damages – 03×04 – don’t throw that at the chicken

Nego tá viajando nessa temporada de Damages muito mais do que eu. Está boa, mas já vimos melhor, né? O ritmo está meio arrastado e a série continua se sustentando por seus momentos OMG, mas, vamos ser sinceros, qual foi a grande reveleção desse episódio? Que possivelmente Patty está por trás do assassinato de Tom? Isso é muito surpreendente para alguém?

Eu sinceramente estava esperando esse momento-revelação para ver se compensava os 40 minutos algo morosos que Damages voltou a apresentar nessa semana. “Don’t Throw That at the Chicken” tem seus méritos – especialmente ao fazer um paralelo entre os problemas de Louis e Joe Tobin e o que Patty, sem nem saber, passa com Michael. “Você confia no seu filho? Ele confia em você?”, pergunta Louis Tobin a Patty, devastado pela decisão do filho de não ir visitá-lo.

Joe Tobin, como já disse, é muito escorregadio. Uma hora está aqui, outra lá. Ele, que já estava muito frustrado com tudo que o pai fez a família passar, está ainda mais irritado desde que descobriu do caso do velho com Danielle Marchetti – que descobrimos aqui ser uma ex dele. Joe é aquelas pessoas que sabem que a parada é errada, ensaiam ter um pouco de escrúpulo, mas na hora h a atração pelo fácil, por salvar a própria pele, por ter uma vantagem, é mais forte. Ele estava disposto a deixar Danielle morrer para, imagine-se, “salvar” a situação. Ele conseguiu se livrar de ser acusado de algo ao alegar que estava levando ela para o hospital, mas todos sabem o quão perto ele chegou de sujar as mãos.

Ele mesmo, pressionado, flerta com voltar ao alcool – o que é prontamente percebido pelo advogado, que bota um homem na cola dele. Conversando com o filho, Joe parece perceber que mesmo a pessoa fazendo algo errado não necessariamente é “malvada” e que ele ainda ama o pai. Afasta-se de um gole da bebida no último minuto e decide ir visitar o pai – só para encontrá-lo morto com um misterioso envelope endereçado a Patty Hewes (que eu duvido muito que vá chegar na mão dela. Se ele quisesse entregar mesmo não teria enviado? Tem coisas que só TV haha).

Patty que passa o episódio tentando arrancar alguma coisa de Louis Tobin, mas ele só daria se fosse idiota (eu no lugar dele nem mesmo ia depôr por um diazinho de liberdade, mas como vimos que ele estava planejando A GRANDE SAÍDA faz mais sentido). Mesmo quando é apertado e vê a advogada se intrometendo em sua vida pessoal e zombando de sua família (filha divorciada, filho alcoolatra), ele consegue se conter e sair. De noite, claro, fica bêbado e liga para ela para falar porcarias sobre o filho – aquilo realmente partiu seu coração, afinal ele acredita que fez tudo pela família – e eventualmente estica a mão para a advogada, deixando aquela mensagem post-mortem.

Patty tenta se fazer de aliada da Promotoria, de quem precisa para manter Tobin longe da cadeia por um dia, para o depoimento (Marchetti está internada e não pode depôr). Toda a situação coloca Ellen n’uma situação peculiar. O promotor a manda meio querendo que ela seja seus olhos lá, especialmente observando Patty. Patty, claro, percebe isso. Ela convida Ellen para ir na sua casa à noite e a outra percebe o que ela quer: que ela seja sua aliada na promotoria. Ellen e sua vocação para agente dupla…

No lado DRAMAS FAMILIARES, Michael reaparece nesse episódio enrolando a mãe. Finge que arrumou um trabalho no ramo empresarial, que largou a namorada mais velha… Tudo cascata. Ele agora é pintor e ainda vive com Jill. Esse tipo de mentira, claro, meio que tem perna curta, se PAtty se interessasse um pouquinho, conversasse com Phil e tudo. Vamos ver pra onde vão levar isso.

Já Ellen confronta sua irmã sobre as drogas na bolsa. Ela prontamente diz que “deviam ser” do marido e tenta virar a mesa, dizendo que Ellen não confia nela e que sempre que ela tenta se aproximar e ser amiga da irmã é “humilhada de novo”. Humm, interessante. O que existe entre as duas de atrito? Quando ela foi humilhada? Eu confesso que quase me convenci de que ela não está nas drogas, mas sei lá, meta na bolsa é altos suspeito (e como a Ellen disse, seu marido te larga mas deixa as drogas com você? hahah).

A investigação no futuro é morosa demais. De fato, até a hora que Patty sai da sala e fala com alguém ao telefone (“Eu mandei você parar!”), são apenas pequenas pontuações ao que acontece no tempo presente – Tom tenso, trabalhando com os Tobin, recebendo os parabéns pela sociedade etc.

Damages
FX
Terceira temporada
Episódio quatro
Escrito por Jeremy Doner
Dirigido por Matthew Penn

Anúncios

Autor: carol

there ain't no catcher in the rye vamo se jogar!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s