friday night lights – 04×08 – toilet bowl

Um episódio ligeiramente abaixo da média de Friday Night Lights, mas que não chega a ser ruim. Só dá aquela sensação de desperdício, a 5 episódios do final da temporada, termos algo como The Toilet Bowl, que não é impecável, não avança muito com a trama e ainda lança nossos queridos personagens em ciladas old school.

Pelo menos voltaram com o futebol, mas continuo com a sensação de que essa parte tão essencial do programa está um pouco desconectada das outras histórias – e caminhando devagar demais. Mais um episódio para consolidar Vince como quarterback e finalmente temos a oportunidade de ver Luke avançando também. A despeito de no último episódio ter parecido que ele ia ficar seriamente contundido, aqui vemos que ele teve um ferimento no abdômen e não contou para ninguém, de maneira a poder continuar jogando. Ele pede ajuda a Tim para driblar o médico e continuar recebendo remédios contra a dor e mostra superação em campo, fazendo o ponto da vitória. Será que vão levar esse abuso de medicação para frente? Seria interessante. Melhor vício do mundo: remédios para dor.

A partida da semana é entre os dois piores times do campeonato, um deles sendo os Lions, e recebe o apelido pejorativo de Toilet Bowl, uma brincadeira com o Super Bowl. Apesar disso, já é visível a diferença. Buddy, que diz a Eric que quer ser algo mais efetivo nos Lions, nota que eles já são um time – e são mesmo. Os patrocinadores se reúnem rotineiramente e vão assistir às partidas, a comunidade está lá gritando por eles – mesmo o zombeteiro Calvin – e dentro de campo cada jogador parece encontrar seu caminho. A arrancada final pelo jeito vai ficar muito para cima da hora, e como meio que sumiram totalmente com os Panthers ultimamente a tensão caiu um pouco, mas ainda assim mal posso esperar pela partida entre eles! (e o Buddy também dá um passo à frente para seu futuro na relação com o futebol, passando a trabalhar para uma rádio latina).

Em outras notícias, só cilada. Jess e Vince, que claramente têm um passado que não sabemos qual é, voltando a conviver – e aparenta que ainda existe algo entre eles -, mesmo com a garota saindo com Landry. Obviamente vamos ter confusão aí, porque Vince parece não gostar do que vê – e já tivemos um prelúdio disso na festa, quando Jess havia dito que Landry era seu namorado e Vince meio que foi tirar satisfação.

E o Tim, tadinho, tentando ser outra pessoa, arrumar um emprego decente, sonhando desde já em como quer construir sua casa naquele terreno… E sem força para realmente repelir a Becky, que continua gostando dele e continua beijando ele quando acha uma brecha –  e os dois até já lidam com naturalidade com isso, com Tim demorando mas afastando e a própria Becky parecendo notar que avançou a linha de novo e nada há ali. Mas a relação entre os dois é terna e de suporte, especialmente porque os dois não têm ninguém. Com Billy totalmente preocupado em fazer dinheiro para sustentar Mindy e o filho dos dois, Tim está mais só do que nunca – e recebe um chamado impertinente da cunhada, para consertar o banheiro e ouvir lamentações. De cama, tensa com as “horas extras” do marido, Mindy se preocupa com uma possível traição.

Nós bem sabemos, e Billy assume para Tim, que não há traição em jogo. O Riggin’s Rigs está sendo usado para despacho de carros roubados. Tim fica indignado ao saber, lembrando ao irmão que aquela oficina sempre foi o sonho dele e que tudo pode ir por água abaixo, mas Billy não vê outra alternativa. O pior, claro, é quando Tim percebe que não terá como comprar a terra e fica sabendo que o dinheiro nesse esquema ilegal é muito bom e que em dois meses teria o suficiente para se acertar… e resolve entrar na cilada. É meio deprimente ver os personagens seguindo por caminhos em que claramente poderão se dar mal, mas não acho totalmente repulsivo. Vejo de alguns críticos comentários sobre “qualé a de FNL com o mundo do crime”, mas há um globo mundi de distância entre Landry matar um cara (pior plot ever da série e, bem, conseguiram se sair com isso!) e Tim ou Vince flertarem com a criminalidade – o que FAZ SENTIDO. Aguardando.

No mais, totalmente à parte de tudo temos Julie e Tami em Washington visitando uma faculdade. Começamos a nos preparar também para uma despedida de Julie na season 5, embora na qualidade de filha dos Taylor ela nunca deva sumir totalmente, imagino. A viagem serve para mostrar que a garota ainda está abalada com o fim do namoro com Matt e já se sente meio homesick em relação a Dillon. Apesar de todas as reticências e hesitações, Julie se sai bem, mas não sei direito qual o ponto de termos isso aqui. E o Matt realmente não vai ligar, mandar sms, sinal de fumaça…? RS.

FNL se prepara para dar uma arrancada final que tem tudo para ser soberba.

Anúncios

Autor: carol

there ain't no catcher in the rye vamo se jogar!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s