friday night lights – 04×01 – east of dillon

amigos, como já antecipei, gostei bastante de EAST OF DILLON, episódio de estreia da quarta temporada do lindo drama FRIDAY NIGHT LIGHTS. vejo todo o potencial para essa temporada ser a melhor ou quase: sabemos que ao longo desses 13 episódiso vamos acompanhar o RESSURGIMENTO do time dos lions como uma fênix ressurgindo das cinzas (como bem lembra o comentário do peter berg). esse antegozo da possibilidade de ver esse maravilhoso comeback num jeitinho FNL, a superação, a união e tudo o mais, me deixam IRREQUIETA na cadeira querendo mais. não é uma questão de PREVISIBILIDADE ou não – o gostoso é acompanhar a jornada.

vamos lá!

OS PERSONAGENS NOVOS:

VINCE, o primeiro que conhecemos e provavelmente um dos que terá mais destaque. sem muita história com futebol, já mostrou ter um talento nato e se destacou no vergonhoso primeiro jogo dos lions. aguardo a história de CRESCIMENTO do rapaz, que apesar de já ser apresentado como alguém com problemas com a polícia e blás (o que proporciona sua entrada pro time, btw), é muito respeitoso em linhas gerais.

a temporada está bem clara: não vai sobrar espaço pros caras legais no panthers. quando matt diz que os panthers são “um bando de idiotas” esse ano ele não está brincando… wade ackeman fica andando de CARRINHO DE GOLFE no campo (e ignora buddy, que está claramente insatisfeito com tudo e certamente vai VIRAR A CASACA, no aguardo), joe mccoy mal pode conter sua animação cretina em estar no comando, jd foi LOBOTOMIZADO… assim que vi que LUKE, na verdade, é um cara legal, já ficou meio NO AR uma ideia de que ele acabaria indo pro lions – e esse parece ser um ponto, a julgar pela promo do segundo episódio. eu também tenho cá comigo a suspeita de que ele deverá ser interesse romance da julie quando, inevitavelmente, matt se mandar.

obviamente a mais irritante de cara, o excesso de confiança de BECKY deve ser certamente uma DEFESA para as agruras da vida. pelo que vimos ela está numa parte mais pobre da cidade e não tem exatamente uma família funcional – a mãe trabalha num bar e pelo jeito tem uma alta rotatividade de homens dentro da casa. em outras palavras, a vida de becky espelha um pouco a de tim e, mais ainda, relembra muito a de tyra (aguardo ardorosamente o prometido episódio da tyra). apesar disso, as duas certamente só compartilham esse verniz de confiança e que ainda assim se manifesta de uma maneira bem diferente. becky parece ser mais, hum, focada e simples. vamos ver.

personagem secundário, STAN aparece como um entusiasta de futebol e admirador fervoroso de eric que se oferece para trabalhar como segundo técnico. ele irrita eric repetindo tudo que ele fala e de vez em quando mal pode conter sua excitação por estar ali, como quando eric consegue fazer vince melhorar numa jogada num treino, mas em cenas como a do discurso de eric, em que ele fica com essa cara aí da foto, dá pra perceber que ele é um apaixonado por tudo aquilo. é um personagem meio over the top, mas de coração bom. rs.

OS VETERANOS DESLOCADOS:

TIM abandona a faculdade depois de ouvir uma inspiradora aula sobre HOMERO, a odisséia e a valorização da casa, do amor da mulher fiel e do poder ENRIQUECEDOR de 1 comeback. é interessante mostrar que, no final das contas, nem todo mundo foi meant to be em uma universidade, embora essa seja pretty much a maneira que vivemos hoje. tim, por exemplo, nunca mostrou nenhuma inclinação para isso e foi jogado por pressões nessa vida. gostaria que tratassem isso não de uma perspectiva “ele ainda não se encontrou”, mas sim que invistam em um futuro não-acadêmico pro tim sem que isso seja necessariamente algo menor. o problema é: ele tá perdidinho. não é recebido prodigamente pela família, tem que ouvir perguntas de “como é ser o cara que costumava ser tim riggins”, não tem mais amigos ou namorada na cidade, enfim.

MATT está claramente frustrado e a explosão dele na festa contra jd diz muito disso (e também de como é difícil ficar gramando humilhação como a de mais cedo, quando foi entregar pizza pro cara). desmotivado com sua arte, sentindo-se o incômodo “cara mais velho” que vai em festinhas de colégio, não parece que o amor de saracen pela avó e por julie vai ser capaz de segurá-lo por muito tempo em dillon.

NA CHON!!

briga número 1: JD VS. MATT – se no primeiro encontro dos dois, quando matt entrega pizzas para jd, saracen se mostrou seco e contido e jd fez umas brincadeiras de mau gosto que tinham fundo de verdade, o segundo encontro permitiu que os dois colocassem as frustrações pra fora. matt certamente ficou feliz de ter oportunidade de ir pra cima de jd, o filhinho de papai que tanto encheu sua vida de pressão temporada passada e que agora vem com essa de “que droga que você não foi pra chicago” etc. jd, por sua vez, apesar da máscara de festeiro, fanfarrão e confortável com sua própria pele, também deixa transparecer que não passa de uma PILHA DE FRUSTRAÇÃO e que ainda se sente magoado e relegado por não ter sido a escolha do técnico taylor. ele encontra CONFORTO em dizer que o técnico tinha pena de saracen e lança um “essa é minha dillon agora” bem bad boyzinha no final. falarei mais adiante da POLARIZAÇÃO que a temporada nos propõe. saldo da briga: jd desceu do salto, matt não conseguiu dar a outra face e ficou num clima chato com julie.

briga no. 2: TIM VS. BILLY – briga em família, que gostoso! essa briga também saiu da FRUSTRAÇÃO ACUMULADA de billy, que mesmo em silêncio durante a cena do jantar em que mandy sondou tim e este se mostrou disposto a mofar ali, já deixava transparecer sua irritação & MORTIFICAÇÃO com a volta do irmão. aqui, diante de um tim de boa e fazendo piadinha sobre o quarto de seu filho, billy não aguento e partiu pra cima do irmão, para depois dizer tudo que tinha pra dizer: se matou pra cuidar de tim pra ele ir eventualmente pr’uma faculdade e ele desistia, que não havia lugar pra ele ali e que “às vezes não sei o que você pensa”. tim fala que nunca quis esse destino e arremata com um nada eloquente “eu só queria voltar pra casa”. saldo: família MESSED UP, as usual.

briga no. 3 brodinho do time VS. LANDRY – essa briga foi só pro cara continuar mostrando sua impaciência e se ferrar no final. ele relutou para tirar uma corrente durante a fase pré-testes, zoou com um dos técnicos, ficou escrachando os discursos de eric e por fim foi procurar confusão com landry. saldo da briga: eric perdendo a paciência e nos levando para o momento LOST MY MIND do episódio…

a cena em que eric expulsa o jogador descomprometido do time é muito forte e também exemplifica o quão frustrado ele estava. falta de material humano, de recursos materiais, ele tendo que marcar o campo, aceitar técnicos inexperientes, começar do zero com um time… quando stan diz que não sabia se essa jogada iria se pagar, percebe-se que eric também não tinha essa convicção, mas sinceramente só faltava gente sem COMPROMETIMENTO no time. é claro que no panthers sempre teve todo tipo de jogador com problemas com horários, autoridade, responsabilidade… mas na hora do JOGO em si era possível ver que todos amavam o futebol. foi bom CORTAR O MAL PELA RAIZ.

ASSHOLE DO EPISÓDIO

olha a carinha do JOE MCCOY quando os pais começam a se revoltar contra tami por conta da divisão entre west e east dillon. sacaninha. no início do episódio ele também tem seu momento SARDÔNICO quando fica colocando tami numa situação dificil, convidando-a para jogar a moeda no jogo dos panthers – o que a impediria de ir para a partida dos lions ver a estreia de eric. ele está claramente gostando de estar POR CIMA DA CARNE SECA. o que nos leva a um dos mais BELOS MOMENTOS…


desde o início do episódio tami é coagida para a situação de jogar a moeda no início do jogo blablabla, com mccoy falando para ela escolher cara e depois dizendo que é “brincadeira”. logo antes do jogo, wade vai falar com ela que caso ganhem na moeda eles querem DEFESA (no futebol americano, é possível optar por iniciar com uma jogada de defesa/ataque ou escolher um lado do campo ao se ganhar na moeda). fiquei incrédula quando ele ainda ficou gritando pra ela, realmente, escolher CARA. não só estavam tirando prazer óbvio de fazê-la estar ali obrigada como ainda queriam, obviamente, mandar (nessa parte acho que é claro que é sempre COMBINADO, né) enchendo o saco.


tami obviamente estava EXPLODINDO DE RAIVA por dentro e tiro meu chapéu pra atuação da connie britton na sequência. ela está ali cheia de civilidade, cumprimenta aqui, incentiva ali, mas é possível ver por debaixo de tudo que ela está PUTA. e é sensacional ver a pequena vingança dela contra mccoy e wade – ela ganha na moeda, escolhendo coroa, por sinal, e opta pela bola (aka ataque). é pequena mesmo, não tem muita repercussão (por mais que o wade grite “mudança de planos” ele não tinha como saber que ia ganhar na moeda então tudo poderia acontecer no começo), mas é deliciosa per si. vejam a cara de jd em dois momentos:

1) logo após eles ganharem na moeda, satisfeito com PRENÚNCIOS de uma boa noite.

2) NÓS QUEREMOS DEFESA! mimimi.
e por fim a cara de joe mccoy, que percebe que, no final das contas, tami não play along e pode sim vir a ser um problema. ele percebe que não pode MANIPULA_LA impunemente.


e aqui me detenho 1 pouco para falar dessa VILANIZAÇÃO que deram nos mccoy – e na antipatia geral que isso colou nos panthers. joe mccoy sempre foi escrotinho vibe vilão. controlodar absurdo, temporada passada já havia se indisposto com os taylor, claro, o que culminou com a saída de eric numa manobra politica. a surpresa seria jd voltar do verão sendo tão douche, mas sinceramente acho total compreensivel: as férias devem ter sido duras pra esse garoto, que sempre foi meio idiotizado e acabou resolvendo assumir essa persona meio calcada na do pai como uma maneira de impôr respeito (“essa é minha dillon agora” etc). é revelador que ele volte seu interesse amoroso para julie, o que seria uma forma de atingir tanto eric quanto matt. eu acredito que vamos ver, em algum momento, a CASA CAIR pra esse jovem. tô no aguardo.
e +++++++++++++++

outro momento legal: um dos antigos técnicos do panthers virando a camisa. fica meio óbvio que todos prefeririam estar lá, ainda que recusem o convite de eric por motivos “de segurança” e só ele acaba indo.

e ++++++++++

o discurso do técnico antes da partida. na íntegra: “Escutem, alguns de vocês já estiveram aqui antes, alguns de vocês, não. Uma coisa todos temos de fazer essa noite – temos que nos focar. O plano de jogo. Os fundamentos, senhores. Nos mover nas linhas, isso é o que vamos fazer. E escutem, camaradas: existe um prazer nesse jogo, não é? Existe uma paixão, um prazer nesse jogo que é a razão de estarmos aqui. Fora o orgulho que nos dá e o respeito que exige. Nós amamos jogar. Então vamos lá e vamos nos divertir essa noite. Vocês me entendem? Porque amanhã, se vocês derem 100% de vocês hoje, as pessoas vão olhar pra vocês diferente. As pessoas vão pensar diferente de vocês; e eu prometo a vocês: vocês vão pensar diferente de vocês mesmo” e puxa o coro: Clear eyes, full hearts… ARREPIO GERAL!!



e ++++++++++++++ (apoteose na normandia)

a partida contra o south king é muito ruim. o time se atrapalha com as jogadas e mesmo quando consegue executá-las é barrada. o campo é ruim e deprimente, a torcida é escassa, não temos cheerleaders… a montagem paralela dessa partida com a dos panthers mostra o absoluto contraste (mas nem voltamos pra lá pra saber no que deu. tami sai e a gente também). o jogo está difícil e os comentaristas duvidam que mesmo eric, que super tem as manhas da VIRADA NO INTERVALO, consiga fazer algo.

aí ele vai pro vestiário e o take parece mostrar SOLDADOS NUMA GUERRA. todos machucados, abatidos, mas ainda assim manifestando o desejo de continuar jogando e defendendo os lions, num clássico de honra & coragem.

“diga que eu posso continuar”, pede vince, que pela segunad vez no episódio diz expressamente que quer IR ADIANTE.


landry também faz a linha “não está doendo muito”, apesar de estar sangrando.

diante de seus jogadores ABATIDOS, eric não vê muita opção…

e +++++++++++++ por fim a DESISTÊNCIA

essa é a cara dele quando lentamente observa o time no vestiário e vai chegando à conclusão de que continuar o jogo implicará somente em mais cansaço e machucado para os garotos, um desgaste desnecessário e que poderá prejudicá-los mais adiante. eles estão perdendo de lavada e o time ainda é muito noob, não tem por odne se reerguer nessa partida.

com o propósito de poupar os jogadores desse desgaste, eric vai adiante e comunica ao juiz que east dillon vai DESISTIR da partida – ao som de sufjan stevens.

FIM
______________ADENDOS______________

SACANEADO DO EPISÓDIO

primeiro foi o colega de time dizendo que ele era “engraçado” e parecia um albino. depois mrs. saracen dizendo que ele “parecia uma garota” e era uma “criaturinha engraçada”. mantenha o bom humor, landry! rs.

COLÍRIOS rs

tim, uh la la
ti bb

TENSÃO SOCIAL/RACIAL

ficou claro que east dillon tem muito mais negros e latinos do que west dillon e um clima mais BARRA PESADA. uma das mães, durante as perguntas/ataques a tami, chega a reclamar de sua filha ser mandada para “aquele buraco com aqueles elementos”. laundry também faz uma piada para devon, dizendo que tem que carregar sempre uma arma consigo. vamos ver o quanto disso vão explorar nos episódios vindouros.

Anúncios

Autor: carol

there ain't no catcher in the rye vamo se jogar!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s