mad men – 03×11 – the gypsy and the hobo

uma das muitas coisas abissais ditas durante o tão aguardado confronto entre don e betty no episódio deste domingo de mad men foi essa: “eu vejo como você é com dinheiro. você não o entende”. o que betty quer realmente dizer com isso? don é uma nota acima ou uma nota abaixo? eu entendo que a falta de traquejo dele para a VIDA SOCIAL poderia denunciar a pobreza de don muito facilmente, e sempre ficou patente, mas nunca achei que havia nada em relação ao DINHEIRO em si.

o confronto ressoa em muitos níveis o A NIGHT TO REMEMBER, episódio em que a betty descobre uma traição de don (apenas UMA rs) e, pelo menos para mim, revive o mesmo ALÍVIO que senti assistindo a este. aquela ansiedade construída episódio após episódio, a INEVITABILIDADE dessas coisas virem à tona e a chance de uma desforra mínima que fosse por parte da betty, nem que fosse falar mais alto e exigir respostas, aconteceram aqui e ali. especialmente nesse episódio de agora, em que eu me sentia realmente aviltada pensando em betty com o PESO DA DESCOBERTA nas costas e don desrespeitosamente passeando com a professora da filha.

e eu super sei que geral não gosta de betty. a irritabilidade perene dela (“eles não me escutam” blablabla sobre as crianças), tá mais nasty do que nunca, é mimadinha e ingênua sim, mas what the hell. se tem uma coisa que não estava ali era FÁCIL. a sensação da betty de estar TRAPPED fica bem latente no episódio em que ela desenvolve um relacionamento EPISTOLAR com henry. a vida dela é estéril, em grandes partes porque ela também não encontra o que fazer de si e apesar de ter crescido para ser dona de casa, esposa e mãe não consegue encontrar FELICIDADE nesses papéis. ela inclusive é uma mãe muito menos dotada naturalmente do que don o é como pai, sem querer FACILITAR pra don, que pode ter jeito com criança mas só dá as caras, carinho e conversa quando quer, o que é pretty much DE VEZ EM NUNCA. retomando: nesse mesmo episódio vemos como é BETTY DRAPER por si mesma numa cena curta, quando ela pede para conversar em particular com o advogado da família e faz um sinal impertinente e impaciente com a cabeça para que ELE FECHE A PORTA. essa é betty. são dois segundinhos mudos que servem de MUNIÇÃO para os haters.

mas é como eu digo, me incomoda muito mais don indo pra casa da PROFESSORA DA FILHA assim que todos dão as costas, limpando a agenda para passar uma semana prazerosa com a amante… a cena do confronto em si acontece nos 15 minutos finais do episódio e apesar de ser a representação nua & crua da tensão eu não consigo evitar de RIR em alguns pontos. logo de cara, quando don entra em casa e é ATACADO por sally, percebe num segundo que a CASA CAIU (num primeiro momento, só como CHEGARAM ANTES e tals) e tenta se desvencilhar pra dar heads up pra suzanne e betty chega e dispensa a desculpa dele (chapéu esquecido) com duas frases. logo fica claro que ele não vai conseguir escapar – aquele não é só um retorno antecipado e betty não demora ao mostrar que voltou, quer conversar com ele e é sério.

a cena é absurdamente tensa PER SI, pelo confronto, por betty estar tão inesperadamente no comando e don tão absurdamente derrotado. em certos momentos, ele parece SUGADO DE ENERGIA, como se fosse cair ali e agora. e, claro, há o fato de que suzanne está do lado de fora e poderia fazer uma merda a qualquer momento ou ser vista por alguém, o que adiciona algo a mais no elemento TENSÃO. mas isso sequer parece passar pela cabeça de don. ele tem pelo menos uma boa chance de correr para alertá-la, quando o bebê chora, e é algo que vemos que NEM SEQUER SURGE FUGAZMENTE em suas idéias, de tão atordoado que ele está. ele não consegue fazer um drink, acender um cigarro, encarar betty direito. DEFETEAD. suzanne saindo do carro de noite, por sinal, é muito triste mas um pouco engraçado também. imagine que ela ficou tipo HROAS esperando? tudo bem que era pelo DON DRAPER, mas…

sequência FULMINANTE, em três quadros

betty pede para don abrir a gaveta. ele diz peremptoriamente: NÃO
betty então diz “você sabe que eu sei o que está aí dentro”.

HADOUKEN

o episódio tem seus momentos de obviedade extremas, dois que me incomodam sendo roger dizendo a annabelle que “it’s over” (falando do nome da empresa mas tendo o subtexto do caso de amor) e o segundo sendo o final, com carlton perguntando aos draper “quem eles deveriam ser” e dan parecendo atordoado com a questão (as crianças de gypsy e hobo eu vejo como uma metáfora/alegoria válida). nada disso impede o episódio de ser uma pequena obra prima. depois do anticlimax cruel da semana passada, eu mesma já pensava que betty ia sentar na informação e claramente calculei mal o quanto ela ia inferir do que achou. ela, afinal de contas, reconheceu don nas fotos e associou com os nomes escritos. era realmente uma GRANDE MENTIRA, como ela diz ao advogado, mas ainda assim a primeira coisa que ela quer tirar do caminho é a EX-ESPOSA… e quando ela pergunta se é ilegal? é uma pergunta muito ingênua e que você pensa quejamais passaria na cabeça de alguém enganada pelo marido de maneira tão profunda DESDE QUE SE CONHECEM – mas, as it turns out, pode até se reverter numa VANTAGEM ESTRATÉGICA para betty, que agora, como também bert e peter, tem informações que podem colocar don em uma situação muito perigosa, inclusive legalmente, como ela fica sabendo.

quem vocês deveriam ser?

essa mudança nas FORÇAS DE PODER da família draper é muito interessante. pela primeira vez, betty está compartilhando um mesmo nível de informação com o marido, agora além de ser ESPOSA dele ela também é a única pessoa que sabe, tão diretamente de tudo da vida dele (anna pode ser também, já que ficou insinuado que havia confiança entre eles). ela pode não ser o tipo de mulher que preencha o TIPO que don gosta – todas morenas, meio liberais, divertidas etc – , mas agora ela está em um relacionamento mais profundo com ele do que qualquer das outras já teve.

é interessante porque todos os comentaristas ficam falando sobre como na cena don flutua da sua personalidade a la DICK, aka inseguro, mais tímido, sem autoconfiança, e o lado DRAPER, que é charmoso, com mojo, domínio das situações. é uma divisão que existe, don tem os dois lados de si, como vemos claramente no episódio que ele vai pra califórnia e é totalmente DICK. só acho um erro que todos assumem que ele É dick e assume uma máscara de don; acho que o buraco mais embaixo. don é as duas coisas. ele é um cara sem autoconfiança (como fica bem claro quando ele fala de sua surpresa por betty tê-lo amado) que se forçou a assumir uma outra persona, mas essa outra persona, afinal de contas, não veio do além. está ali, faz parte dele, é ele. quando betty diz que não sabe quem ele é e não pode confiar nele, ele responde calmamente que ela sabe, sim, e ela SABE, SIM. e pelo que podemos ver vai saber mais agora (e eu adoro quando o don responde na BUCHA que seu nome é donald draper e “costumava ser dick whitman”; ele é DON, afinal de contas).

é pungente ver os dois construindo um relacionamento com mais preocupação, carinho e atenção, ainda que nesse princípio isso aconteça de maneira um pouco formal e SE MEDINDO. mas vemos don tendo a gentileza de perguntar se ela vai comer antes de pedir algo, ele encaixando uma possibilidade para que ela fique sem ele durante o haloween e ela recusando etc. de muitas maneiras, essa temporada já nos mostrou os draper mais próximos do que nunca, ainda que os dois tenham também ORBITADO muito para longe do casamento, com don voltando a ter um caso e betty flertando com essa possibilidade. desde o início, no mesmo episódio em que conhecem henry, quando se beijam ao luar inesperadamente (uma lembrança, uma tentativa de recuperar algo?), ou especialmente na viagem para a itália, que os ajudou tirando-os um pouco do contexto e ficou patente que betty pode ser, sim, mais interessante, safa e inteligente, como don APRECIA suas mulheres, até cenas como betty colocando a mão no ombro de don e dizendo que sente muito pela morte de adam. (que já vi gente achando FRIO em contraposição à ligação à beira das lágrimas de suzanne, que claramente está na fase de PAIXÃO com don enquanto betty está, opa, na fase CASAMENTO FALIDO).

anyways, não sei dizer pra onde vamos agora. don vai ficar mais dick? betty e esse lado DICK vão get along? há futuro para os dois? eu nem sei dizer se don algum dia já gostou de betty e tenho muita curiosidade sobre OS PRIMÒRDIOS do casal, porque, né. imagino que ele tenha se apaixonado pela ideia que fez dela, socialmente bem criada, pronta para ser uma esposa devotada e mãe atenciosa, praticamente uma barbie. esse inclusive era o apelo e a vibe no início da série, no piloto quando vemos don voltar para a “vida dos sonhos” que é quase um pesadelo etc – e logo vemos que para o lado dela as coisas não eram bem assim, criada de uma maneira repressora, mommy issues, crise nervosa etc. enfim. stay tunned.

_EM OUTROS ACONTECIMENTOS_
gostei muito da história de roger e annabelle. inclusive eu gostei bastante dela, mas ela está claramente GRIEVING e fez ALOKA e levou um pé que um lado de roger certamente apreciou muito estar dando… what goes around comes around. fora que as quotes dele sobre casablanca são sensacionais (“nós não estávamos em casablanca. a única semelhança é que você me deixou por outro homem” e “aquela mulher entrou em um avião com o homem que ia terminar a segunda guerra mundial, não dirigir a empresa de comida de cachorro do pai dela”). e eu acho, sim, que existe uma intenção de ligar essa conversa de THE ONE a joan. pode não ser, claro, mas as storylines são paralelas, vemos roger negar que annabelle tenha sido sua the one logo depois dele conversar com joan e gostar “de ser lembrado” e depois ele ainda liga para tentar arranjar emprego para joan e diz que se importa com ela, bla bla bla. claro que existe uma parte da REAL camaradagem e carinho que os dois sempre mantiveram, mas não vejo porque fechar os olhos para as insinuações. especialmente porque roger nunac foi tão apx em jane, apesar dele dizer para annabelle que “com essa garota é diferente”. eu acredito que ele quer acreditar nisso, especialmente considerando o que don lhe disse sobre se fazer de bobo, e quer que o casamento dê certo e está se esforçando pra isso, mas…

sobre a parte de joan e do médico, foi meio mais do mesmo (joan buscou também seguir as regras e fazer o que “deveria fazer” e acabou se amarrando num incompetente de marca maior etc), mas serviu pra fazer a história andar. o cara vai pro exército. ou matam ele, ou deixam inválido pra joan SE FUDER eternamente. ou nada disso né. rs. GUESSING GAME.

quando vão retomar toda a coisa de duck (especialmente com peggy?). e onde se meteu peter?
ABS a todos.

(morri no IS THAT YOU? DICK? primeira vez que betty disse o nome verdadeiro do marido,.)
(you’re a very very gifted storyteller, TRUE)
(a revelação é tipo TOO MUCH para betty, dá pra se notar a raiva dela e tudo, mas ela também não sabe bem o que dizer e quando espelha as questões para don, “o que você faria” etc, isso fica claro. em partes, também, meio que como depois que descobre a traição, ela sabe que foi enganada mas na verdade não tem muito pra onde correr…)
(don está tão atarantado com tudo que leva um susto quando betty pergunta de adam. ele sabe que essa foto está lá, mas é como se tivesse esquecido)
(e que tal don CHORANDO?)

(e o soninho gostoso pós tudo?)

Anúncios

Autor: carol

there ain't no catcher in the rye vamo se jogar!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s