heroes – 04×16 – pass/fail

Mas que bomba de episódio, ein? Quando você acha que Heroes atingiu o fundo do poço a série consegue REINVENTAR o fundo do poço. Demais.

Toda essa doença de Hiro ainda não trouxe NADA para a série fora aquele impulso revisionista que o levou a voltar no tempo e salvar a Charlie o que, bem, não serviu a nada fora os planos de Samuel… Pensei até que ia ser aquilo, último suspiro e tal, mas eis que em “Pass/Fail” temos que aguentar Hiro tendo um colapso – e enquanto seu corpo falha fisicamente sua mente está sofrendo um julgamento bizarro em que Adam Monroe é o promotor e seu pai o juiz. Está sendo JULGADO por suas ações que causaram mortes, por ter abusado do continuo tempo-espaço, por ter feito um acordo com Sylar…

O resto do episódio não é muito melhor do que essa bizarrice com Hiro: temos que ver Samuel tentando reconquistar Vanessa e diante do fracasso disso imaginar que ele vá se tornar pior, sem volta e tudo mais. Acho que a série quis fechar a tampa da ambiguidade de Samuel, que nunca foi grandes coisas, ele sempre foi um escrotinho com discurso macio, mas tinha aquela coisa de “só queremos nos proteger”, “família” e tal que davam uma aliviada pro lado dele… E no meio da coisa também quiseram dar mais peso ao personagem – e mostrar que ele amou e nutriu um sonho de uma vida com a mulher amada por tanto tempo faria isso. Assim, faria num mundo hipotético em que Heroes fosse bem escrita e tudo o mais. E é claro que Samuel é um psicopata e a maneira dele tentar reconquistar sua antiga paixão é sequestrá-la e tentar convencê-la.

Tudo isso é bem equivocado, claro, e a Vanessa chega a ensaiar uma dúvida nauseante, vendo tudo que Samuel (via outros) construiu para eles. Agora, com coraçao partido e raiva renovada, imagino que veremos na reta final um Samuel mais sanguinário e impiedoso do que nunca.

Por fim, Sylar busca compreender porque seu destino parece atrelado ao de Claire, em mais uma história profundamente decepcionante. Ele tenta até jogar com um “somos iguais” que Claire inicialmente dispensa com um “A diferença é que você é psicopata” e depois ao longo do episódio começa a acreditar, porque “tem medo de terminar sozinha” – o que é representado por ter afastado tanto Gretchen ao longo do episódio. Faça-me o favor! Fora serem adotados e não poderem morrer, como Sylar bota no quadro, os dois não têm nada em comum e suas motivações na série sempre foram diametralmente diferentes – Sylar buscando se distinguir com poderes, se tornar mais forte e inatingível, pagando com a solidão, e Claire sempre tentando mascarar uma vida normal – a solidão de não ser normal e tentar ser era um efeito colateral. Mas, sei lá, que bom que agora ela vai ser mais “aberta”. Whatever. Ver Sylar beijando Claire n’uma vibe pertubação foi, de fato, pertubador. E como os destinos eles ainda estão ligados, não sei… Parece algo da primeira temporada, quando Claire, de certa maneira, foi a nemêsis de Sylar, mais até do que Peter…

E aí nosso amigão se resolve por lá fazendo apenas um mindgame com Claire, do tipo “vou mostrar que somos parecidos” (ohhh) e voa para onde quer que Parkman esteja (logisticamente, costumo me perder, porque todo mundo mora em lugares diferentes mas vivem se encontrando uns com os outros) para mostrar que ainda pretende ser uma ameaça para a família dele, para o lifestyle dele, enfim. Não deixou o tadinho do Matt em paz.

Lixo.

Heroes
NBC
Quarta temporada
Episódio dezesseis
Escrito por Oliver Grigsby
Dirigido por Michael Nankin

Anúncios

Autor: carol

there ain't no catcher in the rye vamo se jogar!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s