entrevista do bryan fuller para sci fi wire

o bryan fuller deu uma entrevista ao SCI FI Wire sobre sua volta a heroes e as mudanças que a série enfrentará nessa reta final da terceira temporada.é bom notar que ele tem noção das merdas que aconteceram e é REFRESCANTE saber que não vão jogar a barbara na história. e como sempre, reforço, ansiosa pelo episódio da angela petrelli! you go, bryan.

P: Quando foi anunciado que você estava retornando a Heroes, muitas manchetes estamparam que você iria salvar a série. Você sentiu essa pressão? E como está sendo para você?
R: Eu não senti realmente nenhuma pressão, porque eu amo esse programa, o elenco e a equipe. Como um membro da audiência, eu podia ver as questões e porque as pessoas estavam frustradas com elas. E eu sentia que estava pulando do pêndulo quando estava de volta à elevação. Para ser honesto, eu estava totalmente “eu estarei logo aí” e eles me mandaram os episódios que completam o arco Villains. Quando eu terminei de assisti-los, eu não estava certo de que eu poderia fazer isto. Eu não reconhecia mais o programa. Havia se tornado algo totalmente diferente. Meus personagens favoritos haviam se tornadosvos menos favoritos, e houve um  segundo em que pensei que eu tinha que sair disto (o programa). Então eu comecei a ler os scripts de Fugitives e pensei que estava acompanhando novamente.  Aconteceram alguns deslizes ao longo do caminho, onde começou a ficar confuso, mas eu estava mais inspirado.

P: Voltando, o que vocÊ quer alcançar?
R: Eu realmente só queria levar tudo novamente à base dos personagens. Eu acho que os personagens foram empurrados para o lado pelo plot.  O segundo ano com o virus foi interessante, mas então ficou complicado e cheio de bla bla bla tecnológico. Com Villains, começou interessante e então se tornou sobre a formula. Quando eles começaram a falar sobre como nós somos injetados com nossos poderes e se tornou uma história para o gueto sci-fi, eu fiquei desligado. Mohinder foi de um nobre cientista para um cientista louco com um cabelo e guarda-roupa do Jeff Goldblum. CLaire se tornou estridente e “não-gostável” porque estava somente se lamentando, bitching e segurando uma arma. Eu estava preocupado de que o volante houvesse sido arremessado tão agudamente na direção errada em relação a que havíamos trabalhado na primeira temporada, que era de pessoas comuns com poderes extraordinários. Tudo de ordinário na vida deles se foi pela janela e tudo se tornou extraordinário. Essa foi minha frustração.

P: Na primeira temporada, você realmente achou as vozes de Claire e HGR, mas recentemente, em Cold Snap, Tracy Strauss pareceu ser sua nova musa, exceto pelo fato de você ter quebrado-a em pequenos fragmentos.  Esta foi a última vez que a vimos?
R: Oh, não. Houve muito debate sobre se ela dá uma piscadela, mas não, ela não dá. Ela está piscando e uma lágrima cai. Houve falta de comunicação com os efeitos visuais, você deveria ver apenas um dos olhos delas. Foi definitivamente uma piscada e uma lágrima derramando. Tracy irá voltar de um jeito grandioso mais pra frente na temporada.  Esta foi uma das coisas onde estava assim, “Ela irá voltar como Barbara agora?” EU estava pensando ” A gente pode por favor não fazer Barbara, porque esa é outra história de gueto sci-fi, estes elementos com clones. QUantas Ali Larters estão ali?”. Eu desejaria quehouvessem dezenas, prque sou fã dela, mas assistindo Ali na primeira temporada você sabe do que ela é capaz.

P: Onde você gostaria de ver Tracy ir no futuro então?
R: A jornada é sobre trazer a humanidade de Tracy de volta. O que ela aprendeu do seu encontro com Micah/Rebel causou um grande impacto nela. ELa irá seguir essa linha de pensamento na próxima temporada. Há aquela realização que ela estava alcançando com  a política pelo ângulo errado. No quarto ano, Tracy terá uma nova perspectiva que pode não ser correta, mas será mais compreensível do que antes.

P: Você pode provocar a audiência com um pouco dos episódios restantes da temporada?
R: Existem na verdade muitos trabalhos com personagens realmente engraçados acontecendo nos últimos quatro episódios, pelo que a equipe de escritores está orgulhosa.  Nós veremos Matt retaliando contra Danko de um jeito muito interessante. Nós também veremos Sylar atacar no coração da vida de HGR ede um jeito que fará com que as coisas se deslindem para ele. O episódio depois disso é essencialmente “Company Man” para Angela Petrelli, quando estaremos mostrando flashbacks de sua vida em 1961 com eventos que aconteceram na época e que realmente motivam quem ela é agora. No episódio 24, nós chegaremos ao coração da crise de identidade de Sylar, e nós entendenremos claramente qual a agenda dele, do que ele está atrás e quem são as pessoas de sua vida que causaram maior impacto. O episódio 25 é nosso grande final.

Anúncios

Autor: carol

there ain't no catcher in the rye vamo se jogar!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s