roubar durante o próprio discurso que Jackie, ironia, faz para as enfermeiras. Claro que todos sabem que está rolando roubos de remédios, mas quem está pegando é menos claro. De qualquer sorte, o enfermeiro Sam, que em um episódio passado tinha sido demitido por se envolver com drogas, volta à cena e parece que o abuso de medicamentos (e drogas em geral) vão ser mais um tema do que nunca.

Eddie, vemos, volta ao final depois de tomar uma overdose de remédios para justamente ser mandado ao hospital e chamar atenção da ex-amante. Dignidadade, cadê. Por falar em romance, Cooper chama Jackie para sair e é rechaçado, logo depois os dois se desentendem durante um procedimento médico e vemos que também a tensão entre os dois será um tema da temporada. Coop continua sendo interpretado da maneira leve pelo Peter Facineli, mas a cena dele preenchendo uma reclamação contra Jackie e chorando n’um tom meio humor diante de Akalitus é deprimente. Era para ser engraçado – tipo Rory tendo um breakdown no psicólogo (/gilmore girls), mas é só vergonhoso.

No mais, continuam jogando enquadramentos com a Virgem Maria (que aqui leva um tiro) e Jackie na igreja, naquelas alusões vazias à religião (nunca mergulharam aí). É meio que nem a abertura: remédios à exaustação, casamento, casamento em segredo e um toque de nada de religião. OBNÓXIA até o fim. Não acrescenta nada. Mas enfim. Foi uma volta bem no nível da primeira temporada, que foi bastante desigual. Vou continuar conferindo anyways.

Nurse Jackie
Showtime
Segunda temporada
Episódio um
Escrito por Linda Wallem e Liz Brixius
Dirigido por Paul Feig

Autor: carol

there ain't no catcher in the rye vamo se jogar!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s