friday night lights – 04×07 – in the bag

Uma chance interessante de vermos a Aimee Tergardeen mostrar o quanto evoluiu como atriz desde o começo da série – ainda que muitos pontos da história desse episódio me irritem e pareçam excessivos. Eu entendo que Matt está passando por uma mudança. Tudo que aconteceu com ele neste último momento foi construído para que ele tivesse seu getaway e não olhasse para trás. Ainda assim, não consigo comprar muito essa coisa de que ele foi embora, sem lenço, sem documento, sem dar satisfação alguma para Julie. E passa dias e dias sem ligar. Fizeram essa desconstrução da season finale da terceira temporada (sorry ser chata e voltar a falar nisso), colocando a estadia de Matt em Dillon direta e primariamente ligada à Julie e agora cortar esse laço parece ser essencial para a independência que Matt procura.

Dito isso, é extremamente pertubador e pungente ver a dor de Julie passando pelo seu primeiro breakup definitivo – e de maneria tão abrupta. Sinceramente, sempre achei a Aimee uma das atrizes mais limitadas do elenco (ela e a Minka Kelly) e é gratificante que ela também tenha sua chance de mostrar a que veio – e, ainda mais, acho importante para a história que possamos acompanhar esse momento da Julie, vê-la crescer.

De mais a mais, meu coração continua derretendo por Luke – o farm boy que vira a noite para ajudar a família na fazenda e continuar assistindo as aulas e treinando. É legal também darem mais espaço para o Tinker, que mostra ser um bom colega e serve para mostrar pro pai do Luke que o filho é alguém importante e de referência para a equipe. Antes da temporada começar, o Peter Berg tinha dito que os pais do Luke não iam gostar do envolvimento do filho com o futebol por motivos religiosos, mas até aqui fica apenas parecendo que eles acham meio que perda de tempo por parte do filho. Não sei para onde vão levar essa trama da contusão do Luke – e espero que não seja algo definitivo, Jason Street feelings…

No mais, o pai da Becky volta e ele é justamente aquele tipo de pessoa que não vale nada – e Tim, claro, percebe isso imediatamente. Não estou certa de que foi um lance muito digno fazer a linha “abrir os olhos” da garota, que está claramente uma bagunça e sem ter onde se apoiar. De qualquer maneira, é bom ver Tim tendo um gesto de compaixão, indo pegar novamente o cachorro, mostrando responsabilidade. Só dá um aperto no peito ao vê-lo diante da terra com 25 acres… Tim sempre sonhou em ter seu rancho, Texas forever, essas coisas. O fato é que ele não tem de onde tirar esse dinheiro – no início do episódio vemos ele e Billy quebrando a cabeça buscando para vender e gerar grana. A porta que abrem nesse episódio entre o Riggin’s Rigg e os roubos de carro de Calvin, o amigo de Vince, é pertubadora. A gente fica esperando que eles não cruzem, mas como não? Billy não tem assistência médica e desde antes do filho nascer já está penando para sustentá-lo. Tim só tem grana para comprar cerveja e gasolina.

E super era o episódio para a Adrianna Palicki fazer uma aparição, né? E a da Lyla foi tão gratuita, tipo, podíamos passar sem, mas que bom que teve… A Mindy prestes a ter bebê, internada, chá de bebê, tudo isso. E temos direito a uma cena de um lado só mostrando Landry encerrando a relação com a Tyra depois de um bolo. Isso porque a boba aqui estava achando que o Landry estava n’umas “não superei” com a Tyra. Nunca imaginei que ainda tinha algo EFETIVO. Daê que é até crível a Tyra ir levando a vida e meio que nunca encerrar as coisas com o Landry. Acho que é gritante que eles fizeram isso porque a atriz não estava disponível (e o Jasom Katims parte meu coração com a conversa de que talvez nem role na quinta temporada…) e foi como se resolveram. Bom pro Landry, que dá seu passo adiante rumo a Jess.

Por fim, achei bem feita a trama do Vince. Me ajudou mais a entender o personagem, que chegou no piloto todo de bola baixa, parecendo que ia agarrar a oportunidade com unhas e dentes, e depois começou a mostrar ser meio arrogante, problemático e a orbitar no mundo do crime. A visita da mãe de Vince faz Eric perceber o quão importante é para aquele garoto essa chance e ele tem uma conversa de coração com ele. Vince realmente está certo: ele é só mais um jogador e se ele quebrar o tornozelo acaba ali. Mas a réplica de Eric é ainda mais verdadeira: “Isso é tudo que tenho a lhe oferecer”. Vince aceita a oferta e Eric reage com confiança – a cena dele e de Tami olhando a sacola que tem uma arma dentro é muito boa e diz tanto sem palavras…

Por falar na Tami, essa coisa com o Glen parece meio filer e fora de época – fazia sentido na season 2 -, mas é legal ver algo bom acontecendo com ela (realizações acadêmicas) e serve pra gente ver que a Tami é muito à prova de ciladas, no sentido de que ela se sai muito graciosamente de todas…

friday night lights
nbc/ directv
quarta temporada
episódio sete
escrito por Ron Fitzgerald
dirigido por Stephen Kay

promo do oitavo episódio, que vai ao ar em 6 de janeiro:

Anúncios

Autor: carol

there ain't no catcher in the rye vamo se jogar!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s